Incompetência ou fraude? Você decide.

Chegámos ao ponto de se estar perante a escolha do mal menor.

Imagem: Público

“Não só eu tenho [a password] mas eu também tenho”, disse, referindo que há “necessidade de consultar documentos da primeira comissão” de que ambos fazem parte. [P]

Será possível que, no Parlamento, é preciso entrar na conta de outra pessoa para se aceder a documentos partilhados?! É o sistema informático do Parlamento assim tão fraco? Ao menos, espero que este tenha sido barato. Deixo uma dica: Dropbox.

Os jornalistas quiseram saber se não retira consequências desta sua atitude de usar uma password de um colega, como deputada e membro do CNJ, depois de o Presidente da Assembleia da República ter declarado que essa palavra-passe é “pessoal e intransmissível”. “Não vejo qual a ligação de uma questão e a outra. Não tem nada de mal. Não tem nada de errado partilhar passwords”, respondeu. [P]

Tem tudo de errado. A deputada quer dar-se ares de incompetente porque a alternativa seria admitir-se a existência de fraude? Alguém que tenha a a caridade de fazer um desenho à deputada.

A linha de defesa por parte da direcção do PSD tem sido desastrosa. Entre afirmações de não ser caso único e de se estar perante um ataque à liderança de Rio, todos omitem o aspecto fundamental de toda esta fraude, na qual se incluem as moradas falsas que os deputados têm dado, ser um ataque à democracia. A ausência de ética por parte de quem tem o dever de dar o exemplo é o adubo para a bolsanizaração do país.

[Actualização]

Afinal, a deputada Cerqueira foi apanhada com a boca na botija.

Imagem: Expresso

Emília Cerqueira decide assumir culpa no caso Silvano depois de confrontada pelo Expresso
Deputada que registou as falsas presenças do secretário-geral do PSD foi confrontada ao final da manhã com a investigação do Expresso. Prometeu para mais tarde a resposta às nossas perguntas. Depois, falou com responsáveis do PSD. E marcou uma conferência de imprensa onde vai assumir sozinha a responsabilidade pelas presenças-fantasma do secretário-geral no Plenário. Esta notícia será desenvolvida este sábado no semanário Expresso [Expresso]

E tem a lata de falar em “virgens ofendidas”. Também esta, numa frase, diz tudo sobre si própria.

Comments


  1. Incompetência a tentar justificar o injustificável.

    • Carlos Almeida says:

      Eles não querem que a identificação seja por métodos reais e biométricos, porque isso era muito complicado para alguns, mas se quiserem ter um sistema credível, a AR tem que escolher essa tecnologia de identificação

      • Paulo Marques says:

        Os sistemas biométricos também estão cheios de problemas práticos. https://www.secplicity.org/2018/02/01/3-d-printed-faces-gummi-bear-fingerprints-hackers-cracked-4-different-biometrics-tokens/
        Isso e a troika não deixa gastar dinheiro.

        • Carlos Almeida says:

          Concerteza. Estamos muito longe da perfeição na área das impressões digitais e haverá sempre maneira de dar a volta à situação como as do link que indicou.
          Mas obriga sempre a intervensão externa de ackers nem que seja amadores e sendo defraudados era difícil a justificação da senhora deputada e a comprovação da fraude.
          Mas eu estava a pensar no uso de tecnologias ópticas. Se calhar também dá vigarizar, mas sendo apanhados, a justificação era cada vez mais difícil.
          Mas ninguém vai substituir o que está porque interessa a quem tem escritórios la fora.

      • doorstep says:

        Boa, boa…!

        Um sistema que tem boa reputação funcional é o dos chips implantados – entregavam leitores com blutusse aos securitas que lhes batem a pala à entrada (quando não andam entretenidos pelas campinas fora, a plantar “armamento” à go go), e ganhavam logo controlo in-out, para cortarem as vazas aos chios-espertos que assinam o ponto e dão de frosques!

        Doch doch, assunto sério. Jawohl, sehr, sehr sério.

  2. Paulo Marques says:

    “Será possível que, no Parlamento, é preciso entrar na conta de outra pessoa para se aceder a documentos partilhados?! É o sistema informático do Parlamento assim tão fraco? ”
    O problema é que os sistemas da administração pública, e muitos do privado, são decretados de cima para baixo sem ter em consideração os requisitos do dia a dia dos utilizadores para fazer o seu trabalho.
    Se soubesse o que fazem nos hospitais para conseguir acompanhar os doentes e fazer ensaios clínicos não achava estranho. E sim, está mal, muito mal.

    • doorstep says:

      Data venia, tem toda a razão o Paulo Marques. Se também se fazem habilidades dessas nos hospitais, mais legitimidade têm os eleitos que tratam da saúde a uma nação inteira para recorrerem a métodos expeditos.

      Tudo em nome da eficiência, e a coberto de muitos anos sedm incidentes assinalaveis.


  3. foi apenas um investimento no futuro, uma demonstração de falta de coluna para quando for preciso alguém com cara de pau se lembrarem dela, como se diz uma mão lava a outra e neste país mafioso não se esquecem coisas destas, e a investidora/deputada nem é de boas famílias, como por exemplo aquelas que metem tantos familiares a leccionar na Faculdade de Direito na Universidade de Coimbra, logo tem fazer pela vida… é claramente um investimento.

  4. antero seguro says:

    Mas alguém tem dúvida que este é um esquema montado dentro do grupo parlamentar do PSD, onde escândalos deste tipo têm sido recorrentes? A deputada laranja que está na crista da onda não tem pejo em reconhecer que “é normal” terem as passwords uns dos outros. Para meio entendedor, meia palavra basta. A “Milita” Cerqueira ainda não percebeu no pântano em que vive.

    • Carlos Almeida says:

      É claro para toda a gente a origem da noticia, que curiosamente julgo que apareceu no Expresso, orgão do “Laranja Canal”
      Mas R Rio não tem alternativa senão continuar. Sair seria entregar o ouro ao bandido, isto é ao grupo da “ratazana com mixomatose” e que tem todo o apoio do pasquim digital observador, que está a conspirar na sombra para tentar substitui-lo.
      Os incompetentes dentro do PPD/PSD que nunca fizeram nada na vida a não ser uns cargos nos Jotas, para subirem aos taxos dentro do partido, estão obviamente a sabotar todo o trabalho do Rio, que nunca foi Jota e tem trabalho realizado com Presidente da Câmara.do Porto.

  5. Jota Monteiro says:

    Deixar ver a password é o mesmo que deixar ver o cu O cu? Você não tem juízo, o que é que o cu tem a ver com as calças? Pode não ter a ver com as calças mas pode ter a ver com as calcinhas. Ah sim, estou a ver e Isso já é completamente diferente e pode querer dizer muita outra coisa.

Trackbacks


  1. […] o PSD e que, tudo para aí aponta, teve divulgação activa por parte do próprio PSD. O caso do deputado ubíquo é um deles. Foi dado a conhecer com um nível de detalhe que cheira a inside job à distância. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.