Até o marisco regressa aos mercados antes de Portugal

Marisco de Fukushima volta aos mercados após o desastre nuclear

Social Media Day :: Portugal 2012 :: V.N.Gaia

Citando:

 

O Social Media Day foi assinalado pela primeira vez a 30 de Junho de 2010, numa iniciativa do Mashable, espaço exclusivamente dedicado a notícias sobre a web 2.0 e redes sociais.
O grande objectivo da data é celebrar à escala global a revolução que transformou os media num ambiente eminentemente social. Logo no ano inaugural, mais de 340 encontros em 76 países do mundo assinalaram a data. Em 2011, o número de encontros subiu para os 1422, com as cidades de Nova Iorque e São Paulo a acolherem os eventos com maior número de participantes. Portugal associou-se ao Social Media Day desde o primeiro momento, com a cidade do Porto como palco para a comemoração.

Em 2012 vai ser em Gaia, no convento Corpus Christi, no próximo dia 30 de Junho (Sábado). Podem ver todo o programa AQUI. Lá estarei para falar sobre “Redes Sociais, as cidades e o turismo”.

João Pereira Coutinho, o idiota útil

João Pereira Coutinho quando pretende ser idiota não precisa de se esforçar muito, a coisa flui-lhe naturalmente. Outras vezes é propositadamente idiota com intenção utilitária, de tipo tarefeiro ideológico. É o caso desta crónica que publicou no Correio da Manhã, com o título muito apropriado de “Delírios”.

E porque é que o delirante João Pereira Coutinho é um idiota útil? Porque – ainda que faça uma pergunta pertinente (ou precisamente por causa disso) cuja resposta servirá sempre para levantar dúvidas e não chegar a conclusão alguma – a utiliza para esconder o fulcro das questões e evitar, desse modo, abordá-las.

Ao pretender reduzir a discussão da cimeira Rio + 20 ao aquecimento global antropogénico, João Pereira Coutinho lança uma cortina de fumo sobre aquilo que este tipo de cimeiras deve e deveria realmente debater: a sustentabilidade dos recursos, o aumento populacional, a democratização do consumo à escala global, a redistribuição, a equação energética, a plausibilidade da manutenção de modelos desenvolvimentistas baseados no crescimento constante pelas vias da produção e do consumo, as políticas de cariz ecológico e ambiental (não é por algumas expressões estarem desgastadas  e vilipendiadas que deixaram de significar precisamente o que significam) que o futuro exigirá para que a viabilidade da vida humana no planeta se mantenha em termos conjunturalmente equilibrados.

João Pereira Coutinho faz-me lembrar as igualmente delirantes autoridades da Carolina do Norte, também elas estúpidas, idiotas e com uma perspectiva “utilitária” da sua própria estupidez. [Read more…]

Parabéns PCP

Paulo Portas afinal ainda existe. Está e mentir na AR como há muito tempo se não via.

Os traumatizados da Moção de Censura

Não faremos portanto o que há um ano nos fizeram a nós e sobretudo porque pomos à frente o interesse nacional“, Silva Pereira, defendendo a abstenção violenta do PS.

Não quer, mas nem pode nem manda

O não querer de Crato.

Blade Runner – 30 anos

Lágrimas, chuva, um dos filmes da minha vida (reaccionária era a tua avózinha, pá) faz hoje 30 anos. Um dia como qualquer outro para o rever, sempre.

Lousada campeão nacional de Hóquei em Campo

A Associação Desportiva de Lousada (ADL) sagrou-se tricampeã nacional de Hóquei em Campo em seniores masculinos e conquistou o sexto título da sua história, o quarto em cinco épocas, igualando assim o Futebol Clube do Porto e o Clube Futebol Benfica na história da competição máxima da modalidade no nosso país, mas ainda atrás do Ramaldense FC, o clube mais titulado, ainda que, no momento, com a prática suspensa por dificuldades estruturais e financeiras.

Nas últimas três épocas, a formação do Vale do Sousa conquistou as maiores provas do calendário nacional no escalão de seniores masculinos, nomeadamente os Nacionais de Campo e Sala (indoor).

Para chegar ao título, a ADL venceu a Académica de Espinho, que chegou a estar em vantagem na final do play off, disputado à melhor de três,no seguimento da vitória por 3-2 na 1.ª mão, realizada em Lousada, mas a equipa orientada por Bruno Santos respondeu à altura e venceu os 2.º e 3.º jogos, levando o título, uma vez mais, para Lousada.

No jogo decisivo para atribuição do título, a ADL venceu a Académica de Espinho por explícito 5-1, resultado que não deixa dúvidas quanto à justiça do vencedor do encontro e do campeonato.

Texto: Armindo de Vasconcelos

Foto: fphoquei.pt

Nota: O Aventar inicia aqui a divulgação de um dos muitos desportos quase ignorados em Portugal. O campo está aberto a outros. Contactem-nos.

O tédio de Passos Coelho

“Não vale a pena estar sempre a gastar tempo a falar do desemprego, das casas que se entregam ao banco”. Declaração de Passos Coelho, hoje, no Parlamento. Está aborrecido, coitado. Roubado ao Ricardo M. Santos.

Panelas de pressão

Se começa a abrir-se a arca da memória, ninguém do bloco central escapa.

Acordo Ortográfico: a leviandade de José Eduardo Agualusa

Descobri no facebook estas declarações de José Eduardo Agualusa acerca do chamado acordo ortográfico.

O escritor começa por considerar que o acordo “não tem importância nenhuma; é irrelevante”. Por outro lado, declarou que o absurdo estava no facto de “haver duas ortografias.” [Read more…]

Parabéns Moçambique

Pré-aviso aos comentadores saudosos do colonialismo: estão avisados.

vídeo e título via Paulo Granjo

Na Polónia a música é outra

Eusébio está internado num hospital desconhecido e que deve ser público. Se fosse em Portugal já tínhamos visto o nome da empresa 100 vezes.

Para que servem os professores?

A Educação no Portugal democrático sempre foi um edifício em mau estado. Nos últimos sete anos, os três governos PS/PSD/CDS conseguiram o milagre de fragilizar ainda mais os frágeis alicerces desse edifício, limitando-se a disfarçar o mau estado do imóvel com uns painéis publicitários e outras manobras de marketing.

A partir do ano que vem, entre mega-agrupamentos, turmas com mais alunos e a dispensa irresponsável de milhares de professores contratados, o triste edifício ameaçará a ruína absoluta.

Em sete anos de políticas ruinosas, os professores souberam fazer três manifestações gigantescas e várias greves, mas não conseguiram e continuam a não conseguir travar a destruição quotidiana da Educação. Intoxicada por anos de inveja social, alimentada pelas máquinas de comunicação partidária, a opinião pública limita-se a olhar para os professores como uma corporação preocupada apenas com os seus privilégios.

Resta saber até que ponto esta visão será justa. Há pouco tempo, um amigo e colega defendia a necessidade de que os professores soubessem unir-se para protestar contra tudo aquilo que está mal na Educação e não apenas por razões relacionadas com questões corporativas.

A verdade é que podemos encontrar demasiados exemplos de pessoas mais preocupadas com a vidinha do que uma classe cuja principal preocupação deveria estar centrada na Educação: efectivos que se manifestaram em Lisboa e foram a correr entregar objectivos mínimos, sindicatos muitas vezes mais preocupados com domínio do território, professores que acatam acriticamente qualquer novidade, directores que se deixam transformar em fantoches do Ministério da Educação e muitos outros exemplos que não ficam bem na fotografia de profissionais qualificados que se deixam desqualificar todos os dias.

Os professores continuam, assim, a ser cúmplices da destruição da Escola e, portanto, indignos de uma das profissões mais nobres que se pode desempenhar. Há muito para pensar e há muito para pôr em causa, o que inclui formas e razões de luta. Enquanto isso não acontecer, os professores servem para muito pouco.

Há sogras e sogras

Os pais trabalham demasiado. E, ultimamente, ainda mais.

O trabalho tira tempo à família. «Tira-nos» a família, é o que é.

Sobra muito pouco para ela: tempo e paciência como gostaríamos. “Educar exige tempo e paciência, e isso é algo que falta aos pais nesta conjuntura”, leio no Público (23 de junho).

E não há muito a fazer: “o emprego precário e o medo de perder o emprego sujeitam os pais e as mães a uma disciplina e a um envolvimento no local de trabalho (…) que tira tempo à família”.

Os filhos estão mais com os outros que connosco.

Acabaram as aulas. A coisa complica-se: «Onde deixar os filhos?»

Que sorte é ter uma sogra disponível que toma conta deles.

Há sogras que são umas «pestinhas», segundo ouço dizer, mas também as há que são umas santas!

Obrigada a estas! São a nossa salvação!!

Eternamente grata, sogrinha.

Campeões de Olímpia


Sobre os Jogos Olímpicos da Antiguidade – a história desta festividade religiosa partindo de uma recriação actual.
Está ainda disponível na net o trecho mais importante de um documentário do Canal Discovery, de cerca de 10 minutos, sobre este tema.
Da série Filmes completos para o 7.º ano de História
Tema 1 do Programa: Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações
Unidade 2.1. – Os Gregos no século V a. C.: O exemplo de Atenas

A Ponte do Romeu

A ponte do Romeu, ou da Assureira, [Read more…]

Like a virgin

Original, sem dúvida, a abertura das festas da cidade de Coimbra, sob a invocação da sua padroeira Rainha Santa Isabel, com um concerto de Madona Madonna.

imagem do Fliscorno