Uma Semana Boa

Agora que uma equipa de futebol a que chamam “portugal” ganhou um jogo, e agora que o povo vai andar uma semanita anestesiado, eis o momento óptimo para o gaspar e os outros reis magos lançarem mais duas medidas de austeridade: a privatização (1) do que falta da Água dos portugueses e (2) a cobrança de taxas pelo enchimento de garrafões de polipropileno nas fontes (ainda) públicas, mesmo aquelas cuja água (grátis) não tem a sua qualidade controlada. O orçamento das câmaras e das juntas de freguesia vai para coisas mais importantes.
Esta era mesmo uma boa semana para lançar mais um imposto, mais uma taxa…

Cristiano Ronaldo & Pepe

Não sou o fã número um da seleção. Mas já fui.

Estive nos cafés, no tempo da Escola Secundária, a ver Portugal ser campeão na Arábia Saudita. Andei também pelos estádios a ver Portugal ser Campeão do Mundo em 1991, no arranque da mais fabulosa geração de futebolistas que o nosso país teve.

Cresci com eles e maravilhei-me com os feitos deles nas grande competições, até … Mudar tudo.

Para mim a seleção não é um clube. Nunca sofri pela seleção como pelo BENFICA, nem pouco mais ou menos. É um defeito meu, eu sei. Quem não os tem?

Mas com o Scolari foi a ruptura porque nunca me identifiquei com a bandalheira que aquele tipo gerou à volta da equipa,  ainda que, do ponto de vista dos resultados, tenha estado bem. [Read more…]

A poesia passeia-se nas ruas das Astúrias

A contradição de Bruxelas

O resgate dos bancos espanhóis depende do défice, no entanto o resgate conta para o défice. Lá como cá, cumprir é impossível.

E os mercados vão obedecer-lhe

Sócrates acaba de garantir que a Itália não precisa de ajuda externa.

Ronaldo, o Não-Salvador da Pátria

A partir de hoje, já toda a gente percebeu uma coisa acerca da Selecção e de Cristiano Ronaldo: se sobre ele se colocar demasiada pressão, ele falha grotescamente. Se, pelo contrário, lhe for retirada toda a pressão, ele falha grosseiramente. Ronaldo não está ali para resolver tudo. Ronaldo não está ali para não resolver nada. Está ali para parecer igual aos outros, sendo o mais importante e precioso deles, se lhe for exigido o máximo também. Façam favor de tirar o santinho Ronaldo do seu nicho para que ele dê o que pode, e se cumpra conforme o que é, imaculadamente eficaz, como sucede no Real Madrid. Seria pedir muito que ajudasse Coentrão a fechar o corredor, nem que fosse só um niquinho, como Nani fez com João Pereira todo o santo jogo?!

38 anos depois, servida fria

A memória do Vítor Dias é tramada.

Amor à camisola

Pepe: as pátrias são de quem as ama, não de quem se limitou a nascer nelas. Aos que no séc. XXI insistem que só devem jogar na selecção aqueles que aqui nasceram, Pepe demonstrou mais uma vez que é o verdadeiro líder da equipa, ao contrário de um ilhéu que continua a não ser digno da braçadeira.

 

Euro 2012: sofrer até ao fim

Portugal pode ter dado um grande passo para marcar presença na próxima fase do Euro 2012. Para isso terá de ganhar à Holanda ou, pelo menos, não perder (mas ainda há outras contas a fazer, dependendo do resultado do jogo entre a Alemanha e a Holanda). Portugal, que começou a ganhar por dois golos, permitiu o empate ao adversário.

O momento crítico do jogo aconteceu aos 77 minutos quando Ronaldo falhou um golo de forma incrível. Dois minutos depois a Dinamarca empatou e Portugal teve de sofrer.

As entradas de Nelson Oliveira e de Varela viraram o jogo e devem obrigar Paulo Bento a repensar a táctica e a presença de Postiga como titular, apesar do golo marcado. Ronaldo precisa de confiança e alegria. Talvez o resultado de hoje ajude…

Para trás ficaram resultados e exibições que não contavam para nada como nos jogos com a Macedónia e a Turquia como, de resto, é natural.

Clique para ver um vídeo com alguns dos melhores momentos e golos do jogo.

Medidas Anti-Crise: Transparência

As medidas que sugiro neste post, não são defendidas por nenhum partido à excepção do Partido Pirata, que infelizmente em Portugal ainda nem é partido.

Muitos insurgem-se contra o movimento dos Partidos Piratas, alegam que nunca terão expressão, ou que vêm ocupar espaços já preenchidos políticamente. Na verdade, o partido não necessita de ir a lado nenhum (apesar do exemplo berlinense contrariar essa afirmação) e mesmo assim influenciar os outros partidos. Há ideias que começam a circular, não só nos partidos piratas, que os partidos tradicionais em geral não defendem, nem podem, a transparência total é uma delas.

[Read more…]

Tampões femininos, em Versalhes, só no sítio “certo”

joana de vasconcelos

A recente proibição da presença da peça “A Noiva” (representando um lustre feito com tampões higiénicos) na exposição de Joana de Vasconcelos em Versalhes -com o fantástico argumento de não ser “adequada” ao local – é um acto censório que tem muito de preconceituoso e nada de artístico.

Como lembrou a própria artista, “A Noiva” foi uma das peças que lhe abriu as portas para a sua circulação internacional.

Acresce que Joana Vasconcelos foi convidada por ser autora de uma obra conhecida, na qual a peça agora censurada se inclui com grande visibilidade, e que nenhuma objecção foi levantada aquando do convite.

Esta actual tendência para a censura artística é preocupante e invade uma das poucas esferas onde a liberdade de expressão, criação e exposição eram ainda defendidas e estimuladas.

A leitura de Joana de Vasconcelos sobre o assunto é explícita mas podia (devia) colocar mais profundamente o dedo na ferida e vincar o aspecto político/castrador da decisão: [Read more…]

Carta de Angela Merkel: As Condições do Resgate

Espanhóis,

Em virtude do “Tratado para a Solução Final dos Problemas Ibéricos” (coloquialmente conhecido como O Resgate), ponho-me em contato convosco para anunciar as seguintes medidas, que terão efeito imediato:

1) Depois de 312 anos de vulgares reinados, a Casa de Borbon é despossuída da Coroa de Espanha, cuja titularidade passa à Estirpe dos Merkel. Uma servidora será proclamada “Imperatriz Angela, Primeira de Espanha e Quinta da Alemanha” numa cerimónia oficial na Basílica de São Pedro pelo Papa Ratzinger.

2) Graças ao meu despotismo caloroso, dou-vos permissão para que me chameis “Angie”.

3) Ao cidadão Borbon é atribuído o Zoo de Berlim como tratador de paquidermes. A Universidade Ludwig-Maximilians de Munique cria duas novas cátedras de excelência: uma, de “Análise Económica e Otimismo”, dirigida por Rodriguez Zapatero, e outra, de “Oratória, Eloquência e Logopedia”, para Mariano Rajoy. José Mari Aznar trabalhará como bailarino nas discotecas techno de Berlím: com o seu bronzeado e os seus abdominais, estou segura que poderemos convertê-lo em Lady Gaga europeu. [Read more…]

Olhó Narciso…

Presidente da Câmara de Pombal quer tratar a homossexualidade.
Narciso Mota, do PSD, apontou a homossexualidade como uma doença e uma causa de violência in Visão

Breve Apontamento-Foda-se Sobre a Crise

Há razões objectivas por que o nosso heroísmo cívico e capacidade de encaixe não tenham tamanho. Somos tímidos. Somos individualistas. Individualistas no sucesso. Individualistas no sofrimento extremo, no suportar a insuportável carência que roça ou transpassa a miséria.

Basta pensar na dieta extrema do anacoreta e meu amigo Jorge, estóico entre os estóicos, cenobita entre os cenobitas, sem filhos pela graça de Deus ou pela desgraça do diabo. Tudo bem que, há seis anos, tenha perdido muito dinheiro em noitadas pueris e depois, náufrago dessa procela de erros, assumido aqueles créditos imediatos, libertos em vinte e quatro horas, pelos quais um Banco empresta um chouriço para ganhar porco e meio, tudo à custa da ingenuidade e do cerco de desespero trucidante a acossar o cidadão! [Read more…]

Cassano recusa-se a apanhar o sabonete no balneário

Cassano espera não ter colegas homossexuais na selecção italiana

Dinamarca vai jogar com três centrais

Agger, Kjaer e Postiga.

Paulo Pereira Cristóvão está prestes a regressar à direcção do Sporting

Paulo Pereira Cristóvão demite-se

Mais um crime passional

E a frase da semana é…

Em 2004 tivemos bandeiras nas janelas de Portugal, agora temos placas das imobiliárias.

Erro de palmatória

Com Postiga no dez, há jornalistas que ainda não aprenderam a fazer contas de sumir.

Vivo num país falhado

Num estado a sério, podemos confiar que o estado não muda de opinião como quem muda de cuecas. Por isso se podem tomar decisões a longo prazo, fazer investimentos, contar com uma reforma, fazer opções reflectidas. Num país falhado, obriga-se ao investimento em maquinaria e obras para se terem espaços de fumadores e depois, passados nem 5 anos, mudam-se as regras e diz-se que esses equipamentos e essas obras são para mandar para o lixo.

Num estado a sério, o estado abstém-se de intervir no espaço privado de cada um. Num país falhado, o estado entra pelo pão a dentro para controlar o sal, salta para o carro para ver se há fumo ilegal e está a um passo de entrar casa dentro para decidir como se vive saudavelmente.

Num estado a sério, o estado procura educar as pessoas para que estas se tornem responsáveis e tomem as melhores decisões. Num país falhado, o estado toma os cidadãos por imbecis e faz de papá-galinha.

Infelizmente, mesmo sendo não fumador, vivo num país falhado.

Os Dez Mandamentos

 

Filme épico de 1956, dirigido por Cecil B. de Mille, sobre a vida de Moisés desde o nascimento até à sua morte. Explica a origem da religião hebraica. Apesar do tamanho do filme, é possível fazer uma montagem das partes mais importantes de forma a conseguir uma versão de 25 / 30 minutos.
Sobre este tema,está também disponível na net o filme Moisés (1995) e Moisés, O Príncipe do Egipto (animado, 1998).

Ficha IMDb

Da série Filmes completos para o 7.º ano de História
Tema 1 do Programa: Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações
Unidade 1.2. – Contributos das primeiras civilizações

Montra-me

Queres ver que, afinal, não me chamo Napoleão Bonaparte?

Director de escola da Régua desconhecia que não era licenciado