Cratenstein

Nuno Crato, qual Victor Frankenstein em versão imbecil, não consegue enfrentar o monstro que criou. Mas também não quer. Em vez de ficar horrorizado com o resultado da sua obra, como aconteceu com o original, justifica-a, desculpa-a e, no cúmulo da estupidez, insiste em elogiá-la.

Mas ele que se cuide, não vá a “Criatura” virar-se contra o criador e, como acontece na história de Mary Shelley, atacar-lhe a amada que, no caso de Crato, é a sua posição, o seu cargo, a sua glória efémera junto dos patetas. E, finalmente, exterminar o seu próprio “pai”.

Comments

  1. José Peralta says:

    Como já vimos e sabemos, com doloroso saber de experiência feito, que o “pai do monstro” e toda a “paternidade monstruosa” de que é parte, faz(em) destrambelhados quanto ridículos e patéticos pedidos de desculpa mas, sendo simultâneamente “criador(es)” e criatura(s)”, podemos esperar que se “auto extermine(m) “?

    NÃO ! O “instinto de sobrevivência” faz com que se protejam uns aos outros…

    É vê-los, aos biltres, despudorados, ignóbeis, crápulas, asnos, (sim, porque os asnos, não têm, nem precisam de vergonha !) a proclamarem que são “UM REFERENCIAL DE TRANSPARÊNCIA” para “todos” os Portugueses !

    (Aqui, permitam-me uma pausa, para a minha prolongada e irresistível gargalhada …)

    (Pronto ! Já passou…)

    E vão continuar a dizer que a culpa é do “outro”, que nos tiraram da bancarrota do “outro”, e que o País vive agora num radioso “paraíso” por “incontestável mérito do(s) monstro(s)” e demérito do…”outro” !

    E como a “múmia” está lá no remanso do “sarcófago” a comer bolo-rei , que remédio serem os Portugueses a darem-lhes o competente pontapé no(s) desavergonhado(s) traseiro(s)…

    “ONTEM” JÁ ERA TARDE ! Mas lá teremos de esperar mais um ano…TALVEZ !

  2. portela says:

    Consultei meu travesseiro sobre a verdade e eis que fiquei a saber o que já sabia; “não basta ser doutor em matemática para ser outra coisa além disto”.
    .
    Por todos os ovos no mesmo cesto, dá nisto.

  3. Porque será que nunca se fala de como chegamos a este estado do sistema de colocação de professores e do papel de cada um dos intervenientes para esta ineficiencia?
    A verdade doi às corporações? O amor a escola “publica” tem medo e é incompativel com verdade?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.