O homem que não usava teleponto

Passos Coelho encenou a sua oposição a Sócrates afirmando-se como alguém que nunca usara teleponto, tentando “passar a imagem de um político espontâneo que não necessita de preparar a sua forma de comunicar“.

Acabo de o ver no tempo de antena natalício do governo olhando o telespectador de frente, não sendo crível que o sarteano leitor da Fenomenologia do Ser tenha decorado o que disse. Deixando de lado o conteúdo, em Massamá ou onde quer que viva o idiota que lhe escreveu a mensagem alguém terá tido a visão de um país regressando à tona enquanto ele o empurra ainda mais para o fundo, fico-me por este detalhe: o homem que acabou de destruir a economia portuguesa rendeu-se à tecnologia promotora de um improvisador onde existe um mero leitor.

Um logro nem por isso muito relevante, mas com riscos: ainda lhe acontece o mesmo que a Sócrates, parte-se um vidro do teleponto e fica condenado a falar só para um lado. Espero que se lhe avarie o teleponto das traseiras, é pelas costas que melhor o veremos.

humoral

Comments


  1. Ah, como eu odeio esse sujeitinho medíocre empoleirado na cadeira de PM!

  2. Fernando says:

    Passos Coelho, Sócrates, Seguro, Obama, Hollande, Rajoy, etc são clones que vêm da mesma fábrica, o dono da fábrica controla todos os clones independentemente das variedades!


  3. Quem diz variedade diz uma sub-espécie e, abaixo desta em termos taxonómicos, a dita estirpe (como da gripe) e, estas, são altamente desagradáveis mas, igualmente, altamente contagiosas – até o ar que se respira é perigoso


  4. Em estilo “animaizinhos amestrados” para o Grande Circo


  5. Sinto-me “enjeitada” diz Ferreira Leite às 03:15h na TVi24H – nada destas medidas servem – se o pais não cresce não há nada – tema GOVERNo dos PRINCIPAIS PARTIDOS – diz Santos Silva que nenhum partido sozinho vai lá e os povos sabem e radicalizam não à esquerda mas sim à direita e quem é que beneficiamos pobres e velhos e isto e aquilo etc – o raio que os partam – conversa boa para apanhar tostões neste politoligolismo


  6. Mas repito sempre, que se chegou ao que seria “normal” em termos de evolução do que foi enunciado e iniciado em 1986 pois que a gestação do que cresce não se processa de um dia para o outro – só as bactérias nascem e crescem e vivem e morrem em 24 horas Luis Paulo Alves eurodeputado diz que se vive uma época extraordinária pelo menos em termos de agricultura – grande cão que ladra baixinho – Nem sei quem apresenta este focinho que pertence a nome que nunca serei capaz de decorar – nem focinho tem – gosto mais do da vaca açoriana que mostram ao lado – de repente aprece no écran Graça Moura que parece chéché e cara abolachada coitado – nem voz tem – estará com complexos de algo ?? fala da identidade europeia na Ass Francisco Manuel dos Santos – bem europa XXI despede-se até janeiro – Graça sem graça nenhuma – como envelhecem os canalhas

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.