Coisas para que serve ter o Estado nos negócios

Tudo somado, incluindo também os chamados CAE, CMEC e PRE, os apoios à produção pagos em Portugal somam quase 1800 milhões de euros e formam uma grande parte dos custos de política energética e de interesse económico geral (CIEG). Este ano, os CIEG e os custos de política energética totalizam quase 2302 milhões de euros – uma dívida que todos os meses vai sendo paga por todos nós.

(Público)

Como se vê, nem só de BPNs e tal vivem os buracos do país. É de sublinhar a grandiloquência com que as energias renováveis foram apresentadas.  Foi um negócio de futuro, sem dúvida, mas novamente para alguns.

Stop Eólicas em Sortelha

Sortelha faz parte da lista de aldeias históricas criada em 1991 e que inclui núcleos urbanos com fundação anterior à nação portuguesa.
Sortelha também tem (ou tinha em 2001) 579 habitantes.

E pelos vistos daqui a uns tempos poderá ser a freguesia com maior número de geradores eólicos por habitante se forem instalados os 17 ou 18 geradores… na verdade não faço ideia se será o maior número ou não mas imagino que um gerador por cada 31 habitantes seja um número elevado…

Mas a principal questão segundo o blog Vamos Salvar Sortelha é mesmo o impacto que estes equipamentos poderão ter no, talvez único, recurso endógeno da região… a sua paisagem.

Tenho a certeza que neste processo a empresa que quer efectuar esta instalação prestou todos os esclarecimentos à população.
Também tenho a certeza que todos os representantes da JF de Sortelha foram informados de todos os potenciais impactos positivos e negativos que esta opção poderá ter (incluindo financeiros) e os transmitiram aos seus representados… os tais 579 habitantes.
E tenho a certeza que levaram isso em consideração para a sua decisão final.
Tenho a certeza disso porque é assim que costuma funcionar a nossa democracia.

Contra as renováveis ou a favor do nuclear ?

Um grupo de personalidades apresenta hoje um manifesto contra a política energética assente nas energias verdes. Razões de elevado custo estarão na origem da sua posição, só a subvenção dos preços permite que sejam competitivos.

Mas estas personalidades são tambem conhecidas por serem a favor da energia de origem nuclear, que após todos estes anos de experiência com centenas de centrais a funcionar, se tornou segura . Os desastres nucleares vieram dar uma contribuição extraordinária para o estudo dos níveis de segurança e seus efeitos nos humanos e no ambiente, considerando-se hoje que a indústria nuclear tem um nível de segurança superior à maioria das outras indústrias.

Há mais de 30 anos que numa visita à Baviera, andei todo o santo dia a ver uma central nuclear, andasse por onde andasse a sua presença visual era imponente. À sua volta a vida continuava e que se saiba, pelos estudos feitos à população residente ,não há índicios preocupantes quanto à saúde.

Poderá Portugal continuar afastado da energia nuclear?