A Contra lição do NTS

Vitima de um triste episódio de violência policial em Janeiro de 2012, trazido para o Aventar pelo Ricardo Santos Pinto, o rapper NTS improvisou a sua fuga a uma possível morte prematura e é hoje um dos músicos mais aclamados na cena hip hop nacional, seguido por largos milhares de fãs e um fenómeno no Youtube, com publicações a atingir um milhão de visualizações.

Mestre na arte do improviso, a percurso deste músico fala por si. A rimar desde os 14 anos, NTS – Não Tem Significado – produz à velocidade da luz e faria corar de vergonha muitos pseudo-empreendedores pendurados no orçamento de Estado que se pavoneiam por este país. O tema que vos trago é o retracto fiel de alguns dos vícios mais enraizados na sociedade portuguesa e uma crítica certeira e assertiva à uniformização de comportamentos decorrente da cultura de massas que impõe, a cada dia, um conjunto de modelos castradores de autenticidade que arrebanham multidões. Não, a cultura hip hop não são pistolas, carros de alta cilindrada e correntes de ouro. É um wake up call para uma sociedade em estado vegetativo.