3.9 mil milhões de euros em cima de outros 3.9 mil milhões de euros

7.8 mil milhões será o montante injectado no Novo Banco quando o Estado português colocar mais 3.9 mil milhões de euros neste banco para cobrir as imparidades, aos quais se fala de ainda virem a ser precisos outros 400 milhõese para cenas e coisas. Esta injecção de dinheiro resulta do acordo com a Comissão Europeia para capitalizar o buraco Novo Banco, criado com a jura de nenhum português lá precisar de colocar um cêntimo.

É oportuno recordar as palavras do Governador do Banco de Portugal, do ex-primeiro-ministro Passos Coelho e de toda a tropa de comentadores da direita, David Dinis e Raúl Vaz incluídos, que lançaram louvores à decisão ímpar, segundo eles, de o Governador e o Governo de então terem tido a coragem de enfrentar Ricardo Salgado, tese repetida ad nauseum, quando da retirada de Passos Coelho do Parlamento, através da qual os soldadinhos de chumbo procuraram lançar o spin de ainda se estar para ver a dimensão do grande líder tecnoformado.

Mas esta já se vê, com efeito. Aí estão os quase dez mil milhões de euros para pagar uma solução que o Banco de Portugal achava ser a melhor e que obteve a concordância do governo Passos Coelho / Paulo Portas / Assunção Cristas, a tal que assinou de cruz na praia. Mas, como disse recentemente o ex-grande líder laranja, a reforma que ficou por fazer foi a do código do trabalho. Prioridades.

Aproxima-se outro candidato a buraco tapado pelos contribuintes: o Montepio Geral. Abram os olhos, portugueses. Ou então, caso contrário, prepararem-se para abrir a carteira.

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Agora que a dita “justiça” parece ter acordado para as coisas da bola – o alimento das sociedades abafadas – dando um ar de sua graça, depois de décadas de silêncio, será bom lembrar que:

    1 – Os responsáveis por este descalabro que nos vem depenando:estão claramente identificados
    2 – Alguns foram condenados, mas nunca cumpriram as penas
    3 – Outros gozam com a cara do cidadão.
    4 – O actual governo, tal como qualquer dos anteriores,são cúmplices no descalabro.
    5 – Os responsáveis pelo normal funcionamento da democracia, ou vieram para a televisão pôr as mãos no fogo sobre os bancos e os amigos, ou andam a distribuir beijos pelo país.
    6 – Aquela associação dita “imprensa”, mal toca no assunto
    7 – Toda a classe política, do CDS ao PCP estão metidos neste escândalo até ao tutano, mais não seja pelo silêncio que manifestam e por ausência de uma atitude clara e forme de denúncia.
    8 – O povo continua a votar nestes figurões.

    Eu sei que todos sabemos isto, mas é só para lembrar…
    Já agora, tal como diz o articulista, há mais vagas no horizonte. Vamos ficar atentos, senão mais uma vez noz passará ao lado…

    • j. manuel cordeiro says:

      A memória é a melhor vacina.

      • Queru! says:

        O problema é a malta vacinar-se eficazmente, quando envoltos por uma oferta tão grande e variada de queijos!

        Ele é o Queijo dos Segredos, o Queijo-lássico da 2ª Circular, as múltiplas Queijo-novelas, os Queijo Quer Ser Milionário…

        E ia dizer mais qualquer coisa, mas fugiu-se-me porque acaba de me assaltar o pensamento uma súbita vontade imperiosa de já-não-me-lembro-o-quêijo…!

        • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

          Caro Querul.
          Tem razão, mas a oferta é ainda maior do que apregoa. Não se esqueça, para além do queijo, da fruta e do chocolate.
          Entre tanta oferta, venha o diabo – o do Passos Coelho – e escolha …

          • Queru! says:

            Eu bem avisei que me estava a deslembrar de alguma coisa!

            ;o)

  2. Robin dos Bancos says:

    Excerto que me parece relevante de uma canção de Tom Paxton superiormente interpretada pelo saudoso Pete Seeger e que aconselho ouvida (ou melhor, escutada) por inteiro:

    “What did you learn in school today
    Dear little boy of mine?
    What did you learn in school today
    Dear little boy of mine?

    I learned our country must be strong
    It’s always right and never wrong
    Our leaders are the finest men
    And we elect them again and again

    And that’s what I learned in school today
    That’s what I learned in school”…

    Não passo o link por “pudor internético”, mas é fácil de encontrar um vídeo com a interpretação do Pete, procurando pelo primeiro verso.

    Da minha parte, acrescento apenas que… O povo não sai à rua, nem num dia assim!…

    • j. manuel cordeiro says:

      Não é por acaso que o “sistema” anda sempre de olho no que ensina na escola. De pequeno se torce o pepino.

  3. Paulo Marques says:

    Podia ser pior, podiamos ter pago para um banco alemão ficar com ele de graça. A UE foi kiducha.


  4. Não é este o banco que resultou daquele que um homem tão honesto que eu teria de nascer duas vezes para eu ser mais honesto que ele certificou, certo?

  5. ZE LOPES says:

    Se o critério for o valor recolhido nos peditórios, Ricardo Salgado irá em breve ser canonizado. Ainda em vida, que os milagres foram imensos!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.