Mundial 2014 – Soltas – #1

1. Os estádios, os gastos e os protestos – Atrasos. Polémica. Manifestações. Nunca antes num Mundial, a construção de infra-estruturas para receber um evento da grandeza de um campeonato do mundo, os gastos bem como as necessidades do povo do país organizador deram tanto que falar, escrever e opinar.

Há um ano atrás, durante a realização da Taça das Confederações, prova que hodiernamente é organizada pela FIFA para o ano que antecede o mundial, de forma a serem testados pela primeira vez os estádios que irão receber o evento bem como a segurança do país organizador, Romário, agora deputado federal no Rio de Janeiro, afirmava aquando das vagas de violência que irradiavam pelos nossos televisões nas cidades que acolheram a dita Taça – “preparem-se porque o Brasil vai passar vergonha na Copa”; “a FIFA quer tudo feito, leva e não paga nada.” – Mais recentemente o baixinho afirmou: “A Fifa é uma instituição 100% corrupta. Podemos dizer que é presidente do país enquanto não acabar a Copa do Mundo. Tudo o que já foi gasto totalmente fora de controle. Inclusive foi gasto como a Fifa determinou e ainda vem dizer que pode ser uma das piores Copa.” [Read more…]

portugal e o futuro

ahcravo_DSC_8127_bateira marina

O rosnar de um regime decadente

Cão 2

Em Democracia, naquela em que ainda vivemos, o direito à manifestação ainda se mantém consagrado no ordenamento jurídico que, felizmente mas não por falta de vontade, os empregados parlamentares das diferentes máfias que compõem o sistema ainda não conseguiram alterar, para tristeza de todos aqueles que clamam por mais impunidade para o assalto diário de colarinho branco ao país que hoje celebra o seu dia. E enquanto o dia da submissão final não chega, há que ir rosnando a todos aqueles que tentaram colocar em causa o plano.

Durante a cerimónia comemorativa do 10 de Junho que teve lugar hoje de manhã na Guarda, o antigo accionistanegacionista da SLN sentiu-se mal e teve que ser retirado da tribuna onde debitava as habituais nulidades que o caracterizam. Alguns iluminados e idiotas deste país correram a culpar um grupo de manifestantes que levava a cabo um protesto legítimo contra o governo, tal como previsto no 45º artigo da “infame” Constituição da República Portuguesa. Eu sou da opinião do João José Cardoso, até porque Portugal não é uma monarquia: não está em condições para exercer funções, vá gozar a sua reforma que mal dá para as contas. Junto com a da Maria e considerando que não deve gastar um euro que seja há alguns anos, fruto de viver às nossas custas, mais caro por português do que a rainha Isabel por inglês, deve chegar.

[Read more…]

o que eu ando a ver #1

1. NBA Finals

1.1 Dita-me a experiência que nas finais da NBA, o jogo 2 é um dos momentos chave (em conjunto com o jogo 5 caso este tenha de ser realizado) que determina o vencedor da competição. Todas as equipas que tem factor casa nas finais (por factor casa entende-se o direito de jogar o jogo directivo, o 7º, caso seja necessário, em casa; esse direito advém do score averbado pelas duas equipas na fase regular, pertencendo o factor casa à equipa com melhor score averbado nessa mesma fase) jogam os primeiros dois jogos em casa. As equipas que ganham os primeiros 2 jogos em casa nas finais, raramente perdem o campeonato. Exemplo contrário foi o do ano passado por exemplo, no qual precisamente Miami e San Antonio venceram 1 partida fora. [Read more…]

Golpe de estado

golpe militar
Infelizmente desconheço quem legendou a imagem, gostava de lhe dar os parabéns.

Dia de Portugal

espelho_antigo
O cheiro a sardinhas e à salada de pimentos, o hino de esplendores todos baços como manchas num espelho demasiado antigo, a memória recente da bandeira nacional içada ao contrário, o orgulho reduzido à palavra vazia de povo lá dentro, e sempre e uma vez mais o anúncio: os portugueses são os maiores, ou pelo menos são tão bons quanto os outros: aquele complexo identitário anacrónico a cheirar a môfo (misturado com o cheiro a fumo das sardinhas), medalhas pregadas nos banqueiros e nos super-quadros de feitos multinacionais, a jangada Portugal de repente toda enfunada em navio de almirantes tenreiros, navio negreiro para piratas globais, e lá em baixo os portugueses todos rebentados a dar aos remos, e lá em cima António José Seguro já a subir ao mastro.

A coelha

coelha
No dia de Portugal, além dos discursos protocolares, brilhou, graças ao jornalismo rastejante que nos brinda, geral e entusiasticamente, com este lixo, Teresa Leal Coelho. Deputada, portadora do oportuno título de “professora de direito” – que foi para isso que foram criadas “universidades” como a Lusíada -, investigadora – como qualquer idiota pode ser – do “instituto de defesa nacional” (desculpem, mas não consigo usar aqui maiúsculas), titular de cargos vários no PSD e despedida de todas as funções e empregos não protegidos politicamente, botou jornalística entrevista e, mais do que qualquer das individualidades presentes, mereceu a servil atenção da imprensa.

Não se fez rogada, claro. As infames baboseiras que já tinham lamentável existência escrita passaram e entrar-nos pelos olhos e pelos ouvidos. Não temos para onde fugir. Retenho, sobretudo, a vontade que a senhora tem de que sejam punidos os juízes do Tribunal Constitucional sempre que decidam inconvenientemente (não estou a brincar, a criatura defende mesmo esta e outras). Em verdade vos digo: se, naquele tempo, Jeová tivesse enviado aos Egípcios semelhante praga de láparos, o Faraó Ramsés tinha cedido logo à primeira.

fiscalizar

é só para avisar a malta (inclusive o João José Cardoso) que vou à Fundação Dionísio Pinheiro analisar os Rembrandts do Vieira Duque.

A tentativa de ocultação do desmaio presidencial


Alguém me sabe dizer quem é o responsável pela realização da transmissão das cerimónias oficiais do 10 de Junho? Sendo as imagens iguais em vários canais, fico na dúvida.
É que gostava de saber quem é que deliberadamente começou a mostrar os soldados como forma de ocultar o desmaio do Presidente da República. Assim, poderia classificá-lo como um péssimo jornalista com um péssimo sentido de oportunidade. Mais ou menos como os realizadores portugueses de futebol, que decidem mostrar primeiros planos de determinado jogador ou o público quando uma das equipas está quase a marcar um golo.
Mas esses, coitados, não sabem mais. Já o realizador de hoje, bem como os jornalistas que atribuiram as culpas aos protestos populares e os fotógrafos que aceitaram apagar as fotos do desmaio, esses, sabem-na toda.

O desmaiado Silva

 

cavaco desmaiado 2

O sr. que ocupa o Palácio de Belém foi comemorar o dia da sua raça para a Guarda, onde por mera coincidência o PSD destronou o PS nas últimas eleições autárquicas. Não vi, mas pelo que leio relatado desmaiou durante um discurso, os seguranças apagaram fotografias e escorraçaram jornalistas, e algumas especialistas em medicina do desmaio associaram em directo o fanico ao facto de estar a ser apupado.

Ora ser apupado faz parte do cargo que ocupa Cavaco Silva. Não estando em condições para discursar ouvindo apupos resta a Cavaco Silva resignar, e ir fazer turismo para a Turquia e a China a expensas próprias. Parece-me simples.

E já agora, não vi, mas tenho pena: perdi uma boa ocasião de começar o dia com uma gargalhada.

Cavaco sentiu-se mal

Recuperado, terá dito “então é isto que os portugueses passam há 3 anos”.

10 de Junho

10junho

Sport faz história, Lousada vence e sobe de divisão

O Sport Club do Porto e a Associação Desportiva de Lousada Hóquei foram, ontem, os grandes destaques da modalidade, a nível internacional. Em Bratislava, os de Vale do Sousa, ainda que desfalcados de pedras basilares, venceram a prova e subiram de divisão; as meninas do Sport atingiram o pódio na prova em que foram anfitriãs e que a a equipa francesa de Merignac conquistou.

sport

[Read more…]

A rapariga das brincadeiras

jogo_mata

Depois de se ter referido ao sucedido como tendo sido uma “brincadeira”, Teresa Leal Coelho continua os seus jogos em entrevista ao PÚBLICO. Desta vez no recreio, a miudagem joga ao mata e o piolho procura acertar em cheio no Tribunal Constitucional. Mas o jogo não tem árbitro e a inversão das regras segue impune.

Esta gente é perigosa e os que os apoiam, de forma explicita ou encapotada em opiniões aparentemente moderadas, são os novos camisas castanhas desta direita sem lei. Segue-se o quê? Vidros partidos e partido único?

[imagem]