A sério, Marcelo?

Acho que os cidadãos têm que perceber que se se abstiverem não têm grande autoridade para criticar os políticos.” [Marcelo Rebelo de Sousa, 26/05/2019]

E os políticos que não respeitem um programa eleitoral têm legitimidade para continuar a exercer o cargo? E se nem discutirem esse programa? E se se calarem quando deviam falar, têm autoridade para criticar quem não lhes liga?

Se o Parlamento Europeu não é um reflexo da vontade dos europeus, serve mesmo para quê? Igual pergunta se aplica à eleição que enche os lugares ocos. Muita da abstenção se há-de explicar pela constatação do virar de costas aos cidadãos por parte desse Castelo de burocracia.

Para além destas considerações avulsas, há outra, esta séria, que é mortal para um Presidente da República. A democracia não se esgota no acto eleitoral e o direito de criticar não precisa de ter relação com o voto. Até porque o voto é secreto.

Se há crítica que o Presidente devia ouvir é essa da multidão que se abstém. Ou está também Marcelo a transferir a culpa da mediocridade para os eleitores? Quando não são estes, mas sim os directórios partidários, quem constitui o cardápio dos candidatos. Se os cabeça de lista são o que são, basta descer um ou dois degraus na lista para a mediocridade ser regra. Dará esta realidade autoridade suficiente para criticar os políticos, Sr. Presidente?

Comments

  1. Paulo Marques says:

    E o reconhecimento de que o PE também não serve para muito.

    • Fernando says:

      O Parlamento Europeu é apenas um ornamento para enganar os povos e ser usado como arremesso contra aqueles que apontam a natureza anti-democrática da União Europeia.

      Quem tem o poder são as organizações pós-democráticas e anti-democráticas como a Comissão Europeia.


  2. …” Se há crítica que o Presidente devia ouvir é essa da multidão que se abstém ” !!!

    Certo !! Porém,
    pobre país com a maior abstenção nas europeias mais importantes, com tudo o que isso significa, tanto da parte do povo, quanto da parte dos políticos medíocres que temos. e do sistema podre qb .

  3. estevesayres says:

    Marcelo este não o outro, aos poucos vai tendo uns tiques do outro Marcelo.. Vai uma aposta?

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Na vida real, foram padrinho e afilhado …
      Quem sai aos seus ou anda em tal escola, ainda que se disfarce bem, não consegue iludir os tiques.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.