Orçamento, salários e carrosséis

Depois do acordo, as perguntas. Ferreira Leite quer saber “Porque é que o défice se agravou 1,3% em 15 dias?”. Já Sócrates rejeita acusações de ter escondido valor do défice, o que não me espanta: provavelmente nunca o soube verdadeiramente.

Eu, já agora, gostava de saber o porquê da abstenção do PSD? Quais foram as matérias concretas em que incidiu o acordo entre o PS e o PSD? E o mesmo se diga acerca do CDS-PP. É que as responsabilidades não devem ser apenas exigidas, também devem ser assumidas.

As empresas alinham com o Governo  para um 2010 sem aumentos salariais, e Teixeira dos Santos já fala em cortes nos salários do Governo. Ou comem todos, ou há moralidade (?!).

Entretanto José Sócrates quer sossegar os ânimos dizendo que a “viligância das agências de rating a Portugal não é única”, ou seja todos os países estão a ser vigiados. Fico muito mais descansado: pelos vistos não é nada pessoal contra nós, são apenas negócios tal como a velha máxima  da Máfia “nada pessoal, estritamente negócios”.

Quem não teve meias-medidas foram os empresários de carrosséis que saltaram as barreiras de protecção colocadas pela PSP para conter a manifestação junto à residência oficial do Primeiro Ministro. Acho até que a PSP está a ter muita sorte por os manifestantes não terem trazido as girafas, os cavalos e as chávenas gigantes.

Orçamento de Estado 2010: 2ª parte

Eu só não percebo uma coisa, se o governo já decidiu congelar os ordenados na função pública, vai reunir com os respectivos sindicatos para negociar o quê?

Outra coisa que eu não percebo: então o Primeiro-ministroameaça demitir-se? Ora, Manuela Ferreira Leite já deveria saber que quem se demite não ameaça…

Marcelo não é Cristo mas é o salvador

Vaga de fundo em preparação para Marcelo Rebelo de Sousa voltar à presidência do PSD.

 

Rangel, Arnault, Sarmento atacam em várias frentes para lançarem o professor que, como já aqui disse , tomou a iniciativa de uma reunião que não resultou, o que  lhe permitiu colocar-se na posição do "bonzinho".

 

Vai deixar que Manuela Ferreira Leite faça o trabalho dificil de dar passagem ao Orçamento na Assembleia da República, e depois avança, sabendo que só ele dentro do PSD tem um grupo parlamentar com que pode contar. Não é dele mas é de MFL, e esta vê em Marcelo credibilidade bastante.

 

Não ganhando e não estando desgastado pelas recentes eleições, Marcelo pode, no entanto, ser o real vencedor, esperando que o tempo lhe traga o poder. Só precisa de não cometer erros, apresentar um programa alternativo ao PS e rodear-se de meia dúzia de nomes "sem passado ".

 

A classe política está tão desgastada por escândalos, por maus resultados, pelo empobrecimento contínuo do país, que tudo indica que Marcelo pode acreditar que "Jesus voltou à terra!"