Que tal subsidiar o consumo mínimo?

Para evitar que alguém seja impedido de entrar em bares ou discotecas por falta de dinheiro…

Comments

  1. José Feliciano Cunha de Sotto Mayor says:

    o almeida é mais favorável a que se subsidie o lucro mínimo garantido – regra geral, máximo. todos sabemos.

  2. Manuel Félix da Costa says:

    O “Drop Ping” não se faz de cima para baixo, como bem sabe.
    No entanto continua a insistir na mesma tecla.
    Entendo-o muito bem.

  3. Paulo Marques says:

    Continuam a não entrar por continuarem a parecer pobres. Ou terem a roupa errada. Ou qualquer outra coisa que os donos querem.

  4. ZE LOPES says:

    Subsidiar o “consumo mínimo”? Pois não! Mas, o que eu faria, se fosse ao fisco, era multiplicar o número de clientes pelo consumo mínimo e taxar o bar em conformidade! Ao menos, nessa altura, descobria-se se os 150 euros -ou mais!- que pedem à porta é a sério ou só um estratagema para discriminar!

  5. joão lopes says:

    eu acho que era mais,subsidiar o consumo maximo,podia ser que ficassem pelo panteão(na Golegã eram tais as bebedeiras,que até um cavalo morreu por desidratação,maus tratos e outros…,mas Portugal sempre foi o Texas,desde pelo menos do tempo do cavalheiro com nariz de abutre)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.