Sondagem Aximage


Sondagem Aximage para o JN/TSF/DN. Que nos diz ela?

– Que o PS segue confortavelmente na liderança, a 11% do PSD, que não consegue descolar, apesar da pandemia e de todos os casos que envolvem o governo e o PS;

– Que o BE recupera, com uma ligeira subida nas intenções de voto, tal como o PCP, o PAN e o Livre, que regressa a valores que lhe permitem figurar nestes estudos e até eleger um deputado, ultrapassa o CDS. Boas notícias para a esquerda europeísta! Espero que não voltem a cometer o mesmo erro de casting que foi JKM;


– Que a IL continua na rota do crescimento sustentado e regista a maior subida, ombreando agora com o PCP pelo quinto lugar.

– Que o CDS surge abaixo de 1%, e só um gesto de cortesia da Aximage poderá explicar que continue a figurar nestes estudos;

– Que a extrema-direita continua em queda, apesar de continuar como segunda força à direita, ainda que a apenas 0,8% da IL. Em Janeiro, a diferença era de 3,7%. Neosalazarism is going down;

– O conjunto dos partidos de esquerda vale 52,4%. Nas Legislativas de 2019 valia 53,28%;

– O conjunto dos partidos de direita vale 39,5%. Nas Legislativas de 2019 valia 34,56%;

– Para a direita conseguir governar, é imprescindível que pelo menos um partido à esquerda alinhe. E, mesmo assim, poderá não chegar. O que de resto nunca vai acontecer, porque a direita odeia o BE e o PCP, e porque um governo PS/PSD excluiria os restantes partidos à direita.

– Para a esquerda governar, basta que o PS queira negociar à esquerda. Não confundir “negociar” com “chantagear”.

Comments

  1. José Peralta says:

    E pergunta-me o Facebook : – “Em que estás a pensar, José ?

    E eu : – Estou a pensar nestas boas notícias, esperando que se concretizem ! Porque as más, que fiquem para a Direita…que bem as merece !

    Regougante, esbracejante, ressaibiada, vingativa, burlesca e burlona, o que quer, é o “quanto pior…melhor” para o nosso país !

    Já não nos bastava uma pandemia, súbita e desconhecida, ainda temos que aturar fantoches cavernícolas, vendedores de banha da cobra, neo-nazis, e abutres adjacentes…

    “Eles” têm nome…e sabemos bem qual é…

  2. JgMenos says:

    Tudo más notícias.
    A esquerdalhada a poluir o oaís com as suas cretinices e falsas ‘verdades’.
    Mas, se consta que têm verba…a ralé segue-os.

    • Paulo Marques says:

      Pior, pá, são cretinices com que o povo traidor da pátria prefere. Era matá-los a todos como o Adolfo.

    • POIS! says:

      Pois é!

      Vá, depressa! Do que é que está à espera, ó Menos? Ralé que vai ao ar perde o seu lugar!

  3. Luís Lavoura says:

    o Livre, que regressa a valores que lhe permitem figurar nestes estudos e até eleger um deputado

    Eleger um deputado com 1,3% dos votos? Só se esses votos estiverem muito concentrados no distrito de Lisboa. Não é impossível (foi o que se passou na última eleição com o Livre e com a IL), mas é à tangente.

    Espero que não voltem a cometer o mesmo erro de casting que foi JKM

    Não me parece que JKM seja um erro de casting. Creio que se tem portado bem no parlamento. Pelo menos, tem votado contra os estados de emergência – já é muito bom.

  4. Luís Lavoura says:

    Não confundir “negociar” com “chantagear”.

    Nas negociações entre partidos grandes e partidos pequenos é mais frequente o partido pequeno chantagear o grande do que o contrário. O partido pequeno obtém nessas negociações geralmente um ganho desproporcionado em relação ao seu tamanho. É simples de explicar: o partido pequeno não tem muito a perder se não negociar, mas o partido grande perde o poder se não o fizer.

  5. Filipe Bastos says:

    As sondagens políticas deviam ser banidas.

    Só alimentam pulhitiquice e especulação, quais comentadeiros da bola a adivinhar resultados, e, pior, influenciam a carneirada que ainda vota. As sondagens afectam eleições.

    Numa democracia poderiam ter utilidade, numa partidocracia não. São nocivas para todos menos para a canalha que as controla e as empresas que as fazem. Era acabar com elas.

    De resto, qualquer sondagem que não tenha uma barra gigante a dizer ABSTENÇÃO, pelo menos três vezes maior que a do Partido Sucateiro, é falsa e enganadora.

  6. Filipe Bastos says:

    Não entendo a festa do João Mendes:
    — o PCP está a mirrar, o Berloque quase a par do Chega;
    — os carneiros do Chega costumam ter vergonha de se acusar, logo devem ser bem mais;
    — o PSD não ‘odeia’ ninguém: esta classe pulhítica só odeia não ter tacho, poleiro e mama;
    — o que é que o PS tem a ver com a “esquerda governar”?

    Certa esquerda dá o rabo por quaisquer migalhas do PS, seja uma treta identitária, um tachito para o Mamadou, ou poder continuar a fugir aos impostos no Avante.

    E é assim que vamos sendo chulados e roubados pela maior máfia do país. É assim que nos vamos voltando a enterrar nos ‘mercados’. E a esquerda toda contente: em dez anos casaram-se 9000 gays!

    • Paulo Marques says:

      Ainda no último mês mudaram a lei dos trabalhadores na segurança. Os abstencionistas mudaram o quê nesse mês?

    • Filipe Bastos says:

      No outro dia tentei um novo restaurante ali para os lados do Paralamento. A ementa: fezes, poia, estrume e bosta.

      E eu: só têm merda? O empregado: sim. Mas pode comê-la frita, cozida ou estufada. Acompanha com mijo quente.

      Fui para poia frita com caganitas. O mijo era vintage de 2015. Sabia tudo a merda, mas olhe, pelo menos não morri à fome. Temos de ver o lado positivo. E o Paulo que comeu?

      • abaixoapadralhada says:

        Aí estás no teu elemento, fachistoide envergonhado

        Como há gente que te dá troco, espanta-me, garotão

        Ate o nazi menor faz mais sentido do que tu

      • POIS! says:

        Pois tá bem! Que tal a digestão?

        Mas olhe que foi engano! V. Exa. deve ter ido parar à sede do “Chega”, que é realmente ali ao lado do Parlamento, na Rua Miguel Lupi.

        V. Exa. não estranhou porque já há muito que vem consumindo dessa dieta. Embora não o reconheça, porque mistura com uma sobremesa esquerdosa anarco-terroristeira para disfarçar o sabor.

      • Paulo Marques says:

        Lembra-se mal. O Filipe comeu o que os outros disseram para comer, que era tudo mau por isso qualquer coisa servia, já que tinha que ser.