Autarcas que poderão vir a despedir professores: Hermínio Loureiro

A propósito da municipalização da Educação.

hermin

Hermínio Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. (PSD).

isidrofigueiredo

Isidro Figueiredo, Vereador da Educação de Oliveira de Azeméis e membro do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Soares Basto. (PSD)

Qual dos dois irá assinar o contrato?

Como é que a ministra da justiça ainda é ministra?

Portugal-Golden-Visa-Resident-Permit-Program

Depois do truque falhado do bode expiatório, cirurgicamente plantado na excelsa comunicação social, esta é uma pergunta deveras pertinente. Giro foi hoje ouvir Paula Teixeira da Cruz aproveitar para lavar a imagem com a tirada “ninguém está acima da lei” ao comentar o caso dos vistos gold. Mas, afinal, alguém está acima da lei. A ministra acusou impunemente duas pessoas de sabotagem, sem consequência que se conheça.

Já agora, sabe quanto custa um visto gold? Cinco mil e cinquenta euros durante alguns meses, o que corresponde a 10 salários mínimos, já que uma das condições de atribuição é a criação de 10 postos de trabalho.

A imagem do post é uma das que se pode encontrar nos imensos sites de “facilitação” para obtenção de vistos gold.

Quanto o Google factura em publicidade por minuto

Centenas de milhares de dólares em 90 minutos. Eis quanto valem os seus dados pessoais que disponibiliza nos serviços “gratuitos” do Google.

Midas e Portas

Conta o mito que o rei Midas transformava em ouro tudo em que tocava. Já Paulo Portas parece transformar em merda tudo quanto toca. Foi hoje preso o Director Geral do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras por sérias suspeitas de corrupção ligada aos “vistos dourados”. É assim. Portanto, axioma: Em água porca, multiplicam-se as bactérias. Em política porca, multiplicam-se os corruptos.

Municipalização da Educação: pagar às câmaras para despedir professores

Está em curso o processo de municipalização da Educação. De acordo com os agentes participantes, governo e  autarcas, o objectivo é melhorar a gestão das escolas graças à proximidade geográfica. Já se sabe que de boas intenções está o governo cheio.

É curioso notar que essa proximidade geográfica era uma realidade, antes de José Sócrates ter acelerado o processo de agrupamento de escolas, processo esse que Passos Coelho aprofundou. Até aí, as escolas eram dirigidas numa lógica de proximidade, já que as respectivas direcções eram escolhidas pelos profissionais que nelas trabalhavam: próximo mais próximo não havia.

O Paulo Guinote tem escrito sobre o tema, no blogue e não só. Em resumo, as câmaras que conseguirem empregar menos professores que os considerados necessários receberão metade daquilo que se considera ser o custo de um professor. Para confirmar, basta ler a já célebre cláusula 42ª do contrato que está a ser negociado com algumas câmaras prestimosas. [Read more…]

Prato do dia

Hoje há robalo gold, amanhã não sabemos.

Calma aí!

Quando escrevi aqui piadas sobre as taxas de António Costa, estava no meu direito de cidadão farto ser ser taxado e lixado. Mas quando o governo, sobretudo pela voz do Portas, vem, armado em paladino do povo, atacar o autarca de Lisboa tentando criar um biombo de ruído que distraia o pagode das broncas e dos criminosos esbulhos e voraz gula fiscal governamentais, eu dou um chega p’ra lá, que não quero tal companhia.

Fico chateado quando a Câmara de Lisboa me quer cobrar a entrada no aeroporto mesmo que o meu destino seja Coimbra e nunca chegue a entrar na capital – o que é, além do mais, caricato, já que a Portela não é um apeadeiro de Lisboa. Mas é só isso. Nada tem a ver, em dimensão, com o que me vai na alma com a vampirização a que sou sujeito por este governo de celerados políticos que vão, além do mais, acumulando impunemente escândalos e grosseiros erros de incompetência e pura patifaria. Há que respeitar as proporções, que eu não alinho em cenários para distrair papalvos.

Como baixar a taxa de desemprego

Só no ano passado emigraram 110 mil portugueses. Note-se: só no ano passado.

 

Governo avança com a venda da TAP

Tudo a correr como previsto: desmantela-se uma empresa pública até que esta pareça inviável, vende-se em seguida a interesses privados.

Manoel de Barros (1916-2014)

Partiu o homem do Pantanal, o sábio da terra e dos bichos, aquele que propôs como definição de poeta “um sujeito que em vez de mexer com borboletas, pedras, caracóis, mexeria com as coisas úteis”.

[Read more…]

Um médico do SNS que ganha mais que o PR?

Sim, um médico político-partidário. Entre 11 e 18 mil euros pagos por si, claro! Taxas moderadoras não-incluídas.

“O que é que os gestores da PT andaram a fazer?!”

– pergunta, com um ar severo, Cavaco. Bem, entre outras coisas, se bem me lembro, andaram a ser condecorados por ti, Aníbal.

Meet António Albuquerque

Uma história com insultos, ameaças e um marido de uma ministra pronto para partir cabeças.

Um bom homem

fernando de mascarenhas
Morreu Fernando de Mascarenhas, um homem de cultura, um democrata, uma boa pessoa. Conheci-o em Coimbra, quando veio passar aqui um ano na Faculdade de Letras sobretudo para, segundo as suas palavras, assistir às aulas de filosofia de Victor de Matos. Pessoa simples, que nunca ostentou os numerosos títulos nobiliárquicos associados ao seu nome – aos quais, de resto, não dava mais importância do que merece, como para qualquer de nós, por respeito, o nome da família – morou num andar modesto na Solum – um 4º andar sem elevador; sei disso porque morava ao lado – e convivia com os estudantes da oposição, na altura em que estavam em gestação as lutas de 1969 na Academia, processo que acompanhou e com o qual foi solidário ao ponto de dar guarida no palácio de Fronteira a estudantes que se haviam deslocado a Lisboa para, na final da taça de Portugal em que participava a Académica, fazer uma manifestação contra a ditadura. Isso valeu a Fernando de Mascarenhas a fúria de várias instâncias do regime, como se pode ver consultando os jornais da época. Perdeu-se um bom homem.