Brasil: irmãos só às vezes

brasil_portugal_imprensa
[Luís António Santos]

Somos todos CPLP”, mas só às vezes. Somos “países irmãos“, mas só de vez em quando.
O assassinato – com suspeitas de intervenção policial – de uma vereadora no RJ está a ter um enorme impacto na sociedade brasileira mas, por cá, não mereceu sequer uma chamadinha pequenina de primeira página em nenhum dos principais diários (um deles, curiosamente, transferiu há poucos anos para o Brasil um número significativo de jornalistas…precisamente para nos dar a conhecer de uma outra forma esse ‘país desconhecido’).

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Se Marielle Franco tivesse sido vítima de Nicolás Maduro, até já o Presidente “Pastor” se tinha pronunciado. Ela, viva ou morta estaria a caminho do Prémio Sakharov. Assim, pelo andar da carruagem, cheira-me que não faltarão os escribas do costume a justificar o pretenso acto da PM Brasileira, e a deitar as culpas ao PT e a Lula da Silva.

  2. Antonio Medeiros says:

    É impressionante a solução procurada por esta governo para resolver a violéncia no país.Não se pode nagar o conhecimento deste fato: há pouco tempo foi interceptado um helicóptero com cerca de quinhentos quilos de cocaína e o principal envolvido nisto, um senador Zezé Perrela não somente está solto,mas está ainda nas funções de senador quando se um governo que tem um pingo de honra devia o ter afastado da vida pública juntamente com outros que mantem contato com ele da forma que for, incluindo pacote de quinhentos mil reais seguidos por “chip”.Desta forma, não podemos esperar melhoras na situação de violència que ocorre cá. Ninguém sabe disto,ou fingem que não sabem? Esta fato foi amplamente divulgado na época como também outro helicóptero nas mesmas condições foi interceptado proveniente da fazendo do ministro Blairo Maggi o que foi desmentido logo no dia seguinte.Estranho? Fosse meu e eu estaria na Papuda incomunicàvel.

  3. Bento Caeiro says:

    “Somos todos CPLP”, mas só às vezes. Somos “países irmãos”.
    Só que uns são mais irmãos do que outros e entretanto o nosso presidente andava pelo Algarve a ver a desgraça que é aquele casario e prédios que nunca deveriam ali estar, ainda se manterem de pé – pergunto, por quanto tempo? Existem ilusões e uma delas é a presunção do homem em pensar que sai vencedor na luta que desencadeou contra a Natureza e contra a Mãe-Terra.
    Mas voltando ao anterior, também existe a presunção por parte de uma certa classe dominante no Brasil que a aquela situação se manterá para sempre e que poderão continuar a manter a população – nomeadamente os que estão nos escalões mais baixas – contida, com estas demonstrações de força, que são os passeios de tanques pelas ruas do Rio e os ataques a figuras que contestam a situação.
    Ah a CPLP, pois para além da bronca do dito “Acordo Ortográfico” aquele do, como diz uma triste célebre “professora” que anda pelos lados do “JN”, “não se lê não se escreve”. Talvez na esperança que Portugal se torne num imenso Brasil, pela podridão. Temos ainda a invasão dos chico-espertos angolanos e dos seus amigos magistrados e empresários que por cá e por lá pairam.
    Pois, e o nosso presidente, que foi visitar o pavilhão onde foi colocada a comunidade cigana, mas também aquela gente do lugar que quer repor tudo como estava, para quê? Para no próximo Verão arrecadarem umas massas e depois no Inverno seguinte voltar tudo ao mesmo e nós o contribuinte a pagar, mas: Tudo o que irá ser feito, garanto, será sem custos para o contribuinte.
    Quanto ao Brasil da CPLP… bem pois … será que os aldrabões que andam a querer receber por coisas que já estavam destruídas, aquando dos fogos, vão conseguir receber? E os quintais no Alentejo, com as suas árvores de fruto, grande perigo para os eucaliptais do Centro e Norte do País, já estarão limpos? Tenho de ir ver… Vereadora? Quem a Assunção Cristas?! …

Trackbacks


  1. […] estão em vários monumentos espalhados pelo país. Cheios de honrarias e sangue. Na prática, a pena de morte já existe para o povo preto brasileiro e aqueles que ousam reivindicar justiça e liberdade, de Dandara a Marielle, são eliminados. Ser […]

Deixar uma resposta