Obrigado, Briosa!

Momento ?????? do fim-de-semana

«Embora Camões diga ser “a última flor da Lácio“, na verdade [a língua portuguesa] era um dialeto do espanhol (…)»
José Sarney

E andaram com merdas para nos sacar 4 dias de feriados

Empresas perdem 11 dias por ano a pagar impostos

A crise acabou

a crise acabou

by Alex Gozblau

Para reflectirmos durante o fim-de-semana

Efectivamente, *detetável é uma palavra detestável.

A divergência de salários na UE

Portugueses a ganhar 2,6 euros/hora preocupam PM belga; ou seja, 357,04 € mensais (2,06€*8h*5d*4,333 semanas), portanto abaixo do SMN. Uns convergem, outros divergem.

(Adenda: Refiz as contas com 2,06 € / hora, valor indicado verbalmente pelo PM belga nos telejornais. Por outro lado, mantive o critério de utilizar a base de 12 meses de trabalho remunerado, pois parto do princípio de que os trabalhadores neste tipo de contratos não recebem subsídios de férias e de Natal. O comentador Rui Fontes, com razão, chama-me a atenção para o facto do SMN ser de 3,56 €/ hora, com base no seguinte: “Horas de trabalho no ano são cerca de 1905 (11 meses* 8h*5d*4.33 semanas/mês). 6790/1905 = 3.56 euros/hora”. Se tomar em consideração este cálculo, aplicável a quem trabalha 14 meses, o salário referido pelo PM belga  fica ainda mais distante do SMN – a conclusão “abaixo do SMN” permanece, portanto, válida)  

Prazo de inscrição alargado

Parece que 35 mil já se chegaram à frente. Nada mau, considerando que o MEC não precisa de contratar, com a escolinha minimalista do Crato, mais de 10 mil. É o mercado no seu pior. Mas, se calhar são poucos e por isso a festa continua!

Madrid-Barcelona-Paris em Comboio Directo

madrid-barcelona-paris-comboioA partir de 15 de Dezembro, a Europa um pouco mais pequena.

Convergência de pensões

hypocrisy

Eis a evidente inconstitucionalidade da convergência de pensões:

[Read more…]

Contrata-se Director-Gerente

Salário: 485 euros ilíquidos.

A escória dos dias

Inspirada no título do livro ‘L’Écume des jours’ de Boris Vian de 1947, a expressão ‘a espuma dos dias’ transformou-se em ‘cliché’, escrito e reescrito, dito e redito, que lemos e ouvimos com desusada frequência. Quase sempre usada por comunicadores popularizados sem mérito.

‘A espuma dos dias’ tornou-se, para mim pelo menos, em frase intolerável e repugnante, semelhante ao ‘óleo de fígado de bacalhau’ que me forçaram a tomar às colheres em criança; embora, sei agora, este odiado óleo tenha propriedades nutrientes úteis à saúde, como o actualmente tão famoso ‘ómega-3’ e as vitaminas D, A e K.

Certo, certo é que decidi rebaptizar ‘a espuma dos dias’ e passar a chamar-lhe ‘a escória dos dias’. A decisão baseia-se, fundamentalmente, em acontecimentos, comportamentos e posições que eu e milhares e milhares de outros portugueses assistimos no dia-a-dia deste sofrido País.

[Read more…]

Foz do Tejo

foz-do-tejo

Farmácia Recruta Escravos

ou servos, dá igual.

Inscrever para a prova? Claro que sim!

Entre a classe docente a discussão vai intensa e nem sempre com os melhores argumentos. Parece-me aliás que o vEXAME é mesmo uma questão que pode vir a ficar na história da luta da classe, pelas singularidades que encerra. Escrevi há uns dias que

Há muitas dúvidas sobre o enquadramento legal que a sustenta e por isso faz todo o sentido a dimensão jurídica que os sindicatos  decidiram desenvolver (…) Parece-me também que a luta não se fará, no dia 18, através da falta dos avaliados. Esses, na minha opinião, têm mesmo que ir realizar a prova porque não acredito em lutas globais. Quem, no dia 18 (ou num outro qualquer dia), tem que se chegar à frente são os docentes dos quadros.

E suporto esta última ideia na experiência dos últimos anos:

– Quantos de “nós” (muitos agora obrigados a fazer a prova!) correram a entregar objectivos quando se pediu à classe que não o fizesse? Quantos de “nós” se candidataram aos Conselhos Gerais quando a indicação era para que os professores ficassem de fora?

Isto é, nos dois momentos em que os SINDICATOS, unidos, pediram a casa UM de nós que fizesse a sua parte, FALHÁMOS! [Read more…]

Papa Francisco e a economia mortífera

Sou agnóstico, opção, a meu ver, não impeditiva de manifestar apoio e concordância a posições políticas de religiosos – o Papa Francisco, no caso.

Nada me estorva, pois, na adesão às ideias de contestação do doloroso e injusto mundo em que vivemos, independentemente do credo ou doutrinas de quem as defende. Distancio-me de opiniões em outras matérias ditas ‘fracturantes’ – aborto, por exemplo – embora reconheça haver progressos em relação a antecessores.

Subscrevo, na íntegra, as críticas do Papa, expressas aqui, ao modelo económico universalmente dominante; críticas essas sintetizadas no 1.º parágrafo de notícia no ‘Público’:

 O Papa Francisco atacou o capitalismo sem limites como “uma nova tirania” e advertiu que a desigualdade e a exclusão social “geram violência” no mundo e podem provocar “uma explosão”, na sua primeira exortação apostólica, divulgada nesta terça-feira pelo Vaticano.

[Read more…]

Merkel, Blatter e Ronaldo, aliás, Rolando

Num encontro privado com estudantes na Universidade da Baviera II, Angela Merkel não se coibiu de comentar o caso que envolve Joseph Blatter e Cristiano Ronaldo.

Para activar as legendas, clique no rectângulo do canto inf. direito.

Mário Rodrigues Teixeira (1932-2013)

PAI

Mário Rodrigues Teixeira nasceu a 3 de Setembro de 1932, em Rio Tinto, Gondomar.

Dos 7 aos 13 anos, acompanhou a Segunda Guerra Mundial, pelos comunicados de guerra dos Aliados que lia nos jornais para o seu pai. Seguia-se a colocação das bandeiras a sinalizar num mapa as movimentações dos exércitos envolvidos. Desde cedo foi, assim, aprendendo países, fronteiras e povos. [Read more…]

A homenagem

Eanes é um homem sério e impoluto, atributos que o põem nos antípodas dos nossos governantes actuais? É. Identifico-me com as suas perspectivas políticas? Não. Mas não posso deixar de notar que até o próprio deixou clara a sua incomodidade pelos óbvios fins políticos que a homenagem que se realizou hoje mal escondeu.

A escolha desta data é uma clara afirmação de que não se estava a fazer uma homenagem nacional ao ex-presidente da República. Estava-se a fazer a festa dos que se consideram vencedores do 25 de Novembro, mesmo que o preço fosse a instrumentalização do seu suposto herói. Os outros que se afastem. Recado percebido.

Dúvida

redaccao

É isto

– Ó pá, cuidado, não vás por essa rua que está ali um prédio a cair.
– Estás-me a ameaçar! Tu queres é que o prédio caia. Assassino!

Os contributos do Pires para o projecto do nosso empobrecimento

Sim, eu sei, ele é o ministro da economia Pires de Lima. Todavia, por gozo, prefiro tratá-lo por Pires. O homem já andou pelos sumos (Compal), derivou para as cervejas (Unicer) e deste último passo vem-me à memória a frase: “Sai um fino e um pires de tremoços!”. De resto, consta, nos bastidores da política, que foi assim que, bem-humorado, o amigo Portas o convidou para o governo.

‘Com toda a cagança e com toda a pujança’, mote académico vulgar na Católica lisboeta onde estudou, o Pires veio por aí abaixo para, enfunado por poder místico, fazer a magia do ‘milagre económico’. E o efeito do feitiço aí está na economia e nas condições de vida do povo, como demonstram provas abundantes: todos os dias são penhorados 125.000 euros de pensões de idosos, que, na qualidade de fiadores, têm de liquidar as dívidas de filhos e netos desempregados e sem meios próprios para o fazer’.

[Read more…]

Mentirosos

Nuno Melo mentiu. E com ele a direita do costume.

Fazem falta pontes em Portugal!

margalho

Levantamento frente ao ex-KGB, Julho 2010. Pede-se aos leitores que façam o obséquio de indicar locais com potencial para construção de pontes adequadas à difusão de mensagens compatíveis com a presente política. O rio é opcional. Segue-se o projecto de arquitectura original.

[Read more…]

Higiene

“Mãe, pisei um César das Neves!” – disse o puto, com ar enojado. “Então limpa bem o sapato. Não entras em casa com esse fedor!” – respondeu a extremosa progenitora.

Outono

Outono

As autoridades reguladoras em Portugal

Hoje foi notícia no telejornal da RTP1 que os presidentes dos conselhos directivos das entidades reguladoras ganham entre 14 e 15 mil euros ilíquidos por mês (vídeo, a partir de 20:24).

Entidades Regulares

[Read more…]

Muda o merceeiro, continua a mercearia holandesa

O escritor Giuseppe Tomasi di Lampedusa deixou-nos a seguinte frase:

Algo deve mudar para que tudo continue como está.

Veio-me à memória quando li o seguinte título no ‘Público’:

Accionista da Jerónimo Martins propõe Pedro Soares dos Santos para presidente

À Sociedade Francisco Manuel dos Santos, controlada pela família Soares dos Santos, justamente por se tratar de uma sociedade, é permitido ser accionista único da sociedade anónima JM – legalmente é obrigatório o mínimo de cinco sócios (accionistas), em caso de participações individuais.

A mim, pelo menos, não me causa a menor surpresa que, à renúncia à presidência pelo pai, o também comentador político Alexandre Soares dos Santos, suceda o filho Pedro. Tenho a certeza, pois, de que a mudança familiar de merceeiro não ameaça os interesses da JM e do paraíso fiscal da Holanda que, continuará, a embolsar os impostos sobre os lucros da dita sociedade.

[Read more…]

JUNTOS contra o vEXAME

As organizações de Professores deram mais um passo no sentido da unidade na acção que a o vEXAME de Nuno Cratovexame nos exige. Este é o tempo de agir, mas não vale a pena trazer para a discussão argumentos sem sentido – eu quero lá saber o que tiveram ou deixaram de ter na, igualmente estúpida, avaliação de desempenho!

Vamos lá então, tentar sistematizar as questões:

a) Decisão política: para Nuno Crato a qualidade é uma consequência da avaliação. É assim no 1ºciclo, com o exame no fim da “antiga 4ª classe”, ou no 2º, com os exames no 6ºano. Para esta gente e, em certa medida para parte da equipa de Maria de Lurdes Rodrigues, avaliar é classificar e qualquer aprendiz na formação inicial de Professores sabe que a avaliação é muito mais que isso. Logo, o exame aos Professores é um elemento de coerência políticas nas práticas de Crato. Já o mesmo não poderemos dizer do PSD que em 2008 se colocou ao lado dos professores contra a prova.

E, em jeito de avaliação da medida política, o chumbo é mais que certo: ninguém vai tratar da poluição do Rio Tinto junto à Marina do Freixo. [Read more…]

Dizem que é um governo liberal

grandeexpresso-7b2f

 

 

 

 

 

 

 

Primeiro levaram os anarquistas,
Mas eu não me importei
Porque não era nada comigo.

Em seguida levaram alguns operários,
Mas a mim não me afectou
Porque eu não sou operário.

Depois prenderam os sindicalistas,
Mas eu não me incomodei
Porque nunca fui sindicalista.

Logo a seguir chegou a vez
De alguns padres, mas como
Nunca fui religioso, também não liguei.

Agora levaram-me a mim

 

Títulos alternativos (II)

Cavaco Silva, mais uma força de bloqueio