Cristiano Ronaldo é o maior jogador português de todos os tempos

Não sou dado a declarações hiperbólicas – antes pelo contrário – acho-as excessivas, patéticas e destinadas a ser tragadas pela realidade semanas depois, e ponderei bem antes de fazer esta afirmação.

Faço questão de deixá-la aqui, antes do Portugal Espanha, aconteça o que hoje acontecer.

Vi jogar o Grande Eusébio (já em fase descendente, mas enfim), Vítor Baptista, Chalana, Futre, Figo e Rui Costa, e não tenho dúvidas. O maior jogador português de todos os tempos é (já é) Cristiano Ronaldo. Nunca um jogador português foi tão decisivo, a tão alto nível, tão planetariamente reconhecido, tão apaixonadamente discutido.

Cristiano, por onde passa, muda tudo. Houve um Manchester United com Ronaldo e outro depois dele. Há um Real de Madrid cuja cara é Ronaldo (vejam-se os resultados estatísticos), há uma seleção cuja alma é Ronaldo (Portugal, entre as quatro equipas finalistas do Euro, está acima do seu ranking), há uma disputa pelo título de melhor jogador do mundo onde Ronaldo é sempre nome finalista.

Tudo pode acontecer e Ronaldo pode, hoje, passar ao lado do jogo (coisa que não creio),  mas isso não muda o essencial. Cristiano Ronaldo é o tipo de jogador que não nasce todas as gerações. Passar-se-ão muitos anos até nascer em Portugal outro jogador tão importante, influente e decisivo como ele.

Cristiano não pode ser criticado? Pode e é-o, mas revela ignorância banalizá-lo. Joga sempre bem? Não, mas até a jogar mal atinge uma qualidade ao alcance de poucos. É arrogante e vaidoso? Talvez, mas eu também seria no seu lugar. É simples e humilde? Sim, muito, basta ver como trabalha nos treinos e como se comporta profissionalmente. Há quem confunda a pessoa com o “artista” e lhe cobre isso, a vida privada? Claro, tal como Picasso e as mulheres, Rimbaud e os excessos, Céline e a política, Brell e o alcool, e por aí fora até não parar. Who cares? Quem não tem nenhum talento especial e pensa que os talentos só deviam ser dados a semi-deuses perfeitos. Anjinhos, em suma.

Comments

  1. Não Interessa says:

    Rui Costa? Deco é, de longe, o melhor 10 que passou pela selecção. Do Rui Costa, um óptimo jogador, está a umas largas milhas. E Ronaldo será mesmo o melhor de sempre.


  2. Lendo o texto, e ficando a ponderar sobre o tema; não deixa de ser algo ‘absurdo’ o número de grandes jogadores que um pequeno cantinho do Mundo produz, no meio de tantas outras potências com maior gabarito “per capita”.

  3. palavrossavrvs says:

    Brilhante, meu caro. Concordância absoluta. Abraço.

  4. Luís says:

    Pois eu vi o Eusébio no seu apogeu e não tenho dúvidas: não só o melhor jogador português de todos os tempos como o melhor do mundo no seu tempo!
    Só que não era bonito, rico e no seu tempo não havia as poderosas equipas de marketing global que hoje há.


  5. É um erro entrar-se nessa coisa do “melhor de todos os tempos”. Desde logo porque a variável “tempo” altera tudo. Também vi jogar Eusébio no auge da sua carreira e tendo a concordar com o comentador anterior. Mas, já nessa altura, quando se vivia a “rivalidade” entre ele e Pelé, os mais velhos diziam que o melhor tinha sido… Di Stefano. Entre Eusébio e Cristiano Ronaldo há uma imensidão de diferenças que vão muito além das características de cada um. No tempo do Eusébio, a maioria dos guarda-redes não era de tão elevado nível- em contrapartida os defesas eram muito mais duros (por vezes violentos, até). No tempo do Eusébio, não havia a quantidade de jogos que hoje são disputados quer por clubes, quer por seleções- em contrapartida, fica a dúvida de até onde chegaria Eusébio com os métodos de treino atuais e com o apoio médico dos nossos dias. No tempo do Eusébio o futebol-negócio dava os primeiros passos e isso coloca um ponto final nas comparações possíveis.
    Mas o que interessa, é que o Ronaldo é muito bom. Melhor do que o Messi? Também não consigo responder a isso, a não ser como o outro: “Bom mesmo é ter os dois”. E o que interessa mesmo é que, com a sua qualidade, “espete” um ou dois no jogo de logo e contribua para afastar essa máquina de futebol que é a seleção espanhola.


  6. É bom jogador, mas não me parece grande desportista.
    Já quanto a ser o melhor, é uma discussão que só envolve avançados e em que os outras posições nunca interessam e isso, para mim, não tem interessse nenhum.


  7. Reduzir a lista a dois jogadores já não me parece mau. Dizer que este é melhor do que foi aquele é sempre arriscado e envolve a comparação de factores incomparáveis. Mas a carreira internacional de Ronaldo, o facto dele se ter imposto nos melhores campeonatos e clubes do mundo, o facto de ainda estar a pouco mais de metade da sua carreira, a sua mediatização imparável, a pressão com que lida diariamente, a hostilidade provocadora com que se defronta, especialmente no campeonato espanhol (hostilidade que Eusébio, no seu tempo, nunca conheceu), o facto de jogar em equipas “galácticas” compostas pelos melhores, escolhidos a dedo, e também aí triunfar da forma tão destacada como o faz, a solidez do seu futebol, as suas capacidades técnicas, físicas e mentais, levam-me a este poste.
    Isto, claro, sem retirar o mínimo valor a jogadores tão fantásticos como os outros que referi e, sobretudo, a Eusébio da Silva Ferreira. Mas Ronaldo vai terminar a carreira uns patamares acima, disso tenho a certeza..

  8. rui lima says:

    o meu caro de futebol,percebe zero,cristiano podia ser um grande jogador mas não é.


    • Sou eu, o José Mourinho, o Ferguson, o Maradona, o Beckembauer e todos os outros que elogiam Ronaldo, que de futebol percebemos zero.
      Mas o Rui Lima percebe tanto que até já ouvi dizer que vai substituir o Guardiola nos comandos do Barcelona (quer dizer, podia ir, mas não vai)

  9. Sérgio Sodré says:

    Peyroteo foi o melhor de sempre com médias bem superiores a qualquer outro português.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.