Fascismo pós-humanista

Ainda que imposta sob os auspícios de uma estratégia linguística e semiótica diversa, o que é a Pandemia senão o aprofundamento da biopolítica da Austeridade? Qual a verdadeira filiação das práticas e discursos de demolição material e imaterial das instituições – o cidadão, a família, os rituais, as leis?
Não há descontinuidade material, nem ideológica, entre o estado de excepção que corporizou as políticas ditas de Austeridade e a criação de uma Pandemia que não apenas as aprofunda, mas as eleva a um patamar de total demolição institucional e definitivamente conquista e subjuga o último reduto da liberdade simbólica do Homem enquanto Ser Vivo.
A nova ordem é um pós-humanismo e uma luta desigual pela própria liberdade da Alma.

Citações: Ide ler o Miguel no jornal O Jogo, ide:

Hoje, o Miguel Carvalho publicou mais um artigo de opinião no jornal O Jogo. É de leitura obrigatória.

 

Que esquerda sobra a Medina ou como vencer Moedas e o regresso de Coelho e Portas?

Toda a direita, como não é surpresa, anda excitadíssima com a eterna promessa dos liberais-radicais, o pafiano Carlos Moedas. Uma espécie de Svilar, de Labyad ou de Imbula, mas oriundo da Harvard Business School. Carlos Moedas foi Secretário de Estado do famigerado governo de Passos Coelho e Paulo Portas que aprovou a lei das rendas que esvaziou, entre outras, a cidade de Lisboa, mas tem a distinta lata de chamar de “renovação” ao processo de estratificação da capital, com os pobres a serem expulsos do centro para aí dar lugar a uma disneylandia de hotéis e a uma catadupa de lofts, experiências gourmets e airbnbs, que transformaram o metro quadrado da capital num dos mais caros da Europa e do Mundo, uma Meca dos apreciadores do casino imobiliário. Não creio que haja memória, na já longa história da cidade, de um apartheid social como o que se verifica nos dias de hoje, patrocinado a duas velocidades pelos dois partidos do bloco central. Sendo Medina o outro lado da moeda de Moedas, haverá alguém de esquerda fora do arco da governação com capacidade de disputar um projecto de recuperação para a cidade que tenha como prioridade a devolução da cidade às pessoas que nela trabalham? Sobrará esquerda que perceba que tentar derrotar Carlos Moedas com Fernando Medida é o mesmo que caçar moscas com mel?