Contra-semântica, co-adopção e contra-senso

dia9b_dup1

Mark Rothko, Entrance to Subway [Subway Scene],1938, Collection of Kate Rothko Prizel (http://1.usa.gov/13sD0jg)

I try to deny myself any illusions or delusions, and I think that this perhaps entitles me to try and deny the same to others, at least as long as they refuse to keep their fantasies to themselves.

Christopher Hitchens

***

Ao ler “Implementar as ações [sic] necessárias à harmonização gráfica da língua portuguesa e da terminologia técnica, nos termos dos acordos estabelecidos”, na página 59 do documento estratégico orientador Agenda para a Década (Agenda para a Década ou Agenda pára a Década?), fiquei a matutar naquilo: “harmonização gráfica da língua portuguesa”.

“Harmonização gráfica da língua portuguesa”?

Interceptar?

“Harmonização gráfica da língua portuguesa”?

Aspectos? Perspectiva? Concepção? Facções? 

“Harmonização gráfica da língua portuguesa”?

Excepcionais convertido para excecionais? Percepção convertido para perceção? Aspecto  convertido para aspeto? Aspectos convertido para aspetos?  Perspectiva convertido para perspetiva? Perspectivas convertido para perspetivas? Concepção convertido para conceção? Respectivas convertido para respetivas? Respectivos convertido para respetivos? Confecções convertido para confeções? Receptivos convertido para recetivos? Ruptura convertido para rutura? Receptiva convertido para recetiva? Facções convertido para fações? Receptividade convertido para recetividade? Respectivamente convertido para respetivamente? Receptor convertido para recetor? Infecciosas convertido para infeciosas? Excepcional convertido para excecional? Recepção convertido para receção? Rupturas convertido para ruturas?

“Harmonização gráfica da língua portuguesa”?

“Harmonização gráfica”?

“Da língua portuguesa”?

Depois de lida a Agenda para a Década (Agenda para a Década ou Agenda pára a Década? — a dúvida mantém-se), debrucei-me sobre o texto  [Read more…]

O que me salva

A bem da Humanidade, só saio de casa depois de tomar café. Hoje a Humanidade correu um grande risco, e nem chegou a sabê-lo, porque eu decidi ir tomar o pequeno-almoço… (rufo de tambores, por favor) ao sítio a que chamam “o pão-quente”. Ora, esta operação tem a sua complexidade porque implica descer as escadas de casa, andar uns duzentos metros, cruzar-me com vários indivíduos, esperar pelas luzes verdes de semáforos, entrar, por fim, no sítio a que chamam “o pão-quente”, sentar-me tão longe quanto possível da Humanidade presente e pedir o desmedido luxo calórico do menu “croissant e meia-de-leite”.

Àquela hora, a Humanidade resumia-se a sete velhotes que alternavam a atenção entre o mergulho cauteloso da torrada no galão e o programa da manhã da RTP1. Entre observar as manchas de gordura que ficam a boiar à superfície do galão e o programa da manhã, eu sei o que preferia e não era a RTP-1, mas não tinha escolha, porque ninguém desliga a televisão nestes sítios e porque eu abomino essa prática do mergulho. [Read more…]

Não acredito que seja verdade

Deve ser invenção jornalística, o PS não é um partido que diga uma coisa na oposição e se prepare para fazer outra no governo. Não após ter criticado Hollande, não pode ser, isto só pode ser mentira…

E uma Superbock por favor!

Pires dos Tremoços

Esta cerveja, tremoços e imagem foram encontrados n’Uma Página Numa Rede Social. Uma página sempre atenta!

Muito Obrigado. Volte Sempre.

pires_de_lima_aventarA gerência agradece a preferência.

Próximo do teto da meta/estoure o teto da meta/superar o teto da meta

O ‘teto da meta’. Hoje, na Folha de S. Paulo. Ah! E ‘respectivamente’. Exacto: ‘respectivamente’, sim, mas só para alguns.

Provavelmente o pior eurodeputado

PT

(fusão de duas crónicas de cariz local publicadas no diário As Beiras a 18/9 e ontem 6/11)

Durante a última legislatura, o trabalho da eurodeputada do distrito de Coimbra, Marisa Matias, recolheu elogios da direita à esquerda – eleita melhor eurodeputada na área da saúde pelos restantes eurodeputados – pelo empenho e qualidade do seu trabalho no Parlamento Europeu. Nesta legislatura outro eurodeputado do nosso distrito, Marinho Pinto (foto do site do PE), está à beira de bater a proeza de Paulo Portas que em 1999 depois de eleito permaneceu apenas três meses no Parlamento Europeu. Marinho vai deixar o seu lugar a um segundo eurodeputado impreparado do MPT, sem qualquer trabalho de casa reconhecido sobre políticas europeias. Para quem se candidatou com a missão de dignificar a política, começa bem… [Read more…]