Margarida Rebelo Pinto por Margarida Rebelo Pinto

O [Jorge Luís] Borges, que é o pai da literatura moderna, diz que andamos sempre a escrever o mesmo livro. (…)

Por acaso eu acho que os homens são muito mais de Vénus do que as mulheres pensam.(…)

Comecei pela fábula, porque sou uma fanática da minha casa de férias na Comporta.(…)

Já me aconteceu várias vezes ter de começar a escrever um livro a meio de outro porque as minhas mulheres estavam a ficar demasiado neuróticas.(…)

Sei lá. Eu acho que já fiz literatura pop e agora já não faço. Estou a fazer outra coisa que ainda não sei bem o que é.(…) [Read more…]

Downsizing, dizem eles

É uma triste realidade aquela em que pequenos e médios empresários tentam obter, junto da banca, liquidez para salvarem as suas empresas, depois de já lhes ter sido sugado todo o património e mais algum para garantia dos financiamentos.

Mendigam apoios àqueles a quem eu, eles, e todo o povo português, avalizou os seus financiamentos externos. Pois convém lembrar que a banca portuguesa foi pedir dinheiro lá fora com o aval do Estado português, ou seja com o nosso aval. E a nenhum de nós algum banco deu de garantia o que quer que fosse pelo aval que o povo lhes deu.

Esse dinheiro que veio de fora á custa do nosso aval está a chegar a conta-gotas às empresas, atrofiando-as em termos de liquidez. E quando o empresário chega à banca, como eu já assisti, para pedir ajuda, volta-meia-volta lá vem a lógica do “downsizing”, ou seja, a diminuição da estrutura da empresa para melhorar a sua viabilidade. Que é o mesmo que dizer mandar trabalhadores para a rua para se gastar menos em salários. [Read more…]