Boa onda

Pelo aspecto, parece ter ido buscar a foto do cartão de estudante, do tempo em que as fotos de retrato ainda eram a p&b.

De resto, está um cartaz bem conseguido. Tem muito boa onda.

Adenda: segundo informações de última hora, o lifting correu mal e as rugas passaram do retrato para o pano. 

Comments

  1. Konigvs says:

    No futebol contratam-se bruxos. Na politica especialistas em marketing e design. “Mal não faz”e por via das dúvidas”…
    Hoje nada vale por si só.

    Mas sim, o cartaz está bem conseguido, ainda que se não tivessem identificado quem é, eu poderia pensar que era a Helena Roseta.. ou outra gaija qualquer.

  2. Rui Naldinho says:

    Corre este visual “teenager” corre o risco de nem os velhos laranjinhas votarem nela.
    Olham pró cartaz e perguntam:
    – Quem é esta chavala?
    Responde o/a outro/a:
    – Deve ser mais uma à procura de emprego!

  3. atento às cenas says:

    este tipo de coisas costumam ocorrer só
    nos funerais


  4. A tété passou-se dos carretos ou está em regressão no tempo. Do que esta gente é capaz para não perder acesso à pia.

Trackbacks


  1. […] O cartaz teve inspiração na obra “As palavras que nunca te direi”. […]

Deixar uma resposta