Extrema direita vence em França

(FILE) A file picture dated 12 February 2012 of Marine Le Pen, leader of French far-right political party National Front (FN) arrive on stage to deliver a speech during a meeting at the Palais des Congres, in Strasbourg, France.ANSA/YOAN VALAT
A Frente Nacional, partido de extrema-direita, liderado por Marine Le Pen, obteve 30,6% dos votos, vencendo as eleições regionais francesas, à frente do partido de direita de Nicolas Sarkozy. Os Republicanos ficaram pelos 27% e o Partido Socialista do Presidente, François Hollande, recolheu apenas 22,7% dos votos.

Esta votação confirma o que as eleições anteriores francesas já indiciavam, mas que ninguém queria admitir que pudesse tornar-se uma realidade.

A Frente Nacional passou a ser o primeiro partido em França apesar de ainda ter uma curta representação  no parlamento francês.

Este resultado representa inequivocamente um tempo de mudança que deve merecer uma reflexão profunda em França mas também a nível europeu.

Comments

  1. Konigvs says:

    Refletir em quê? Refletir que a democracia só é boa quando as elites ficam satisfeitas com os resultados? É que nunca ouvi os críticos falar em reflexão profunda quando os mesmos ladrões do extremo centro de sempre ganham eleições.
    A democracia é boa quando o meu partido ganha, mas já é preciso refletir sobre ela quando os resultados não nos são favoráveis. Isso é uma democracia de trazer por casa.

    Já eu fiquei a refletir hoje, quando ouvia na rádio um sujeito dizer que grande parte dos portugueses são racistas e iriam votar na extrema-direita. Como tudo isto é irónico. Eu emigrei para tentar ganhar a vida num país mais rico, mas os outros não, nem pensar em fazer o mesmo que eu fiz! Só EU tenho esse direito!
    Foi como os resultados do referendo sobre a regionalização em Portugal. A maior percentagem de votos no NÃO veio dos Açores e da Madeira… curiosamente as duas únicas regiões autónomas no país!

    É, de facto, quando as pessoas não têm cérebro, deveríamos realmente repensar de que serve ter uma democracia.


  2. Ganham porque dão as respostas erradas às perguntas certas. Se mais alguém fizesse as perguntas certas, ganharia. Mas parece que as perguntas certas são tabu a Norte dos Alpes e dos Pirinéus.

  3. Faguntes says:

    Pela lógica do homem Coelho em quem votou nas últimas eleições, deveria ser a Le Pen a formar governo ?


  4. A esquerda, o centro, e o “centrão” persistem em ignorar o óbvio, e não estão à altura do tempo em que vivemos. Metem a cabeça na areia enquanto a Europa é invadida por uma cultura opressiva, totalitária, supremacista e mais perigosa do que o nazi-fascismo. Daí que seja “natural” que os cidadãos procurem “abrigo” em quem anuncia que os tenciona proteger… A falência da esquerda no entendimento do significado do Islão (quando sempre se insurgiu contra o cristianismo), a preguiça em lhe estudar as raízes e práticas históricas explicam o que passa e muito mais. O pensamento de esquerda é generoso no ataque ao cura da aldeia e desculpa sempre o agitador da madrassa. Despreza o “legado” pacifista e igualitário de Jesus e vai bajulando as exigências dos herdeiros do profeta da espada sangrenta. Não dá para entender… É suicida. As pessoas já perceberam que as lideranças do “centrão” são agora mais parte do problema do que da solução…

  5. joão lopes says:

    e a abstenção? foi enorme tal como em Portugal.Será que desta vez alguem começa a pensar seriamente nesta questão? Por outro lado,tenho a certeza que a maioria dos franceses Não são Racistas,logo…significa que o problema não é a dicotomia esquerda/direita mas sim os…fundamentalismos e o medo,e o seu aproveitamento pelos Media(basta lembrar o filme network para perceber que a demagogia da comunicação social só tem piorado o estado deste mundo.Recorde-se que os jornais …só pensam na maximização do lucro)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.