Violência no Colégio

Foi mais ou menos isto que aconteceu, há meia dúzia de anos, no Colégio Paulo VI em Gondomar. Um aluno do 1.º ciclo destruiu uma sala de aula durante um ataque de fúria, provocado por um distúrbio do foro psicológico.
Acto contínuo, o aluno foi convidado a deixar o colégio. O Encarregado de Educação ainda argumentou com os problemas emocionais do seu educando, a professora saiu em sua defesa, mas a decisão estava tomada. A mãe teve de encontrar à pressa uma escola pública que o acolhesse. O aluno foi diagnosticado e rapidamente enquadrado no Ensino Especial. Apesar de continuar a ter Necessidades Educativas Individuais, é hoje um menino que adquiriu uma grande capacidade de auto-controle.
Esta história nunca poderia ocorrer no sentido inverso. Ou seja, um aluno do 1.º Ciclo nunca poderia ser expulso da sua escola e, ao mesmo tempo, ser acolhido de braços abertos por um colégio privado.
Porque a Escola Pública é democrática, universal, inclusiva. O ensino privado não.

Comments


  1. Será a Escola Pública tão democrática e inclusiva ?
    Tenho muitas dúvidas , apesar de ter estudado
    sempre em escolas e liceus públicos , que também
    tinham os seus defeitos e muitos , sobretudo em
    termos de discriminação , por parte de alguns
    professores .


  2. Pois é – veja-se os dias de lixo de Madrid com a privatização dos grupos profissionais que nos permitem andar na rua sem ser entre a indignidade que tem é mais do que aquele LIXO que se espalhou pelo chão – como é lixo a nossa TV – cá tenho e guardo a minha teoria desta “negritude” ou negredo – que se calhar está já no rubedo pois a continuar assim o plante faz BIGBANG de novo – mas o que eu quero é o “albedo”


  3. Sobre as privatizações,Saramago nos Cadernos de Lanzarote já deu a resposta
    mais acertiva!


  4. Quantos exemplos contrários a este, na zona de Coimbra, quer? Dou-lhe um, investigue e descubra os outros. Um aluno de 15 anos que frequentava uma escola pública de Coimbra no ano letivo de 2007/2008, com 15 anos, foi expulso da escola por vender droga dentro da escola. As escolas públicas da zona, que não revelam nunca o número de vagas que efetivamente têm, porque a máfia das escolas tem tudo controlado (com dinheiro público!!) para os amiguinhos, recusaram sucessivamente a entrada deste alunos, até que foi empurrado para uma escola privada que tem um contrato com Estado. Informem-se.


  5. estava eu numa escola publica e era das mais pobres da mnha turma. no entanto, tirava sempre exelentes notas. nos testes a stora descontavame por uma virgula e nunca tiravaa vinte enquanto colegas minhas erravam exercicios inteiros e tiravam boas notas. as vezes eu perdia um valor por uma virgula no sitio errado que eu nao me lembrava de por. mudwi para o colegio e nunca mais me aconteceu semelhante. quer explicar?

  6. claudia says:

    não considero a escola publica democrática quando os filhos dos professopres nunca são colocados em turmas problemáticas, e quando dentro de um agrupamento eles podem escolher a escola que querem para os seus filhos. Na escola do meu filho, escola que escolhi em ultima prioridade existem 4 turmas da 1º classe sendo a do meu filho problematica e as outras ficaram com professores do quadro e do meu filho não teve professor, porque?
    Eu gostaria imenso de pode ter r um cheque ensino para poder escolher a escola que quero para o meu filho.
    Considero a falta de honestidade enorme nos agrupamentos

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.