Acordo Ortográfico de 1990: “implementação caótica e arbitrária”

O PEN Internacional está, novamente, de parabéns:

O PEN Internacional apela assim às autoridades portuguesas no sentido de:
– Tomarem medidas imediatas para permitir a reposição do Português Europeu nos documentos e trâmites oficiais e nas escolas. Esta herança cultural comum deveria ser respeitada de acordo com a Constituição Portuguesa, com inteira liberdade face a qualquer interferência política;
– Terem em conta, ao longo deste processo, as opiniões de especialistas da língua, bem como as opções de escrita de escritores e tradutores portugueses, e garantirem que os editores renunciam a impor condições que são abusivas e restritivas face à criação literária.
[A Resolução foi aprovada por unanimidade na Assembleia de Delegados, em 12.9.2013]

Comments

  1. Apoiado.

  2. O que é que aconteceu em 1990 que deu esta situação ?? Já nem recordo tal é a iliteracia a que assisto todos os dias – na rtpinfoe«rmação João do amaral e césar das neves etá a dizer não sei o quê mas que a nossa vida económica e financeira está para durar e que depois desde corte de 10% haverá em jan 2014 mais um “especial” de outros 10% – vou ter o ordenado mínimo actual – estudei e trabalhei para nada para mim – mas para os que mandam

  3. Bem reveladora do grau cultural e literal dos governantes da altura com tendência para evoluir como o deficit na vertical a cair no negro de fumo, perdão, no negro de terra queimada do fogo posto pelos malucos que andam à solta uns, por aí, e outros bem empoleirados e a pensar como fazer anda melhor ou mesmo a tratar da viagem para bruxelas

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.