Mas abandona irrevogavelmente?

Paulo Portas abandona liderança do CDS-PP

bff

PS para  o PPC: os BFF não se deixam sozinhos.

Comments


  1. Desta vez temos que acreditar em Portas. Portas sabe que os portugueses tem memória selectiva. Esta decisão acontece ciclicamente naquele partido quando existe uma derrota colossal ou quando o nome de Portas começa a estar envolto em muita lama. Sai para deixar o partido às araras, para limpar o nome, a pensar num futuro regresso quando o povo já não se lembrar muito bem do que ele fez no governo e\ou para não ser acossado por qualquer situação judicial que esteja a ser magicada. Pelo meio aparece um tanso qualquer na liderança tipo Ribeiro e Castro e o partido obtém o seu pior resultado eleitoral de sempre. O resultado eleitoral fará com que, sozinhos, cegos e oprimidos pela vergonha os militantes comecem a pedir o regresso do seu Messias para alterar o rumo das coisas. Qual camaleão da política, ao seu mais fiel estilo, reaparece Portas com um novo formato político, com novas ideias e com uma política de defesa de classe diferente da anterior. Na primeira era de liderança no CDS\PP Portas era o frontman dos reformados e do pessoal do exército. Na segunda já era da classe média. Na terceira, provavelmente assistiremos a uma espécie de Portas 2020 com um anacronismo ao século XIX: virará Marxista e irá defender os trabalhadores que foram oprimidos pelo Partido Comunista.

  2. Helder P. says:

    Quem será desta vez o Ribeiro e Castro pronto a ser cozinhado em lume brando, até ao regresso providencial do Portas, Homem Novo do Largo do Caldas?

  3. Socialista sempre. says:

    Espero que quando o Portas se pirar para os E U .a P J ,esteja no aeroporto para o prender e investigar sobre 0 caso dos submarinos .