Conquistas e direitos adquiridos, eis Detroit…

Ou como uma conjugação de factores que vão dos sindicatos às políticas sociais, passando por políticos e burocratas, levaram uma cidade à falência.

Tudo se resume numa pergunta, enquanto consumidor está disposto a pagar mais 1000 $usd pelo seu carro, para manter o status quo? E caso não esteja, deverá ser o contribuinte a fazê-lo através de sucessivos bailout?

Quando deixa de existir quem pague, sabemos sempre como termina…

Comments

  1. dsfg says:

    Ou como uma conjugação de factores que vão dos BPNS às políticas anti-sociais, passando por políticos e burocratas, levaram um país à falência.

    Tudo se resume numa pergunta, enquanto consumidor está disposto a pagar mais 1000 $usd pelo banco dos amigos do Cavaco, para manter o status quo? E caso não esteja, deverá ser o contribuinte a fazê-lo através de sucessivos bailout?

    Quando deixa de existir quem pague, sabemos sempre como termina…


    • Subscrevo o seu texto em resposta paralela com o do post, mas mais inteligente.

      E vão 2!


    • Estamos parcialmente de acordo. Nem um cêntimo enquanto contribuinte estou disposto a pagar para salvar um Banco da falência. Infelizmente o Estado utiliza abusivamente dinheiro que não lhe pertence. É um dos problemas quando o poder dos governos é desproporcionado face aos Direitos dos cidadãos.

      • dsfg says:

        Estamos parcialmente de acordo. Nem um cêntimo enquanto contribuinte estou disposto a pagar para salvar um Banco da falência. Infelizmente o Estado utiliza abusivamente dinheiro que não lhe pertence. É um dos problemas quando o poder de algumas elites é desproporcionado face aos Direitos dos cidadãos.

      • Fernanda says:

        De como um post e um comentário, aparentemente consensuais, o não são.

    • JgMenos says:

      De Vitória em Vitória até à Derrota final!
      .Credo do proletário verdadeiramento crente de que as falências são para os patrões.

  2. Maquiavel says:

    Realmente, quando uma qualquer carripana custa para cima de 20.000 euros, a diferença que mais faz é 1.000 a mais…
    isso nem paga umas jantes, ai que tristeza este gajo!


    • Individualmente cada um toma a decisão que entende na hora da aquisição, Serve para automóveis e também para qualquer outro bem. As escolhas têm consequências. É o mercado a funcionar e ainda bem que assim é. Prefiro escolher a ser obrigado a conduzir o que um burocrata decide. Lembram-se dos automóveis que eram fabricados a leste antes da queda do muro? Que aconteceu a essas “maravilhas” quando os cidadãos ficaram livres para escolher?…

      • dsfg says:

        “Que aconteceu a essas “maravilhas” quando os cidadãos ficaram livres para escolher?”

        essas “maravilhas” vão bem, obrigado.
        fazem parte da Renault-Nissan.

        (para quem não sabe do que fala, qualquer disparate é um argumento)


        • Nem todas. O grupo VW também adquiriu marcas e sobretudo fábricas. Mas os modelos que eram disponibilizados não sofreram propriamente uma evolução. Ninguém mais queria aqueles carros, nem o comunismo que ainda hoje a Leste da Europa é lembrado por muitos como tragédia. Mas também é verdade que existe lá algum saudosismo e que os países não são todos iguais…

          • asd22 says:

            insistir na ignorância, com a wikipedia aqui tão perto, é triste.
            os meus sentimentos.

          • Nascimento says:

            Curioso começa por escrever l( veja-se a esperteza saloia),.”Ou como uma conjugação de factores que vão dos sindicatos às políticas sociais, passando por políticos e burocratas, levaram uma cidade à falência.”!!Claro os sindicatos os politicos etc…
            Ó meu e os BANCOS?E as firmas de ADVOGADOS Á LÁ LUIS ARNAULT? E as FAMOSAS EMPRESAS Á LA MOTA E ENGIL,ETC? E OS BELOS GESTORES DA CORTIÇA ,QUE SE VIRARAM PRÓ ´PITRÓL DE ANGOLA, COM O GUITO DOS TUGAS? E A PT , EDP, E A BRISA E OS HOSPITAIS DO GRUPO MELLO ?E NÃO ESQUEÇER OS SEGURINHOS PRÁ “SAUDE” REBENTANDO COM SEVIÇOS NACINAL DE SAUDE…TUDO ISTO É O “MERCADO” A FUNCIONAR, NÉ???Pois é, no fim o KOLPADO É O KONTABILISTA,PÁ… ai tão liberal que o “sinhor” é!Como dizia o outro. -o que tu quers sei eu-!

            ps. e já agora, assim como não quer acoisa, á laia de gozo ,mas á séria,:sabe quanto vale hoje, um carro da antiga RDA, em Berlim?Não se “importava” de ter uns quantos Trabants,pois não?

          • JgMenos says:

            Trabants – há coleccionadores para toda a m…, e quanto mais m… mais raro!


      • Eu “preferia escolher” um bom veículo – seguro e confortável – mas não me livro do que o “burocrata” decide por mim.
        Foi-se o sub de Natal, foi-se o de férias, foi-se 25% do salário, veio o aumento da ADSE e mais do irs…ai….o corsazito lá continua….


        • Os subsídios por mim até poderiam ir todos, ou não. Importa o salário anual, venha ele por 12, 13 ou 14 vezes, vs. a carga fiscal. E esta sim é asfixiante em Portugal. Saí do meu país não por estar desempregado, até tive negócio próprio que não faliu. Simplesmente não estou disposto a dividir metade do meu rendimento com o Estado. É simples. É também uma opção. DIzem que é o governo mais liberal de sempre, não vejo o Estado diminuir funções, vejo sim piorar a qualidade mantendo as existentes. Os impostos não param de subir, não existe confiança para investir… A venda de automóveis novos em Portugal é um bom indicador do que falo. Regrediram quantos anos?

  3. Fernanda says:

    “Portugueses não merecem novo aumento de impostos”, diz o ministro da economia.

    E fica-se a pensar nos novos cortes salariais dos fp e reformados, mas isto deve ser o estado a diminuir funções e a emagrecer.

    Falta confiança para investir e, sobretudo, falta confiança para se viver. Junte-se as 2 coisas e deixe-se marinar….

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.