Alto e pára o baile

Vou citar para vós o que, em letras gordas, vinha nos jornais portugueses, e não só, nos últimos dias:

“MERKEL QUER MAIS AUSTERIDADE NOS PAÍSES EM DIFICULDADE”;

“CRISE RENDEU À ALEMANHA MAIS DE 50 BILIÕES DE EUROS”;

“PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DA INDÚSTRIA ALEMÃ, ULRICH GRILLO, PROPÕE COMO ALTERNATIVA NA RESOLUÇÃO DA CRISE GREGA QUE ATENAS TRANSFIRA PARTE DO PATRIMÓNIO NACIONAL PARA O FUNDO DE RESGATE EUROPEU, QUE PODERÁ VENDÊ-LO PARA SE FINANCIAR”.

Esta é uma verdadeira declaração de guerra destruidora, sem tiros nem bombardeamentos, contra a Grécia, Chipre, Malta, Irlanda, Itália, Espanha e Portugal. Que ninguém caia na tola ilusão de pensar que esta ameaça é contra os outros, não contra Portugal. É contra todos estes e, lá mais para diante, atingirá a França e outros mais. Render os países em dificuldade pela fome, criar-lhes uma situação económica e financeira tal que, caídos na miséria, não terão meios de amortizar a dívida e pedirão mais empréstimos aos agiotas. A pouco e pouco, apanhar-lhes tudo o que tiverem de mais valioso no seu património a pretexto de amortizar a dívida. Quem sabe até se as ilhas que pertencem a alguns países em perda de soberania.

Lembro-me de como fiquei chocada com o excesso de riqueza de certos museus alemães, um deles a pinacoteca de Munique. Era claro como água que aquelas colecções vieram de judeus, quem sabe se acabados nas câmras de gás, porque tradicionalmente são eles os maiores amantes das artes e, em tempos de paz, grandes Mecenas. O que foi tirado da Grécia pelas tropas alemãs durante a ocupação, nunca foi devolvido, como nunca a Alemanha pagou à Grécia as centenas de milhões a que foi condenada por tribunal internacional por danos causados.  E no entanto, a Alemanha foi substancialmente ajudada no termo da guerra. Ou já se esqueceu? Porquê esta avidez? Porquê esta punição mesquinha?  Está-lhes na massa do sangue, é o que é.

Em que espécie de clube mal frequentado se tornou a União Europeia? Que vantagem há em aceitar este estado de coisas?

Para desgraça de Portugal, o nosso país está nas mãos do gang da bandeirinha na lapela, o tal de quem os alemães dizem ser excelente aluno porque, pisando todo o seu povo, está de cócoras diante dos tiranos. Esta gentinha nunca negociará nada que mude a situação pela simples razão de que não tem competência nem decência.  Quando é que os povos europeus acordam? Quando é que o povo português abre os olhos?

Esta situação vai acabar mal. A fome nunca foi boa conselheira.

 

Comments

  1. Fernando says:

    Mas Portugal não é a Grécia…

    A situação tem tudo para acabar mal, até porque a economia não está a recuperar (apesar dos esforços dos propagandista da ilusão), é a divida que verdadeiramente aumenta e os banqueiros e políticos sabem bem disso. Por enquanto, muitos ainda vão enchendo a barriga, as almofadas sociais, apesar de tudo, são bem mais que as que existiam nos anos 30 do século passado, mas até isso não vai durar para sempre com a continuada erosão da estrutura social a que estamos assistir.
    O povo português, como qualquer outro povo abre os olhos quando a miséria for bastante e insuportável o que pode levar ainda um bom bocado.

    Mas há boas notícias, os governos “democráticos” em geral estão de tal forma descredibilizados que já nem conseguem começar guerras “humanitárias e libertadoras” como antes, como é o caso americano e britânico, os povos estão saturados com tanta aldrabice e parece que as elites sentem essa saturação e temem. Os portugueses deviam também demonstrar a sua inequívoca saturação e fazer o Passos, o inSeguro e outros clones temerem, é que o problema é esse, a soberba e a alienação é tal que os “governantes” já não temem cometer as variadas sacanices contra aqueles que juraram servir.

  2. nightwishpt says:

    Não, não acaba bem, quando voltarem a explodir coisas na Europa ninguém deveria ficar surpreendido. E antes terroristas que uma guerra.

Trackbacks

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.