Cristiano Ronaldo e os desacatos em Torremolinos

De todos os escritos que li por estes dias, a propósito dos acontecimentos de Torremolinos, houve um texto que me marcou de forma muito particular. Publicado no jornal ECO, o artigo de Rui Calafate (RC) é simplesmente fabuloso. Partindo do óbvio – que o CR7 é o maior – RC regista, logo no primeiro parágrafo, que o capitão da selecção nunca foi a Torremolinos em viagem de finalistas. Daqui para a frente é toda uma injecção sobre as qualidades do craque, que nasceu e cresceu num meio desfavorecido, que lutou e trabalhou muito, mais do que a maioria, para chegar onde chegou, e que continua a superar-se todos os dias. Sim, Rui, já todos sabemos o que vale Cristiano, não é preciso tentar transformar o homem numa multinacional e uma multinacional num exemplo de ética e boas práticas. [Read more…]

O futebol ama a dor: apontamentos humorísticos e solidários

[André Camandro]

Fala-se tão pouco do futebol amador. Quanto a mim, é injusto que mereça tão pouca atenção de todos nós, como dos média, que persistem em ignorá-lo, quase como se de certas modalidades profissionais, como o atletismo ou o hóquei em patins se tratasse. Como disse, não é justo. Todos nós, os futebolistas amadores, mereceríamos certamente mais. Se não podemos competir com os profissionais no talento, ou no ordenado (no fundo, em quase nada), resta sempre algo em que, vou imodestamente assumi-lo, somos iguais: as lesões.

É verdade. Falo de lesões tão graves que nos mantêm longos meses afastados dos relvados. É o único plano, geralmente horizontal, em que podemos competir com Maradona. Claro que é uma vantagem, quando isto acontece, não termos um contrato ou um ordenado a perder. Mas não chega. Os danos morais são enormes, e atingem famílias inteiras. É para vos falar de uma dessas lesões, e do drama que se lhe seguiu, que escrevi estas linhas. No fundo, é uma homenagem. Ao amadorismo, à falta de talento, à inépcia pura, mas também à paixão, que poderia comparar à de um qualquer Garrincha. [Read more…]

Talvez ficasse melhor

Bananas international airport

Assalto ao (nome do) aeroporto

Claro que, quanto ao caricato disparate do aeroporto da Madeira, poderíamos desejar que Cristiano Ronaldo recusasse a honra. Porém, apesar de um génio da bola e um sobredotado em vários aspectos, no fundo é ainda um garoto imaturo e deslumbrado demais para perceber a armadilha que lhe ficará amarrada aos pés. Quanto ao presidente do governo regional da Madeira, Miguel Albuquerque, seria esperar demais vê-lo abdicar do seu rasteiro oportunismo e populismo barato e perceber que um jovem ainda tem muito tempo – e direito – para desgostar – por razões respeitavelmente humanas – quem o homenageia com um cheque de confiança absoluta no futuro. Não é por acaso que gente bem mais sábia que Albuquerque espera pela maturidade ou morte do homenageando para o honrar na toponímia. É porque, na velha tradição positivista, estes homenageados se constituem em referências cívicas e culturais que podem servir de exemplo aos vindouros. Homenagear deste modo após a morte não é sinal de morbidez, mas de sabedoria. Claro que o governante madeirense já refutou esta ideia, debitando as tolices apropriadas ao tema naquele tom modernaço e négigé tão grato aos neo-reaccionários.
Suponho que quem faz o favor de me ler está, neste momento, a pensar em vultos madeirenses de indiscutível grandeza, como Herberto Helder, ou em grandes figuras ligadas à aviação e ciência como Gago Coutinho. Qualquer deles seria mais adequado. Mas duvido que o primeiro desejasse tal honra e o segundo a quisesse vinda de quem vem e, de resto, já tem o seu nome espalhado por toponímia dos quatro cantos do mundo.
Finalmente, já o escrevi aqui, não me parece que os que dão o nome a aeroportos venham a ter uma memória alegre. É que não há boas notícias relacionadas com esses lugares. Só más. E, se tudo corre bem, notícia nenhuma.

Efectivamente, a ideia de batizar parece-me ridícula

Ao contrário daquilo que a SIC anda por aí a divulgar, Miguel Sousa Tavares não disse

A ideia de batizar o aeroporto com o nome de Cristiano Ronaldo parece-me ridícula.

Eis aquilo que Sousa Tavares, de facto, disse

A ideia de baptizar o aeroporto com o nome de Cristiano Ronaldo eu acho duma absoluta infelicidade, para não dizer mesmo ridícula.

Exactamente: baptizar.

Como é sabido, baptizar [batiˈzaɾ] ≠ *batizar [bɐtiˈzaɾ].

Efectivamente.

***

O Glorioso e as paragens

Le développement vers la «structuration fléchie» se trouve reflété également dans les indications scéniques, bien que de façon moins nette pour ce qui est des oppositions morphologiques sur le verbe.

Clive Perdue

***

Efectivamente, depois de o Record ter trazido notícias desagradáveis, redigidas em português europeu, sobre Horta,

record-15112016

chega a vez de o jornal da irresponsável resistência silenciosa (de novo, os meus agradecimentos ao nosso excelente leitor) fazer exactamente o mesmo e no mesmo código ortográfico, ao referir-se à lesão do glorioso Salvio, marcador do primeiro golo, durante a importante vitória de anteontem:

a-bola-13122016

Quanto ao sítio [Read more…]

Parabéns, Cristiano Ronaldo!

Exactamente.

Afixação proibida

image

Em Almada.

Então o 12.º jogador é este…

jogador

Viva Cristiano Ronaldo! Abaixo Cristiano Ronaldo!

Real Madrid's Cristiano Ronaldo celebrates after scoring a goal during a Spanish La Liga soccer match between Real Madrid and Real Sociedad at the Santiago Bernabeu stadium in Madrid, Spain, Wednesday, Dec. 30, 2015. (AP Photo/Daniel Ochoa de Olza)

(AP Photo/Daniel Ochoa de Olza)

Há muitos anos, um amigo meu soube que um dos seus escritores preferidos iria estar em casa de um outro amigo e pediu-lhe que os pusesse em contacto, porque quem gosta de livros tem, quase sempre, o estranho desejo de apertar a mão que os escreve. Esse pedido foi-lhe terminantemente recusado, com o argumento de que o referido escritor era uma pessoa tão desagradável que estar na sua presença iria destruir a imagem de um dos heróis desse meu amigo.

Nos últimos dias, tem havido uma espécie de debate sobre as virtudes e os defeitos de Cristiano Ronaldo. Pode parecer um assunto fútil e também é, e ainda bem, porque não há coisa mais saudável que uma futilidadezinha controlada. De qualquer modo, o futebol,  com os territórios contíguos, goste-se ou não, é um fenómeno social importantíssimo. [Read more…]

Correio da Manhã queixa-se de ser alvo de “boatos”

Não, não é invenção do Inimigo Público, nem do Portugalex. O campeão dos boatos e da não notícia, cujo expoente máximo é a CMTV, canal que enche chouriços com horas a fio de perseguição televisiva, escreveu um comunicado em quatro línguas (acordês, inglês, francês e espanhol) a ameaçar que “serão processadas nos tribunais todas as pessoas que afirmarem e propagarem tais falsidades.” Tiveram azar. É que não traduziram para alemão, a língua de quem manda na Europa, pelo que vão ser ignorados.

Aguentem-se.

CR7

Na perseguição implacável a Cristiano Ronaldo – o melhor do mundo – feita pelos seus próprios compatriotas, espelha-se todo um país de gente medíocre, invejosa e despeitada.
[Read more…]

Urge higienizar a Selecção Nacional

rony
A tarefa mais importante e mais urgente do futuro Seleccionador Nacional é a higienização da Selecção. A única forma de consegui-lo é o afastamento definitivo de Cristiano Ronaldo.
Não está em causa o valor da diva, daí escrever propositadamente antes do jogo decisivo do Euro/2016. Preparando-me para os insultos ao longo do dia e sobretudo se ele conseguir espetar 2 ou 3 golos à Hungria. As ronaldetes simplesmente não perdoarão.
A verdade é que nem sempre o valor intrínseco de um jogador é suficiente para que se justifique a sua permanência no seio de um grupo. Muitas vezes, as perdas são superiores aos ganhos.
Ronaldo é indubitavelmente o melhor e mais influente jogador português de todos os tempos, mas nem por isso a Selecção ganhou mais do que antes. Ao invés, a presença de alguém que seca tudo à sua volta, que manda e desmanda dentro dos estágios, como se de uma coutada se tratasse – sua e do seu parceiro Jorge Mendes, pode ser mais prejudicial do que benéfica. [Read more…]

«Ronaldo atira micro da CMTV para um lago»

Correio da Manhã, por qualquer razão que me escapa, refere-se a Cristiano Ronaldo como capitão da selecção brasileira: “capitão da seleção nacional“. Como sabemos, ‘selecção’ ≠ ‘seleção’.

A «mentalidade pequena» de Cristiano Ronaldo

stock-vector-cartoon-baby-crying-vector-clip-art-illustration-with-simple-gradients-all-in-a-single-layer-216397903Quando eu era miúdo, vivia convencido de que era um dos melhores jogadores da minha rua, o que era verdade, porque não havia assim tantos miúdos na minha rua. Na realidade, tinha uns pés jeitosos, o que me valia umas marcações mais duras que me assustavam e/ou irritavam, levando-me a críticas azedas aos adversários, seres horríveis que não me deixavam driblar à vontade ou mostrar a minha esplendorosa visão de jogo. No fundo, não estava muito acima das criancinhas que ficam zangadas com as mesas contra as quais se magoaram, porque a culpa só pode ser da mesa.

Crescer, na minha opinião, não implica, infelizmente, corrigir os defeitos, mas obriga, no mínimo, a saber disfarçá-los. Quando se é uma figura pública e influente, essa obrigação torna-se mais premente.   [Read more…]

Mãe de Cristiano Ronaldo em Fátima a rezar pela selecção brasileira

Segundo o Jornal de Notícias: «Mãe de Cristiano Ronaldo em Fátima a rezar pela seleção». Seleção? Efectivamente.

Vantagens de ter Cristiano Ronaldo na família

Kátia Aveiro, outrora Ronalda, vai actuar na final da Liga dos Campeões ao lado de Alicia Keys. Para quando um Grammy?

Crónicas Desportivas (5) – As ilações que Santos deve tomar

Dois jogos distintos contra duas selecções distintas, com poderios ofensivos e defensivos bem distintos e modelos de jogo quase antagónicos. Historicamente, Portugal dá-se melhor contra equipas da sua qualidade, cujo modelo de jogo seja um futebol mais aberto e mais técnico, tendo muitas dificuldades contra equipas de menor potencial como é o caso da Bulgária, selecção que faz da retranca, à falta de poderio técnico ofensivo, a sua grande arma contra as equipas de maior nomeada. Fernando Santos decerto irá tirar lições destas duas partidas realizadas na recta final da preparação para o Europeu, não esquecendo a derrota contra os Búlgaros: em França, contra Austríacos e magiares, teremos um pouco mais de Búlgaria e um pouco menos de Islândia, selecção cujo elenco é mais próximo do futebol belga.

[Read more…]

Hoje

4000

Patricia de Melo Moreira/AFP/Getty Images (http://bit.ly/1TnYKCU)

Ontem, efectivamente, além do espectacular golo do CR7, houve  facto tributário e fato tributário:

dre 1722016

Hoje?

Hoje, menciona-se “o motivo que determinou tal fato”, com uma alusão quer aos “fatos constantes da candidatura”, quer ao “contato com o solo”.

dre 1822016

Exactamente, Hoje.

A República ao nível da imprensa desportiva

“Se os portugueses me elegerem Presidente de Portugal, dos primeiros gestos que terei, um deles será para o Ronaldo”, assegurou o candidato presidencial no âmbito de uma visita ao Museu do CR7, no Funchal, no decorrer da deslocação em campanha eleitoral que efetua hoje à Madeira.

Nessa altura, acrescentou, “milhões de portugueses vibraram em uníssono com a vitória dele, como vibram todas as semanas com aquilo que de bom tem feito pelo país”.

O candidato realçou que o jogador “tem sido um caso de excelência, de exceção e Portugal é conhecido em todo o mundo – sou testemunha disso – não por outras razões muito importantes que poderiam existir, mas chega-se a um miúdo ou a uma pessoa de mais idade e diz-se ‘Portugal, Portugal'” e a resposta é “Ronaldo, imediatamente”.

 

«Marcelo Rebelo de Sousa mentiu»

RONALDO_SON_3165484c

via The Telegraph (http://bit.ly/1n2nrIR)

É esta a acusação (entretanto divulgada pelo Público) que pode ser lida no Esquerda Net, relativamente à «questão da inconstitucionalidade do OE2012»:

No debate desta segunda-feira, na Sic Notícias, Marcelo Rebelo de Sousa mentiu quando confrontado por Marisa Matias, que recordou as declarações críticas do então comentador televisivo sobre o pedido de fiscalização sucessiva do OE2012 entregue pelo Bloco e alguns deputados do PS.

O OE2012?

Lembro-me muito bem do OE2012 e fico feliz por este tema entrar na pré-campanha para as eleições presidenciais. Efectivamente, o Orçamento do Estado para 2012 foi um autêntico precursor do permanente caos orçamental em que vivemos há praticamente um lustro, como se perceberá através de leitura atenta dos sucessores OE2013, OE2014 e OE2015. Quanto ao OE2016, aguardemos com serenidade.

Recordemos que o OE2012 foi um Orçamento do Estado com “caráter acomodatício” e com “carácter universal”, com “setor bancário” e com “sector dos transportes ferroviários”, com “excepto receita de privatizações”, com “exceto ações” e com “acções e outras participações”, com “activos financeiros” e com “ativos e passivos financeiros”, com “interacção dos seguintes factores” e com “interação dos seguintes fatores“, com “despesa efectiva” e com “despesa efetiva“, com “serviços colectivos” e com “serviços coletivos“, com “protecção do meio ambiente” e com “proteção do meio ambiente”, com “contratos efetivamente celebrados” e com “efectivamente paga”, com “duas ópticas” e com “numa ótica“.

***

Pierre Boulez (1925-2016)

O jornalismo em Portugal

Pelo menos três jornais portugueses, o Record (que entretanto apagou a notícia), o Diário de Notícias e o Jornal de Notícias estão a publicar uma notícia falsa. Supostamente, o treinador do Rayo Vallecano disse que Cristiano Ronaldo lhe metia nojo. Vai daí, os jornalistas tugas, feridos na sua dignidade, apressaram-se a publicar a notícia e as declarações sem se incomodarem a procurar uma fonte credível.

Infelizmente, a notícia é falsa. Começou com uma conta falsa no Twitter e assim se propagou. Bem sei que é difícil fazer source checking de todas as notícias online (são muitas e constantes) mas numa altura em que os leitores recorrem cada vez mais ao formato online, espera-se um maior rigor nestas notícias – embora assumo que este caso tenha mais a ver com o vigor pseudo-patrioteiro dos jornalistas.

Gostaria de ver, agora, um pedido de desculpas da parte destes jornais (e de outros que provavelmente também publicaram a notícia) aos leitores e ao treinador do Rayo, Paco Jémez.

(É também caso para perguntar até onde vai esta incompetência. Hoje é um treinador de um clube espanhol mas amanhã, ou hoje mesmo, pode ser um primeiro-ministro, um presidente, um orçamento de Estado. Sabe-se-lá onde isto vai parar).

Nota: O DN publicou uma notícia em que clarificava que a notícia anteriormente publicada era falsa. O JN também já veio corrigir a notícia que tinha dado. É excelente ver os jornais e jornalistas a admitir estes pequenos erros, mesmo aqueles que são aparentemente insignificantes.

Ronaldo pede desculpas

pela adopção de ‘ato’ e de ‘irrefletido’: «Peço desculpas pelo meu ‘ato irrefletido’».

Permuta

Os gregos têm o Tsipras, os espanhóis o Iglesias e nós o Ronaldo. Como é que se faz para trocar?

O melhor

joga na Selecção. Efectivamente: Selecção. Parabéns, Cristiano.

Bola de Ouro 2015

Hoje Cristiano Ronaldo vai dizer que é Charlie

“Who should win the award for 2014?”

Cristiano Ronaldo, The Guardian. Sim, Cristiano Ronaldo. Exactamente, o Ronaldo da Selecção.

Dinamarca 0–1 Portugal

Selecção venceu (0-1) em Copenhaga com golo no período de compensação“. Efectivamente: Selecção.

Estupefacção

58 52

Ontem, alguns habitantes do planeta Terra terão ficado estupefactos com esta sondagem da CNN. São coisas que acontecem — ou, como diz o Guardiola, “son cosas que pasan. Contudo, ao contrário dos espectadores da CNN, os leitores do Diário da República já estarão tão habituados a estrangulamentos e constrangimentos, na forma de contatos, fatos e seções, que muito provavelmente já não há estupefacção que os afecte. No entanto, como o Conselho Científico do Instituto Internacional da Língua Portuguesa garante não ter identificado nem estrangulamentos nem constrangimentos, é porque eles certamente não existem.

Sim, hoje, no Diário da República:

Curriculum Vitae atualizado, detalhado, datado e assinado, acompanhado dos documentos comprovativos dos fatos naquele descritos, nomeadamente em que contem a formação e experiências profissionais, respetivas áreas e duração (os fatos curriculares não acompanhados dos correspondentes documentos comprovativos não serão considerados);

(…)

A lista unitária de ordenação final dos candidatos, após homologação, é afixada no placard da seção de recursos humanos desta Autarquia e disponibilizada na sua página eletrónica em http://www.cm-castroverde.pt, sendo ainda publicado um aviso no Diário da República.

Desejo-vos um óptimo fim-de-semana.

Mundial 2014 – Portugal vs Alemanha

Desta vez não me apetece postar o video das imagens dos golos. Todos os vimos. Todos sabemos decor o que é que falhou. Todos nós vimos aquilo que sabíamos ser previsível: a nossa selecção não jogou nada, com Paulo Bento não joga nada, não tem fio-de-jogo, não tem um colectivo, vive excessivamente daquilo que Ronaldo e mais 2 ou 3 conseguem fazer e continuando assim, arrisca-se a voltar a Portugal no próximo dia 26.

1. Nos primeiros 10 minutos de jogo ainda criámos um calafrio quando Ronaldo atirou com o pé esquerdo para defesa de Neuer. Desde cedo entendi que Paulo Bento ia apostar numa atitude defensiva, de forma a não deixar os alemães colocarem em prática a circulação de bola semi-apropriada ao Bayern de Munique de Guardiola: muitos passes entre os homens de meio-campo, muitas combinações entre o médio interior, o lateral e os alas e respectivo cruzamento para área à procura da referência de ataque da equipa, neste caso Thomas Muller, o herói da partida de Salvador da Baía. [Read more…]