A traição aos povos é uma constante histórica – África do Sul

Jacob Zuma desbaratou ignobilmente a África do Sul. Revolvem-se as entranhas, ao ver esta reportagem.

E as KPMGs e as McKinseys deste mundo arrebanham poder e seguem auditando e “aconselhando” negócios e governos.

Uma pessoa, às vezes, não consegue encontrar maneira de saber onde ir buscar um pingo de esperança para enfrentar esta trampa toda.

P.S.- Já agora, ali ao lado, em Moçambique:

Dívidas ocultas: “É uma questão de tempo até que Nyusi seja chamado”.  Caso das dívidas ocultas chega aos tribunais de Moçambique em agosto.

“Ainda hoje estava a ler argumentos da Privinvest, do mesmo julgamento das dívidas ocultas que está a decorrer em Londres, e eles reafirmam que pagaram dinheiro a altos funcionários do Estado e inclusivamente ao Presidente Nyusi.“

“Segundo o Centro de Integridade Pública (CIP), “dois milhões de moçambicanos foram empurrados para a pobreza absoluta, de 2016 a 2019″, por causa do maior escândalo financeiro do país, que envolve cerca de dois mil milhões de euros.”

 

Comments

  1. JgMenos says:

    Libertados do colonialismo opressor, as jovens nações expandem a sua criatividade fundada em tradições culturais por largo tempo reprimidas: o sobado, com seus lugares-tenentes, está de volta.

    • POIS! says:

      Pois. Ou seja…

      V. Exa vai voltar a ter emprego! E ainda se queixa?

    • Paulo Marques says:

      Aprendem com os melhores, de Portugal à Eslovénia, do Reino Unido à Grécia, da Argentina ao Canadá, são alguns dos trajectos onde se encontram muitos.

  2. Tal & Qual says:

    E o que tens a ver com isso?
    Governa a tua casa se fores capaz e deixa a casa dos outros em paz.

    • JgMenos says:

      Eis um nacionalista-internacionalista, a nova vaga da Terceira Internacional dos cretinos.

      • POIS! says:

        Pois mas…

        Como é que os camaradas de V. Exa, lá na segunda vaga, reagiram? Não estão à espera que V, Exa, como Supremo Internacional faça algo contra a concorrência?

  3. Elvimonte says:

    África do Sul – QI médio: 77 – confere

    Moçambique – QI médio: 64 – confere

    Nem vale a pena citar Fanon como o “mamador da teta colonialista europeia” fez.

    • Paulo Marques says:

      Nem vale a pena citar o quanto vale o QI.

      • Elvimonte says:

        Esse é sempre o argumento dos estúpidos.

        • POIS! says:

          Pois, não compreendeu, Herr Elvimonte.

          O Paulo até está a ser amigo de V. Exa. É que se o QI vale assim tanto, V. Exa. está completamente lixado.

          Não seja pobre e mal agradecido.

        • Paulo Marques says:

          O argumento dos estúpidos é decorar umas coisas com aspecto científico a fazer de conta que basta para fazer ciência., bem como que esta descreve o mundo inteiro e nunca se engana, contradiz, ou ignora alguma parte. Soam inteligentes, mas o entendimento é nulo faltando a aplicabilidade e ficando só os modelos.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.