Honeypot

Long Chain Mantrap

Transcrevendo directamente da Wikipedia, em informática, honeypot (tradução livre para o português, pote de mel) é uma ferramenta que tem a função de propositadamente simular falhas de segurança num sistema informático e recolher informações sobre o invasor. Tipicamente, consiste num conjunto de servidores computacionais, eventualmente com falhas de segurança e com dados aparentemente importantes. A tentativas de entrada nos servidores são registadas e acompanhadas por forma a se procurar identificar e identidade do atacante, como é que está a conduzir o ataque e o que é que procura. Existem diversos tipos de honeypots   mas todos recorrem à dissimulação e desvio da atenção de algo importante para outra coisa sem valor.

Recentemente, no debate do orçamento de estado, a maioria conseguiu transformar uma insignificante evocação de Sócrates num quase crime de lesa pátria. Portas até falou em assombração. Antes, Passos Coelho chamou incompetentes e preguiçosos aos jornalistas e comentadores, possivelmente ressentido com a constatação de que quem com facas da comunicação social mata, com as mesmas facas morre, mas também convenientemente a desviar, novamente, a atenção do debate sobre o orçamento. E os jornalistas e os comentadores fizeram-lhe o jeito, dividindo as suas energias e tempo de antena entre esta provocação e a trapalhada que foi a proposta de orçamento de estado, sucessivamente alterada, antes da discussão. Também a ministra da justiça, quando por diversas vezes se viu entalada na sua própria incompetência, trouxe à discussão o polémico, e idiota, tema da base de dados nacional de pedófilos.

Tudo formas de atrair a atenção para o pote de mel dos fait divers jornalísticos, desviando-a do vinagre político que o governo tem ministrado. É notório que o governo recorre à técnica de honeypot para manipular, o que nem é novidade, nem inédito. Cabe a todos, e aos jornalistas em particular, o bom senso não se deixarem embalar por um docinho que seja acenado à frente do nariz.

Comments


  1. Boa descrição daqueles que nos querem desviar do que é importante, para brincar na “brincadeira”. Por acaso hoje o Aventar não tem nenhum caso desses..


  2. E o orçamento será algo para levar a sério? Em primeiro lugar nunca é cumprido e em segundo lugar, enquanto se discutem os buracos anuais que se vão criando e taxa disto ou daquilo evita-se discutir as consequências sistémicas do que se faz (e as intenções subjacentes). Ou seja o próprio orçamento e o seu debate são um “honeypot”.

  3. niko says:

    cabe aos jornalistas denunciar quem são os jornaleiros


  4. Já tinha saudades tuas!! 😉

Trackbacks

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.