O Aventar vem de longe

[Paulo Guinote, O Meu Quintal]

O Aventar faz doze anos, o que em idade de blogues é certamente uma idade de respeito. O Aventar é dos tempos em que os blogues serviam para  comunicar algo de diferente, informar mais, esclarecer o que se sentia que não tinha lugar nos meios de comunicação tradicionais e não apenas para vender fraldas, cosméticos ou cera para a ponta dos bigodes. É do tempo – e assim se mantém – em que não se entrava numa página tão carregada de publicidade que dá vontade logo de sair, tamanha a dor nos olhos e na alma.

Apesar do aspecto que não hesito em classificar como “clássico” (partilho o gosto por aquele fundo branco), soube adaptar-se aos tempos, espalhando-se pelas redes sociais e até tendo agora – o tempora, o mores! – um podcast de sucesso. Ao contrário de umas teses peregrinas que por aí andam, o Aventar está muito vivo e recomenda-se. Ao contrário de outros blogues que se limitam a sobreviver para dar visibilidade a uns quantos aspirantes a assessores de grupos parlamentares ou governantes, o Aventar existe porque faz sentido em si mesmo.

Continua em formato de colectivo, como nasceu, quando essa era a quase norma dos blogues de maior impacto na área da política, para que a produção se mantivesse regular e diversificada. Sempre foi por aqui que divergimos, porque sou vergonhosamente individualista e não consigo renegar um indesmentível sentido de propriedade sobre os meus territórios. Quando o Aventar surgiu em 2009, ajudou a ventilar uma blogosfera que estava muito polarizada e organizada em feudos muito marcados em termos ideológicos. Porque não trazia um emblema logo ao peito, nem era o espaço de uma causa única. Ainda se mantém assim, felizmente.

Venham mais doze, claro, é o que se deseja, não apenas por cortesia de convidado de circunstância, mas por convicção. Porque precisamos de quem resista e de quem escreva, mesmo que em redor outros definhem; como ainda há pouco escreveram:

“a blogosfera foi definhando mas nós seguimos o nosso caminho, um caminho das pedras por onde fomos caminhando graças a vocês. Aliás, internamente, sempre foi dito que enquanto tivermos leitores, vamos continuar. Persistir. Resistir. E vocês foram o nosso oxigénio.

Comments


  1. Quer dizer que já vos sigo há quase 12 anos? Parabéns
    Sim, lembro me desses tempos áureos da blogosfera. Mantenham-se fieis às origens, uma coisa rara hoje em dia

  2. Abel Barreto says:

    Os meus parabéns a todos os que criaram e o mantêm activo.
    É uma das minhas leituras diárias.

  3. Ricardo Pinto says:

    Obrigado, Paulo.

  4. António Fernando Nabais says:

    Muito obrigado, ilustre co-decano (se não existe, inventa-se).

  5. antero seguro says:

    Parabéns e longa Vida ao AVENTAR . Ele tem-me proporcionado conhecer melhor o Mundo que me rodeia através da brilhantes e contraditórias opiniões que por aqui vão circulando das quais vou tirando as minhas conclusões.

Trackbacks


  1. […] O Aventar vem de longe […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.