Ódio em nome de Deus

A comunidade islâmica do Canadá está receosa. E tem razão para o estar depois dos crimes cometidos por simpatizantes dos radicais islâmicos no Quebeque e em Otava. Martin Couture-Rouleau, de 25 anos, ao atropelar dois soldados num parque de estacionamento na província francófona, tendo morto um deles, e Michael Zahaf Bibeau, de 32 anos, ao abater a tiro o soldado que fazia a guarda de honra do Soldado Desconhecido, na capital federal, invadindo depois o parlamento, tendo no final sido ambos abatidos a tiro pelas forças de segurança, quebraram uma maneira de viver nacional feita de respeito pela diversidade e pela tolerância. Segundo país maior do mundo, depois da China, apenas com 35 milhões de habitantes, ocupando lugar de destaque entre os países com melhor qualidade de vida, o Canadá é um país onde têm vivido em harmonia, respeito e dignidade, pessoas oriundas de 190 países. É um país feito por imigrantes, onde tem sido possível respirar em paz e segurança. Ao contrário do melting pot americano (ou mesmo brasileiro), o multiculturalismo praticado pelo Canadá saldou-se pela positiva na inteira liberdade com que cada grupo étnico pode ter as suas escolas, clubes, religiões e culturas.
[Read more…]

A condenada Maria de Lurdes Rodrigues no seu melhor:

MLR

in Expresso 25/10/14

Poderia simplesmente ter sido apedrejada…

-Ao abrigo da sharia, caso tivesse permitido que a violassem, teria apenas sido apedrejada. Foi executada!

Para o resto da vida, ou talvez não…

Se alguém tem algo que possa impedir este casamento, que fale agora…

O “Alzheimer” não perdoa

Após ter perdido o rasto a 5,7 mil milhões de Euros, o administrador do BES África e antigo ministro do governo PS, Manuel Pinho, provavelmente esquecido do cargo que ocupava, pois invoca apenas 10 anos em que ocupou o cargo de administrador executivo do BES, coloca agora um acção judicial para ser pago pelo contribuinte ser indemnizado pelo Novo Banco. E de preferência pagos numa única tranche em vez da reforma que tinha negociado com Ricardo Salgado. Não vá esta ser colocada no Banco mau…

Diz-nos a lata infinita de Passos Coelho

que temos hoje “um nível de transparência como nunca existiu em 40 anos“. Afirmação a desenvolver nos próximos dias. Para já recebe o galardão de piada do dia.

Mais um tiroteio

Haverá outro país onde isto esteja sempre a acontecer?

A ler…

Palavras de Rui Rio. Onde se fala de Justiça e Orçamento. Discordo na parte das primárias. É uma decisão dos militantes de cada partido. Os eleitores avaliam depois, nas eleições…

Adeus mordomo!

É uma sentida dedicatória ao pequeno cherne, outrora revolucionário anti-burguês do MRPP, hoje um dos mais dispendiosos mordomos do mundo burocrata. Foi um orgulho e uma honra vê-lo abandonar o país a meio do mandato para ir para Bruxelas fazer absolutamente nada de útil. Excepto para o seu dono. Ou será dona? Não importa. O que importa é que chegou o tempo para receber aquela cadeira que há muito lhe está destinada, num qualquer conselho de administração dessa Europa. Até já Durão. Vemo-nos em Belém?

(versão legendada)

Construção imobiliária em Sintra nos tempos de crise

sintra-dos-pequeninos

Sintra dos Pequeninos será uma das atrações da nova minicidade

Vai nascer junto ao IC19, na fronteira entre Sintra e Lisboa. Terá 70 hectares, um parque temático, hotéis e uma clínica.

O concelho de Sintra viu nascer prédios que nem cogumelos nas primeiras águas do Outono. Foi a explosão demográfica dos anos 90 e 2000, vinte anos sem lei nem plano, de construção selvagem ser ordenamento.

Os tempos agora são outros mas o bichinho pato-bravo não morreu. Com a diferença que a construção está em linha com este tempo de vacas magras. Nestes dias, querem fazer palácios pequeninos em vez de mamarrachos. É Sintra dos pequeninos.

PS: Por falar em mamarrachos, quando é que a legalidade será reposta, Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra? Não é por nada, mas até dizem que aquilo é Parque Natural, logo um mono daqueles ainda está de pé porquê? Por outro lado, há por aí muito mexilhão que ganha logo uma coima e obra abaixo por causa de um tijolo fora de sítio. Querem ver que há dois pesos e duas medidas?