Chicotada psicológica?

O PPD sem SD, aquele partido parido, ainda, do ventre da Velha e Santa Mãe, que governou sempre à direita, mas que aparentemente é de centro-esquerda, e que agora aposta, também, nos palhaços mediáticos, continua a dar tiros nos pés.

Depois da contratação do não-ligado-ao-futebol mas maior-accionista-da-SAD-do-FCPorto, António Oliveira, para uma candidatura à Câmara Municipal de Gaia, município onde se encontra o centro de treinos do Olival, propriedade da Câmara alugada ao FC Porto em troca de moedas de chocolate, eis que:

Bronca no PSD: António Oliveira desiste de candidatura à Câmara de Gaia

Fica a dúvida: foi António Oliveira quem bateu com a porta, descontente com a política de contratações da SAD do PSD, ou foi a SAD do PSD quem deu uma chicotada psicológica no seu timoneiro a Gaia?

Política, futebol… = apostas. Eu apostaria que foi António Oliveira quem, depois de ver que a sua reputação, construída às custas dos calimeros futebolísticos, seria destruída às custas dos calimeros do PSD, decidiu bater com a porta e usar o truque do “mais vale tarde do que nunca“. Cá para mim descobriu que o Rio é boavisteiro. Ou esta: ao ver o PSD ir ao fundo… nem é tarde nem é cedo! E saltou borda fora. Até porque tem visto que o seu clube, o FC Porto, se deixou de interessar por desporto para, agora, ser o principal partido de oposição ao PS de António Costa… vai daí, deixa-me estar onde estava. Por isso, proponho que o PSD se dedique… à pesca; desportiva, de preferência.

Rui Rio arrisca-se a ser (se já não o é) o pior líder da história do PSD. E o PSD teve como líderes os empolgantes Marques Mendes ou Santana Lopes. E num passado mais recente, teve Passos Coelho. É obra!

O não-ligado-ao-futebol, António Oliveira, numa gala do FC Porto, um não-clube-de-futebol.
Foto: José Moreira

Problema n.º 4: António Oliveira

Como prometido, eis-nos de volta, passados alguns meses, com o problema n.º 4.

Portanto, resolvidos os problemas n.º 1, n.º 2 e n.º 3, descubra agora, sff, os elementos com os quais é nitidamente perceptível que, na redacção do Expresso, se escreveu este texto com os pés.

Mais um minutinho.

Já está?

OK.

SOLUÇÃO: [Read more…]

António Oliveira: O depoimento de um novo pobre

Trata-se de um depoimento, que encontrei por aí, de alguém que ainda há não muito tempo estava bem na vida, com emprego seguro e salário muito bom. Com o encerramento da empresa em que trabalhava, veio o desemprego, o subsídio que acabou, as poupança que se foram e, agora, os Bancos Alimentares. São os novos pobres de Portugal.
Todos aqueles que insistem em ser contra o Rendimento Mínimo e que gostam de generalizar, dizendo que esses beneficários não querem é trabalhar, deviam corar de vergonha ao ler este depoimento. É que a esses tais, os que são sempre contra os subsídios aos mais pobres, nunca se vê uma palavra que seja contra os privilégios pornográficos da Banca e das grandes empresas privadas.
[Read more…]