Do Pontapé na Boca*

Primeiro foi o apoio de Jorge Nuno Pinto da Costa a Ana Gomes (eleições presidenciais). Depois foi o editorial no Porto Canal sobre Adão e Silva. Por fim, o editorial sobre Daniel Oliveira. O FC Porto Institucional é, hoje, a principal oposição a António Costa e ao seu governo. Nem Rio (ainda está vivo?) nem a IL, CDS ou Chega se aproximam. Já o PCP e o BE não podem. E o PR depende dos dias. Sem esquecer as declarações de Jorge Nuno Pinto da Costa sobre António Costa: “Se não os consegue demitir, demita-se”.

O que leva o FC Porto Institucional a seguir este caminho? A crise que se abateu sobre o Futebol por causa da pandemia? A falta de apoio de instituições públicas? Os apoios de Costa a Luís Filipe Vieira? A tripla BES-BPN-LFV? Tudo isto por junto ou atacado? Não sei. O que sei é que, uma vez mais, está o FC Porto Institucional a desempenhar o papel que caberia a outros. Só que “esses outros” estão em hibernação. Para mal da democracia. Já foi assim no momento em que o Porto Canal precisava do apoio das Instituições (privadas) da região e nada. Teve de ser o FC Porto a salvar o canal de uma morte anunciada. O mundo está estranho…

 

*Expressão gentilmente palmada ao João Mendes

Comments

  1. Paulo Marques says:

    O PC decide responder a uma acusação de conspiracionice com aumentar a conspiração. É uma escolha, só depois não se admirem que ninguém ligue aos emails.

    • Filipe Bastos says:

      Ok, a sua primeira lealdade é ao governo sucateiro, i.e. à máfia PS; só depois à máfia FCP.
      Acho bem. É importante definirmos prioridades.

      • Paulo Marques says:

        Não, é a que haja uma cerimónia do 25 de Abril, nem que seja com lavagem ao outro dia de Novembro e ao socialismo na gaveta. Ao menos celebramos poder mandá-los à merda.
        E, para isso, é preciso recursos, e é preciso quem se importe, e quem, quer se queira, quer não, bem e mal, vai basicamente de encontro aos valores dos portugueses.

      • Filipe Bastos says:

        é preciso recursos, e é preciso quem se importe, e quem, quer se queira, quer não, bem e mal, vai basicamente de encontro aos valores dos portugueses.

        Só para clarificar:

        Os ‘recursos’ são os tachos do Adão Lambe-Cus e da sua pandilha de boys? Durante seis anos?

        ‘Quem se importa’ é a boyzada que vai mamar os tachos, ou os otários que os têm de pagar?

        Os ‘valores dos portugueses’ são o quê exactamente?

        Já agora: sempre que ouço ou leio ‘os portugueses’ vomito um pouco. É daquelas expressões ocas, pomposas, parolas, muito adequadas a pulhíticos e comentadeiros, boas para encher a boca sem dizer nada.

        • Paulo Marques says:

          Quem acha que “só em Portugal” diz alguma coisa, fora ser ridiculamente falso, enfim…
          Sim, para fazer coisas é preciso pessoas. Parece maluquice, mas é verdade, relembrar as pessoas que o SNS, as pensões, o trabalho, o ensino, a liberdade de expressão não caíram do céu só depende do estado. Eu gosto dessas coisas, como muitas outras que o homem não gosta, mas é o que é.

  2. Rui Naldinho says:

    Futebóis à parte, era bom recordar que o PS esteve quatro vezes no governo da nação.
    Com Mário Soares e com António Guterres, ambos lisboetas, com José Sócrates, “nascido em parte incerta”, de Vilar de Maçada ao Porto, passando pela Covilhã nos anos 80, acabando por se fixar definitivamente em Lisboa, em meados dos anos 90. Por fim, temos António Costa, também ele natural da capital. As lideranças socialistas surgiram todas dentro de Lisboa, incluindo Victor Constâncio e Jorge Sampaio que apenas foram líderes da Oposição, ainda que este último fosse presidente da câmara de Lisboa. Nenhuma delas surgiu de outras paragens. Dito isto perguntar-se-à se no restante país o PS é um deserto de ideias. Ou se a boyoda é só no campo, que a capital é para os DPS (Donos do Partido Socialista)?
    Também era bom recordar que com excepção de António Costa, vários primeiros ministros socialistas, simpatizantes do SLBenfica, deixaram o clubismo na gaveta, para se dedicaram ao métier para o qual tinham sido eleitos. Foi assim com Soares, Guterres e Sócrates. Até o inefável Santana Lopes, este do PSD, antigo presidente do SCP, evitou confusões com futebóis, enquanto PM.
    Quando António Costa, mais até do que Fernando Medina, “se dá ao trabalho” de integrar a Comissão de Honra de Luis Filipe Vieira, um dos maiores devedores à banca falida, e um dos muitos corruptos deste país, sem medir as consequências do seu acto, está-se a por a jeito.
    Até hoje, que me lembre, nenhum PM de qualquer dos dois partidos que têm composto o arco da governação, se colocou numa posição tão iidiota como António Costa, em relação ao futebol.
    A ele o que lhe vale é a fobia que uma boa parte do eleitorado tem ao PSD. Não fosse isso, com tanta merda que este governo tem feito, já tinham todos ido dar uma volta ao deserto.

  3. Filipe Bastos says:

    Quanto aos achaques do Pintinho, o Moreira de Sá deve ter razão: um misto de crise, falta de mama pública, a tripla BES-BPN-LFV, a dupla Bosta-LFV… razões não faltam.

    Vi o editorial sobre o chuleco Daniel Oliveira. É tudo verdade, tal como era verdade sobre o Adão Lambe-Cus, mas é também verdade que o Porto Canal está no bolso do FCP. E assim nenhum orgão de informação pode ser realmente isento.

    Por muitos editoriais que o Porto Canal faça, todos verdadeiros, continuará refém do Pintinho Mafioso. É claro que isto afecta a sua credibilidade em tudo que tenha a ver com bola e afins; e neste país muito pouco não tem a ver com bola e afins.

  4. Filipe Bastos says:

    E cá está o rabo preso. Quando vi o editorial estranhei algo, mas não me ocorreu logo o quê. Já sei o que é.

    O editorial elenca os comentadeiros-compinchas que tentaram branquear o Adão Lambe-Cus: além do Oliveira, o Eduardo Martins do PSD, o Mendes da Silva do CDS, o Rui Tavares… mas deixou de fora um. Precisamente o que mais o lavou!

    Sabem quem é? Pois é. O Marques Lopes. O Cabeça de Porco.

    E porquê? Porque o Cabeça de Porco, como o Moreira de Sá e todos sabem, é um ‘Dragão de Ouro’; um ilustre portista; um insigne piaçaba todo metido na peida do Pintinho Mafioso.


  5. E no caso do Canal fez muito bem, pelo menos o programa Caminhos da História apresenta material de qualidade muitas vezes, https://portocanal.sapo.pt/programa/20?ctx=sobre. Eu sei que o Joel não tem aquele espírito teatral do Hermano, mas chega e sobra.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.