Colocando as coisas em perspectiva (4)

Costa diz que se demite. Fica-lhe mal a birra, mas está no seu direito. Afinal de contas, ninguém deveria ser obrigado a aplicar legislação com a qual não concorda. E considerando as actuais sondagens, poderá ter que ser um governo PS a implementar este diploma.

Mas a situação é muito simples.

Se Costa e o PS não se querem ver na posição de terem que implementar a reposição total do tempo de serviço dos professores, então que não se candidatem nas próximas eleições legislativas. Não faltarão interessados para os substituir.

Feita à maneira e no seu pior

A hipocrisia de António Costa

A hipocrisia do Governo neste momento, ao ameaçar com a demissão, não é maior do que a hipocrisia dos últimos anos.
Quando é para meter milhões e milhões não orçamentados nos Bancos, o Governo segue em frente como se nada fosse. O dinheiro aparece sempre e ninguém fala mais nisso.
Ao contrário dos Bancos, neste caso não há efeitos no Orçamento do Governo.
António Costa acaba de jogar uma cartada, última e desesperada, para tentar chegar à inalcançável maioria absoluta.
Mesmo não gostando de História, ele devia lembrar-se que assim perdeu o PS a maioria absoluta em 2009 e que assim poderá perder daqui a uns meses muito mais do que isso.
Embora ele já esteja habituado a perder eleições como se as tivesse ganho.

Inventa outra, ó Costa!

As eleições legislativas estão marcadas para o dia 6 de Outubro.
Se o Governo se demitir, as eleições legislativas serão no dia 6 de Outubro.
Inventa outra, ó Costa, que essa não cola.

Vómito

Agora abriram-se as cortinas para o odioso espectáculo do lamaçal, enriquecido, à direita, pela bílis acumulada nos últimos anos.

A chantagem de António Costa

Não peço apoio aos partidos da geringonça que viabilizam o governo na A.R. com o apoio parlamentar, porque sei que discordam da minha posição. Mas caso os partidos da oposição não concordem comigo, demito-me! É esta a chantagem a que o governo de vendedores de banha da cobra sujeitou hoje o país.

Colocando as coisas em perspectiva (3)

Fonte: Wikipedia

PS a descer, PSD a estancar a hemorragia, restantes partidos estáveis. Só pode correr mal para o PS a partir daqui. Sai uma demissão?

As propostas aprovadas prevêem agora, por um lado, que os 1027 dias sejam reconhecidos (sem efeitos remuneratórios) a 1 de Janeiro. Um outro artigo proposto pelo PSD e aprovado com os votos favoráveis do CDS e abstenção da esquerda prevê ainda que, caso a verba necessária para cobrir os salários não esteja prevista no orçamento deste ano seja registada no orçamento do próximo, suportando efeitos retroactivos ao início de 2019.(…) Na prática, a decisão concentra no próximo ano uma verba de 176 milhões, segundo o Governo, ou de 50 milhões, segundo o PSD. [Negócios]

Pela dignidade da Democracia e das instituições

O Professor Doutor Eduardo Vítor Rodrigues, dirigente nacional do PS e autarca de Gaia.

Talvez comece a ser hora de a Faculdade de Letras da Universidade do Porto se pronunciar sobre isto, já que a direcção nacional do PS não o faz.

Notícia do jornal PÚBLICO:

“As queixas-crime contra o presidente da Câmara de Gaia apresentadas por autarcas, funcionários da autarquia e até por um ex-colaborador sucedem-se nos tribunais. Eduardo Vítor Rodrigues tem sido alvo de vários processos por crimes de difamação, injúria e ofensa à honra e consideração dos ofendidos, mas também há uma acção administrativa por “assédio moral”. Contactada pelo PÚBLICO, a Câmara de Gaia recusou-se a falar.

[Read more…]

Colocando as coisas em perspectiva (2)


Novembro de 2015 – O Parlamento uniu-se para formar uma maioria de apoio ao Governo. Foi a democracia a funcionar.

Maio de 2019 – O Parlamento uniu-se para formar uma maioria que aprovou um diploma. Siga para o Tribunal Constitucional.

Colocando as coisas em perspectiva

PÚBLICO, 2 de Maio de 2019

DN, 23 de Dezembro de 2018

As sondagens lá no Largo do Rato estão cor-de-rosa, é isso?

A piadinha que é uma estalada

“Eu sei que agora não temos exactamente a mais forte reputação quanto à privacidade, para dizer o mínimo [pausa para a gargalhada que não existiu]”, disse Zuckerberg, “mas estou empenhado em fazer isto bem e começar um novo capítulo para os nossos produtos”.

Dito pelo responsável de uma empresa cujo modelo de negócio é vender publicidade com base nos dados pessoais recolhidos, legalmente ou não, com conhecimento dos utilizadores ou não, tenham conta no Facebook ou não, acredita quem quer.

A questão da privacidade no Facebook não é apenas um problema de quem usa o Facebook. É de todos, pois esta empresa constrói perfis inclusivamente de quem não tem conta no Facebook.

Lista de atrocidades do Facebook: Criticism of Facebook.