A propósito,

o comércio livre é o proteccionismo dos mais fortes.

Comments

  1. Ana Moreno says:

    1- Não podia estar mais de acordo.

    2- A nível da UE, o mesmo processo já começou: “A UE acorda um controlo mais rigoroso do investimento directo estrangeiro” – https://ec.europa.eu/germany/news/20181121-eu-einig-strengere-ueberpruefung-auslaendischer-direktinvestitionen_de

    3- É preciso que os estados queiram assumir. Em Portugal, só vejo aposta no investimento directo estrangeiro, até à baba. A abertura de braços à China, com tal amplitude, é, no mínimo, ingénua.


  2. Tudo muito complicado para mim, mas atenta estou e estarei a esta razão maior que move o mundo .

    Ricardo Paes Mamede é um Senhor em Economia !
    Conheci-o desde a intervenção dele no livro ” A crise, a Troika e as Alternativas Urgentes ” de 2013,
    e desde então aprecio quanto posso as intervenções dele a nível dos media .

    Quanto ao “abrir de braços à China” em Portugal que refere, Ana, esse dragão que lenta e sabiamente foi pondo várias patas com garras predadoras tomando conta já de grande parte do mundo que não só em comércio livre, bem sabemos como e quanto dependemos já desse poderio económico amarelo e como a ele nos venderam e vendem os governantes responsáveis !!!

    Assim estamos !

    • Paulo Marques says:

      Podia ser, mas vê-lo agarrado a discussões sobre défice estrutural fazem-me duvidar muito. Uma coisa é discordar do cálculo, outra é perceber que é uma patetice ideológica.

  3. Paulo Marques says:

    A propósito também, só a PAC demonstra que o comércio livre e desimpedido não é, nem nunca foi, o objectivo real da eurolândia.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.