É preciso cortar 600 milhões na Segurança Social, diz o governo?

peneira segurança social

Recordando 2011, Segurança Social perdeu 1500 milhões de euros na bolsa. Já quanto a 2015, Segurança Social perde quase 100 milhões de euros com crise da PT. Vamos lá falar de insustentabilidade e demografia.

Comments

  1. Rui Silva says:

    Mesmo assim se mantem o argumento que uma segurança social publica e obrigatória é mais segura que a planos reforma privados ?

    cumps

    Rui SIlva

    • j. manuel cordeiro says:

      Numa pesquisa rápida: http://www.economist.com/node/3308447
      E o artigo até é de 2004, bem antes do escândalo Madoff.

      • Rui Silva says:

        Mas no caso Madoff as contribuições eram voluntárias. Só la metia o dinheiro quem queria.
        Na nossa “SSMadoff”, somos obrigados a colocar lá a nossa poupança.
        No caso Madoff já agora quem se prejudicou mais, foi quem colocou todos os “ovos no mesmo cesto”.
        Houveram muitas pessoas que tiveram lá poupanças mas foram tirando por verificarem que não era muito “natural” um fundo render sempre um valor médio elevado mesmo quando haviam baixas de mercado.

        cumps

        Rui SIlva

        • j. manuel cordeiro says:

          Eu bem que suspeitava que não devia ter referido Madoff no comentário. É tipo o mel, caiem logo. Reparou que o artigo não é sobre Madoff mas sim sobre práticas fraudulentas das seguradoras? Praticas estas que não eram do conhecimento dos clientes, logo nada poderiam fazer como precaução?

          Eu sei que é uma tese popular na direita, mas a SS não é comparável com a pirâmide de Ponzi do esquema de Madoff.

          http://www.diffen.com/difference/Ponzi_Scheme_vs_Social_Security

          • Rui Silva says:

            Um sistema que depende da entrada de novos membros para garantir o pagamento aos que já lá se encontram é um sistema em pirâmide ou também chamado Ponzi ( devido ao seu inventor)

            cumps

            Rui SIlva

  2. Rui Moringa says:

    Oh Rui Silva,
    Sabes porque razão existe Segurança Social? Lendo o comentário parece que entendes que a Seg Social é um benefício dos governos! Enganas-te…
    Não estou com paciência para explicar a razão de ser da Segurança Social e como o “fiel depositário do dinheiro” o queima em jogadas financeiras.

    • Rui Silva says:

      Caro Rui Moringa,

      Por isso mesmo, penso que devia ser dada a possibilidade de escolha onde as pessoas preferem guardar as suas poupanças.
      Você acha que o estado gere mal esses activos, mas incompreensivelmente acha que deve ser obrigatório esse mesmo estado ser o fiel depositáro das nossas poupanças.

      cumps

      Rui SIlva


  3. Já agora e perguntar não ofende…

    Um amigo fez o favor de me lembrar que em 12Mai 2015 enviei um mail no qual perguntava onde param as 17 Toneladas de Ouro emprestadas a um banco americano que faliu logo a seguir. Passou-se este “Belo Episódio de Telenovela” em 1990, tendo como intervenientes o Banco de Portugal e como Artista Principal o anibal (leia-se animal) cavaco silva que num acto tresloucado, só pode, nos deixou “encavados” com menos 17 Milhões de Gramas de Ouro que não lhe pertenciam nem ao Banco de Portugal e não me lembro de ter havido qualquer outro aval para tornar o avalista também responsável e conivente. Como não obtive resposta nem as Autoridades se pronunciaram nem tomaram qualquer medida de punição por tal Crime de Lesa-Pátria-Estado-Povo, volto a solicitar uma resposta pois isto de pagar todas as Cavalidades dos Governantes tem de ter um fim.

    Este país ainda vai pelo “cano” mais depressa do que se pensa…

  4. Rui Moringa says:

    Caro Rui Silva,
    Sim deve ser o Estado porque o Estado somos NÓS.
    Apenas esperaria que a Lei fosse cumprida, penalizando quem faz “asneiras” e que os portugueses pensassem mais na organização do seu Estado em vez de andarem entusiasmados com “amendoins”.
    Claro que não olvido que o Estado está capturado pelos partidos e estes por organizações estranhas que bem manipulam o voto de muitos cidadãos.
    Nada tenho contra os seguros para governo de vida quando a velhice chegar ou uma doença. Mas num Estado de Contrato Social estas questões devem ser tratadas neste tipo de contrato e não através de contratos individuais.
    É apenas uma posição ideológica, como a sua, que é respeitável mas com a qual não concordo e, pelos vistos, não concorda com a que defendo..

    • Rui Silva says:

      Caro Rui Moringa,
      Não concordo consigo é um facto, mas não sou fundamentalista. Eu concordaria com um valor limitado obrigatório para que o estado (NÓS, contribuinte, como fez questão de realçar e eu nunca esqueço) pudesse prestar uma assistência mínima para casos de especial necessidade.
      Depois uma parte facultativa que concorreria com as soluções privadas e o cidadão escolhia e assumia o resultado da sua escolha.
      Eu sinceramente considero esta solução equilibrada e responsável.

      cumps

      Rui SIlva

  5. Fernando Antunes says:

    Andam a fazer jogos de casino com o nosso dinheiro, depois dizem que a Segurança Social não é sustentável.

    Um pouco como a situação da TAP, com uma actividade comercial bem-sucedida excepto que, aparte esse facto, faz investimentos ruinosos, por exemplo em companhias brasileiras falidas, que seguramente ninguém de bom senso com o seu próprio dinheiro faria. Que acontece depois a quem tem este poder de decisão que lesa o Estado em tantos milhões, e que torna a sua situação insustentável? Nada. Quando muito acabam condecorados pelo nosso Presidente, mas o mais certo é irem somando lugares de administração aos seus lustrosos CV’s. Faz tudo parte do plano.


  6. Depois de tantos exemplos de erros, desperdicios, mau funcionamento e desleixo dos gestores nomeados pelos governos nas empresas publicas, fico curioso onde diabo iriamos encontar bons gestores, sérios, competentes para gerir o tal paraiso publico, rentavel sustentavel. A reforma agraria devia ter servido de lição; com terras dadas, trabalhadores voluntarios, sem pagar impostos e nem uma cooperativa escapou. Agora o Alentejo está florescente com muita agriculatura a exportar para todo o lado.
    A TAP, os transportes maritimos, os transportes terrestres… geridos publicamente so conseguem gestores incompetentes; passam a privados (veja-se os estaleiros Viana) aparecem logo gestore scompetentes que poem as empresas a andar. Podemos sonhar o que quisermos, mas fazemos mal em tapar os olhos e não vermos o que complexos não nos deixam ver. Algum cliente gosta do serviço que os transporttes publicos lhe dão?

    • j. manuel cordeiro says:

      “Depois de tantos exemplos de erros, desperdicios, mau funcionamento e desleixo dos gestores nomeados pelos governos nas empresas publicas, fico curioso onde diabo iriamos encontar bons gestores, sérios, competentes para gerir o tal paraiso publico, rentavel sustentavel”

      Parece óbvio. Não deveriam existir nomeações políticas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.