As minhas desculpas


jornal_sol
Pedro Prostes da Fonseca

Já que estamos num campeonato de desculpas, também tenho as minhas a apresentar.
Peço desculpa por ter trabalhado num tabloide chamado Sol, onde a verdade era feita à medida das conveniências.
Peço desculpa por não ter tido a coragem de me ter demitido a tempo e horas desse tabloide – apesar de ter pedido para sair em duas ocasiões.
Peço desculpa por não ter tido a coragem de enfrentar ainda com mais garra o diretor do pasquim, o “arquiteto” José António Saraiva, um extraterrestre que não faz a menor ideia do que seja jornalismo.
Peço desculpa por não ter feito o mesmo com o seu adjunto, o jornalista José António Lima, jogador das sombras, que me deixou sozinho depois de ter feito uma manchete de um texto meu e contra a minha vontade, “obrigando-me” a ir a tribunal defender a minha honra – e claro que às minhas expensas.
Peço desculpa por todos os “jornalistas” que nunca deveriam exercer a profissão, porque nem percebem o que ela é – como se nota pela capa que a revista Sábado fez hoje.
Peço desculpa pelo risco de generalização – pois há “jornalistas” e jornalistas.
Peço desculpa por me abster de participar nos órgãos representativos da classe, por pura descrença e egoísmo.
Desculpas apresentadas, volto costas ao assunto incêndios – que já me fritou a moleirinha que chegue. O oportunismo de se venderem mais uns exemplares de jornais e revistas, à custa de manchar a imagem de terceiros de forma gratuita e cobarde, para mim nunca teve nem terá perdão.

Comments

  1. Rui Naldinho (partilha) says:

    Catarse? Ou um sentimento de revolta por achar que não pode valer tudo na luta pela sobrevivência, do ser humano?
    Ou seu registo, mais do que um acto de contrição, que se louva, sem direito penitência, dispensa-se, afinal somos apenas humanos, demonstra bem como as nossas elites se movem na sombra. Pior, como esmagam qualquer aspirante a profissional de excelência, que deseja estar liberto de doutrinas pré definidas, que não a deontologia.

  2. JgMenos says:

    Pediu para sair e não o deixaram?
    Isso é inconstitucional!

  3. JgMenos says:

    Uma vítima…a condição natural do esquedalho!

  4. José Peralta says:

    Ó “menos” !

    É consabida a tua alergia a quem assume uma atitude de DIGNIDADE, mesmo que as “desculpas” do autor, sejam o pretexto para um libelo acusatório !

    Tu não passas de uma vítima direitalha de ti próprio ! E essa raivinha persistente deve fazer-te a vida, e as digestões, digamos…pouco agradáveis !

    E não há alka-seltzers, para a verrina que por aqui “passeias”, os teus zurrar, uivar, ganir, (por vezes lá te ris, como as hienas…), para gáudio da grande maioria dos comentadores !

    Porque se olhares para as “mãozinhas”, (não ! Não são essas, não são as tuas, ó homúnculo…) verás que estás sempre em minoria ! Lá tens um “1” ou um “2” no “polegar para cima”, sendo previsível que “1” é o teu !

    Ó “menos” ! Vai continuando por aqui…

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s