“Não executivo” é turista?

working week

Depois de ter lido que Rui Rio “assumirá funções não executivas no BCP”, resolvi recuperar este meu projecto que ainda não obteve resposta positiva de nenhum banqueiro. Espero que, desta vez, algum deles se chegue à frente, carago! Será que nestas actividades os lugares são assim tipo companhia aérea? Ora, se o Rio foi nomeado para um lugar “não executivo”, vai para a classe turística, não é assim? E agora o meu projecto:

Decidi ser empreendedor. Então, dirigi-me ao banco mais próximo e apresentei a minha proposta: pretendo comprar 5% da Galp e, para isso, preciso de um empréstimo bancário. Como se compreende, é um empréstimo avultado, mas o meu projecto tem garantia de sucesso. Com esses 5% acho que consigo um cargo de administrador na Galp. Mas, atenção, administrador Não executivo, que é para não ter responsabilidades caso as coisas corram mal. Com os milhares que recebo como administrador não executivo, vou pagando em suaves prestações o empréstimo bancário. Que tal? É um bom projecto, não é?

Os cabrões recusaram. Para os convencer ainda lhes disse que este projecto já foi testado com sucesso. Dei-lhes o exemplo do Américo Amorim que fez exactamente a mesma coisa: comprou acções da Galp e nomeou a filha como administradora não executiva. E agora está a recuperar o dinheiro. Nem assim aceitaram a minha proposta.

Como é que uma pessoa pode ser empreendedora se não acreditam nos nossos projectos.

Comments

  1. nightwishpt says:

    Não vai fazer muitos amigos assim 😀


    • Mas com amigos destes, quem precisa de inimigos ? 🙁


    • Já estou a ver que também não acredita no meu projecto. Estou lixado 😉


      • o teu projecto é excelente, falta-te o factor C. Já pensaste filiar-te no bloco central? diz que às vezes ajuda…


        • Mas eu usei o factor C. Fui ao barbeiro e fiz um Corte só para ir ao banco: um Cabelinho “à foda-se”. Nem assim resultou.
          Quanto à filiação já tenho. A de nascimento 😉


          • Tinhas botões de punho? acho que sem eles nem te deixam comprar acções da Galp 😀

            A filiação de nascimento é mais honrada mas para o empreendedorismo, dizem que dá mais jeito uns cartõezinhos cor-de-rosa e laranjinhas…


          • Nem botões de punho, nem punhos de renda. Vou ter de rever a minha estratégia.
            Não uso esse tipo de cartões. O meu empreendedorismo está condenado ao fracasso.

        • José says:

          O factor C é que é melhor não, eles vêm lá com o AO90 e então é que já foste…cortam logo.


          • Ou seja, são nabos a dobrar: não aprovam o meu projecto e, ainda por cima, aplicam o Acordo Hortocoiso.

  2. portela says:

    Se queres ver um vilão, põe-lhe um pau na mão.
    .


  3. levava a caneta de ouro? Quando o melo comprou o bancoBorges depositou no cofre um cheque como valor da compra-assinado com a caneta de ouro. No fim do praso e dos pagamentos faseados(pagos com dinheiro do banco) entraran lá e foi rasgado o chequegarantia.O banco estava pago.


    • Às tantas, foi mesmo isso, levei uma esferográfica Bic laranja. Pensei que a cor fosse suficiente. Mas atenção fui todo equipado: camisolinha Lacoste às costas, camisa verde, calças amarelas e sapatinhos vela. Tudo roupa emprestada, claro. Estou ver que me faltou o toque da caneta de ouro.

  4. Carlos Fonseca says:

    Por lapso, imperdoável, não lhe transmiti os boas-vindas ao ‘Aventar’. Sem querer remendar a falha com hipocrisia, garanto que li e gostei bastante de como e do que escreve. Até à oportunidade de nos conhecermos pessoalmente.


  5. 5% é pouco… São amendoins… A falta de ambição derrotou o projecto…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.