“Vinde para cá que estão lá aqueles índios em Trás-os-Montes”

Lá fora, anda o Governo a vendilhar e informar sobre as grandiosas oportunidades de investimento.

Já cá dentro, a política de informação deixa mais do que a desejar, até mesmo para as pessoas directamente afectadas, como mostra a reportagem da jornalista Ana Leal.

Segundo a associação ZERO, nos últimos 16 meses foram publicados no Diário da República 26 pedidos para atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de depósitos minerais, dos quais 19 mencionam claramente a prospecção de lítio, abrangendo uma área total de 616 265 hectares.

Desses pedidos de prospecção e pesquisa, mais de 86 mil hectares são em áreas com interesse para conservação da natureza.

É um grande incómodo para a estratégia de venda, mas felizmente há gente a mexer-se, por exemplo em Covas do Barroso, onde as populações e os autarcas se mobilizam contra o projeto de mina de lítio a céu aberto, lembrando que o Barroso é Património Agrícola Mundial e onde criaram o movimento Unidos em Defesa de Covas do Barroso “Não à mina, Sim à Vida”.

E está a decorrer uma petição, que pode assinar aqui: Em Defesa das Serras da Peneda e do Soajo.

Não garanto, mas suspeito que os contratos/investimentos serão protegidos pelo tal privilegiado mecanismo de justiça privada exclusivo para multinacionais, o ISDS, que depois impede que sejam tomadas medidas em favor do ambiente e das populações. Por causa das coisas.

Comments

  1. Graça Horta says:

    Boa Ana


  2. Ana, ia para recolher-me e vim aqui ….para me inquietar de coração triste e revoltada !

    Este último parágrafo em que refere o tenebroso ISDS como demónio espreitando escondido por detrás dos arbustos faz arrepios .

    Quem nos acode quando as ganâncias à solta da matilha de salteadores com a cumplicidade dos políticos (ir)responsáveis nos estão a asfixiar lentamente ?
    Assinar petições é pouco, mas vamos continuar a denunciar com a força dessa gente valente que se está a organizar em defesa de áreas naturais como o Barroso tão essenciais ao eco sistema .
    Bem haja pela informação/denúncia, há que avisar a malta !

    Assinei a petição, mas apetece-me pegar no trabuco !!! grrrrrrrr!!

    • Ana Moreno says:

      É isso Isabela, cá vamos fazendo o que podemos… e tentando manter o equilíbrio…
      Grande abraço!

  3. JgMenos says:

    Há que preservar a crosta, na terra e no mar!
    É claro que o direito à habitação… um planozinho de urbanização…

  4. BotaAcima says:

    A TAP é nossa, e da mulher do presidente da camara de Lesboa, viva Costa e amigos.
    Eu não quero saber de nada o que me interessa é que os oficiais de justiça que ganham muito poucochino, e não tem condições de trabalho ( por isso saem ás 16 horas) vão ser aumentados.

    BotaAcima

  5. Ana A. says:

    “Não garanto, mas suspeito que os contratos/investimentos serão protegidos pelo tal privilegiado mecanismo de justiça privada exclusivo para multinacionais, o ISDS, que depois impede que sejam tomadas medidas em favor do ambiente e das populações. Por causa das coisas.”

    E apesar de todos os protestos e petições eles avançam!

    O meu contributo para este descalabro é apelar, veementemente, à diminuição global da natalidade!

    Quem quer viver num mundo tão injusto e cruel?!

    Se fosse possível escolhermos nascer, certamente, não o faríamos!

    • Ana Moreno says:

      “O meu contributo para este descalabro é apelar, veementemente, à diminuição global da natalidade!” parece-me boa ideia, Ana 🙂

  6. Anonimus says:

    Lítio é bom é lá longe.
    E no telemóvel.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.