Uma recessão calorosa?

Efectivamente, terá havido uma gralha.

Eis os arautos da moralização

São estes os que nos andaram a justificar o castigo fiscal e dos cortes com o pretexto moralizador de que vivíamos acima das nossas possibilidades. Estes mesmo que, sem moral, tiveram esses negócios da Tecnoforma e da venda ilegal de acções. Que, sem vergonha na cara, não se lembram das assinaturas que apuseram.

Fisco apanha Marques Mendes em venda ilegal de ações

O Fisco detectou vendas ilegais de acções da Isohidra feitas por Marques Mendes e Joaquim Coimbra, em 2010 e 2011, e que terão lesado o Estado em 773 mil euros. As acções foram vendidas por 51 mil euros, mas valiam 60 vezes mais: 3,09 milhões.

“Contactado pelo Jornal de Notícias, o antigo líder social-democrata diz não se recordar de ter rubricado quaisquer contratos de compra e venda que dariam luz verde a esta acção, mas segundo as Finanças a assinatura de Marques Mendes está presente nos papéis.”

A notícia é de Janeiro e o visado diz que nada fez. A assinatura dele aparece nos documentos por milagre. E aí continua ele com as suas postas de pescada, o porta-voz do governo no oficioso canal de televisão. Na SIC, recentemente, disse que o orçamento para o próximo ano “não é a catástrofe que se tem dito”. Esse tal orçamento que terá uma suposta devolução de impostos e, 2016 se em 2015 houver menos fuga ao fisco. Como dessas em que um sujeito vende acções 60 vezes abaixo do seu valor para pagar menos impostos.