O canto da sereia russa

HCSMS.jpeg

Heinz-Christian Strache, líder da extrema-direita austríaca, foi apanhado com as calças na mão em Ibiza, meses antes das eleições que fizeram dele vice-chanceler do governo de Sebastian Kurz. Numa gravação feita com câmara oculta, divulgada por jornais alemães, Strache discute a troca de contratos públicos, caso fosse eleito, por apoio eleitoral, e ainda explica à sua interlocutora como contornar as leis do financiamento partidário.

Temos evasão fiscal, financiamento ilegal e corrupção, e a extrema-direita a deixar claro que é igualmente permeável aos piores vícios que corroem os partidos tradicionais, apesar de incomparavelmente mais autoritária, intolerante e perigosa. A fachosphère de Salvini, pura, casta e a lutar contra a corrupção nas horas vagas, não resiste ao canto da sereia russa. Seja a armadilha da falsa oligarca, seja o chamamento de Putin, esse grande mecenas do novo fascismo europeu.

Comments

  1. Nuno M. P. Abreu says:

    “A Câmara Municipal de Loures, liderada por Bernardino Soares, do PCP, contratou, por ajuste direto, o genro de Jerónimo de Sousa por valores acima do vencimento do próprio presidente do município.

    Onze mil euros por mês, só no último contrato, que prevê fazer a limpeza e manutenção de paragens de autocarros e ‘mupis’ de publicidade na zona de Loures. Num dos meses, recebeu esse valor, limitando-se a mudar oito lâmpadas e dois casquilhos.

    Jorge Bernardino, casado com a filha de Jerónimo de Sousa, estava desempregado há três anos e, antes deste contrato, tinha trabalhado num talho, numa florista e num supermercado.

    Jerónimo de Sousa e Bernardino Soares foram ouvidos no âmbito da reportagem e negaram qualquer favorecimento.”

    Uma reportagem de André Carvalho Ramos, com imagem de Romeu Carvalho, edição de imagem de João Pedro Ferreira e coordenação de Ana Leal.

    • anticarneiros says:

      Porque não te calas ?

      • Nuno M. P. Abreu says:

        Porque não vivo numa sociedade comunista-fascistoide!

        • anticarneiros says:

          Mas tu és um fascistoide saudosista assumido, como comprovas com o que escreves !

          • Nuno M. P. Abreu says:

            Desculpe mas cansei de ler todos os argumentos que elencou para justificar a sua opinião.
            São tantos(!!!!) que não consigo contestar.
            Mas sobretudo eles descrevem, na sua ausência, a idiossincrasia do autor.
            À mínima oposição ideológica, Gulag com eles! Pobres daqueles que viveram e ainda vivem sob a pata dessa gente!

    • João Sequeira says:

      E o que é que uma coisa tem a ver com a outra?

      • Nuno M. P. Abreu says:

        “Temos evasão fiscal, financiamento ilegal e corrupção, e a extrema-direita a deixar claro que é igualmente permeável aos piores vícios que corroem os partidos tradicionais, apesar de incomparavelmente mais autoritária, intolerante e perigosa”, afirma o Sr. João Mendes.
        Anexei apenas uma notícia, saida nas páginas dos nossos jonais, sem qualquer comentário opinativo, para, eventualmente, quem queira, poder ou não concordar com o Sr Mendes sobre o grau de “permeabilidade aos piores vícios que corroem os partidos tradicionais” mas em Portugal onde o problema nos toca mais directamente.

  2. JgMenos says:

    Onde há Estado, há corrupção.
    Onde o Estado se intitula como paladino dos coitadinhos, não falta quem se assuma como tal e se tenha por destinatário do bodo.
    Juntem-lhe a cultura do ódio aos ricos, equiparados a ladrões, e a ladroagem assume a dignidade de luta de classes.

    É uma festa!

    • Paulo Marques says:

      Podemos sempre deixá-los sem protectores, correu tão bem quando iam para a fábrica perder membros desde os 6 anos.

      • JgMenos says:

        Ó Marques, como me comove a tua sensibilidade; lembra-me aquele tempo em que o teu avoengo, aguardava pacientemente que se cumprisse o direito de pernada para tentar propagar os seus genes.
        O Passado é um drama que dá sempre argumentos para agasalhar a cretinice do Presente.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.