Não era isso que (quase) todos diziam sobre o seu governo, deputada Cristas?

acpp

A propósito da polémica proposta para reduzir a TSU como forma de compensar o aumento do salário mínimo nacional (SMN), a deputada Cristas acusou António Costa de ter uma “maioria intermitente“, que não é “estável, credível e duradoura“. Não era isso que tantos portugueses diziam sobre o governo que a candidata à CM da Lisboa integrou? E, no entanto, o governo PSD/CDS-PP lá conseguiu chegar ao fim do mandato. E conseguiu-o apesar das birras e das facadas do parceiro minoritário da coligação. Em 2012, quando o país se insurgiu contra a proposta de aumento da mesma TSU, não para compensar um aumento do SMN, que o caminho era o do empobrecimento, mas à custa da subida das contribuições dos trabalhadores para a Segurança Social, o CDS-PP tirou o tapete a Passos Coelho. Assunção Cristas estava lá e participou neste duro golpe na estabilidade e credibilidade da coligação. [Read more…]

A abstinência sexual e outras ironias democratas-cristãs

nm

A propósito da mais recente polémica protagonizada pela Juventude Popular, que, presumo, terá cumprido o seu principal objectivo de dar algum protagonismo à agremiação de jotas mais apagada do país, e sobre a qual já muito se disse e escreveu – sugiro a leitura do artigo de Daniel Cardoso, publicado no Geringonça, está lá tudo – veio-me à memória um texto que escrevi faz mais de um ano e meio, sobre o virtuosismo democrata-cristão do ainda líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, que se recusava – talvez a situação se tenha resolvido entretanto – a assumir a paternidade de uma criança que, segundo o suspeito Correio da Manhã, havia já sido comprovada por dois testes de ADN. [Read more…]

O CDS-PP e o preço certo em cedências

cm

Como se os arranjos parlamentares entre forças aliadas fossem algo raro ou exótico, Cecília Meireles indignou-se, durante a manhã de ontem, no Parlamento:

No que toca às propostas do CDS, tivemos várias formas de chumbo, muito criativas, aliás, desde a forma mais frontal dos votos contra, à forma mais fingida da coligação de votos conveniente, até uma nova forma, que é a telefónica, em que as propostas passaram mas depois passados trinta minutos alguém da bancada do Governo ligava para a bancada do PCP ou do Bloco e mudavam-se os sentidos de voto

[Read more…]

A deriva esquerdalha do CDS

refem

Quando Portas se demitiu, o PSD ficou refém do CDS-PP. Quando Costa se alinhou com Cataria e Jerónimo, o PS ficou refém do BE, do PCP. No segundo caso, contudo, há dias em que o cativeiro se inverte, reverte e torna a inverter. Tem dias. E por estes dias, que foram dias de orçamento, assistimos a um novo sequestro. Pela voz de João Almeida, motivo pelo qual convém ter alguma cautela, o CDS-PP apanhou a esquerda desprevenida e encarcerou, de uma assentada só, o Bloco e o PCP. [Read more…]

A desinformação, o esquecimento e a mentira

É sempre bonito vê-los meter os pés pelas mãos. De há uns tempos para, cá não tem dado para mais. Resta-nos rir.

Vídeo: Luís Vargas@Geringonça

Assunção Cristas decide chafurdar na lama

pigmud

Assunção Cristas quer mostrar serviço e, na falta de alternativas viáveis entre os órfãos de Portas, atirou-se de cabeça para a corrida eleitoral à câmara de Lisboa. Das duas, uma: ou consegue um resultado melhor que o conseguido por Portas em 2001 (7,59%), ficando automaticamente elegível para canonização, ou esbardalha-se com violência e regressa à base, enfraquecida mas sem grande risco de perder a liderança do partido que, a julgar pelas últimas internas, mais ninguém quer. Existe ainda a possibilidade de obter o apoio de Passos Coelho, que sem um candidato de peso para apresentar à capital, parece agora refém da líder do CDS-PP. E, com o apoio do PSD, não será muito difícil conseguir um resultado melhor que a humilhação a que a Pàf lisboeta foi submetida em 2013. [Read more…]

CDS-PP Açores: um apelo ao voto com confirmação via mensagem privada

cds

As eleições regionais nos Açores estão à porta e, no Caldas açoreano, contam-se espingardas. Mas Ana Afonso, candidata do CDS-PP, não se limita a apelar ao voto dos açorianos. Ela precisa que lhe confirmem, através de mensagem privada, que o vão fazer. Porque de boas intenções está o inferno cheio, ou se está com Ana Afonso, e nesse caso há que confirmar por escrito, ou não venham depois pedir favores à senhora. Qualquer dia, selam-se intenções de voto com pactos de sangue. Ou cuspe, que com tanta doença que por aí anda, não convém muito arriscar.

José Gomes Ferreira em campanha pelo CDS-PP

jornalismo isento é isto.

Profetas da desgraça de costas voltadas

Atropelos, desconcerto e ausência de entendimento para as Autárquicas. Longe vão os tempos da harmonia pafiosa. Entendimentos só mesmo em matéria de catastrofismo.

As contas dos partidos

O JN noticiou que o PS estará falido, andará inclusive a pedir dinheiro aos militantes. Olhando para as contas do PS ao longo dos últimos anos, de certeza que eu não queria ser fornecedor deste partido. Está em falência técnica há três anos, seguindo uma trajectória preocupante. O PS já veio negar a falência, se formos estritamente correctos não está falido, enquanto os credores aguentarem a situação pode permanecer como está (algo me diz que o PS não terá dificuldade em encontrar quem compre esta dívida e não se importe de a manter…).

Deixando de lado estas questões, a situação é esta:

PS
2015 2014 2013 2012 2011 2010
Activo 15 411 702 14 049 518 27 781 206 10 989 719 12 359 989 14 429 389
Capital (6 260 353) (4 804 742) (1 269 233) 2 403 136 4 384 697 7 248 345
Passivo 21 672 055 18 854 260 29 050 439 8 586 583 7 975 291 7 181 044
Resultado (1 044 243) (3 533 709) (3 837 136) (589 886) (3 152 075) 1 324 001

Valores em EUR

Como estarão os outros partidos?
[Read more…]

Quanto vale um político português em Angola?

Alfredo Muvuma


Segundo uma acusação jornalística, o valor pago pelo vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, a um procurador português (Orlando Figueira) para que este arquivasse os processos-crime de investigação que decorriam a propósito das suas actividades ilegais foi de € 300.000,00 (trezentos mil euros).

A confirmar-se esta informação, ficámos a saber que um procurador da República portuguesa valerá 300 mil euros no mercado da corrupção angolana.

Entretanto, por estes dias foi anunciado com pompa que o antigo vice-primeiro-ministro de Portugal e líder emérito do CDS-PP, Paulo Portas, seria o convidado de honra do VII Congresso do MPLA. Com menos pompa, ficámos também a saber que, uns dias antes, este cidadão português (que actualmente não exerce cargos públicos) recebera num gabinete da Assembleia da República Portuguesa funcionários de uma grande empresa de que é hoje consultor e que tem profundos interesses em Angola e na África em geral: a Mota-Engil. Aparentemente, as reuniões do cidadão, antigo vice-primeiro ministro, teriam servido para preparar os negócios desta companhia em Angola, antecipando a presença do cidadão de honra no Congresso do MPLA.
[Read more…]

Coisas silly da season

OTDIP

encontradas nesse antro de hereges que é a taberna d’Os truques da imprensa portuguesa. Mas desta vez compreende-se, Truques: Paulo Portas é um actor político irrelevante, que não desperta grande interesse mediático e que não exerceu os mais altos cargos de governação. Para quê gastar tempo de antena com ideias soltas que, só por coincidência, se ligam na perfeição e parecem indiciar um caso com contornos pouco transparentes? Ganhem mas é juízo, que estamos em Agosto. São coisas silly da season – e porreiras -, pá! [Read more…]

Isso agora (também) não interessa nada

A proposta que isentou do IMI as famílias com rendimentos brutos anuais até 11.560 euros foi aprovada por todos os partidos, excepto PSD e CDS, aquando da votação do OE2016.

Uma boa muleta para um PSD manquinho

Cristas quer o CDS a mostrar o que vale nas Autárquicas” [E]

Como uma tola em cima da ponte

ACristas

Convenhamos que, gostemos ou não do indivíduo, suceder a Paulo Portas-Engil no CDS-PP não será pêra doce. Até porque, por mais desprezível e reles que o possamos achar, Paulo Portas não é burro nenhum. Não é o típico produto martelado de uma jota, ainda que por lá tenha andado. Não é um dos tais quadros muito muito medíocres de que falava noutros tempos. Não, Portas é um tipo inteligente, sagaz. Não é qualquer palerma que tem habilidade suficiente para chegar a vice-primeiro-ministro com 650 mil votos.

Já Assunção Cristas é uma sombra mal-amanhada da sombra de Portas. Repete os mesmos chavões, usa os mesmos soundbites, mete frequentemente os pés pelas mãos, prima por um discurso no mínimo infantil e é muito, muito chata. O oposto de Portas, que nunca despiu a pele de entertainer. Uma tola em cima da ponte que não sabe o que quer ou para onde vai. [Read more…]

Pedro Passos Coelho e o síndrome de Estocolmo

Refém

As lideranças do PSD e do CDS-PP, com o apoio das suas tropas estacionadas na comunicação social, vêm insistindo na narrativa de um governo refém dos partidos com quem firmou o acordo pós-eleitoral. Em declarações recentes, em que acusou o governo de ser “comandado” pelo Bloco de Esquerda, Pedro Passos Coelho afirmou

Há uma coisa que impressiona – não é o Partido Socialista, que escolheu um candidato a primeiro-ministro derrotado, estar à frente de um Governo; é que um partido, que é o Bloco de Esquerda, que tem 10% de resultado, esteja a comandar o Governo em Portugal.

(…) se a moda pega noutros países europeus (…) Não é aquele (regime) em que eu quero viver e democrático é que ele não é.

[Read more…]

O velho regime vai ter que esperar

Got

Adoro ver os ressabiados a estrebuchar nos seus blogues e jornais financiados pelas elites. Eles precisam – é também para isso que lhes pagam – a todo o custo, que o acordo à esquerda se desfaça, nem que isso custe o aprofundar da ruína pelo qual os seus caciques tanto lutaram durante mais de quatro anos. Afinal de contas, só assim poderão voltar a sonhar com as suas avenças e luvas, com os seus tachos em ministérios e secretarias de Estado e com as suas viagens em comitivas governamentais, aproveitando os recursos do Estado para potenciar os seus negócios enquanto se indignam em longas crónicas contra a heresia da intervenção estatal. Não são hipócritas. É apenas malta que acredita na exploração da maioria por uma minoria privilegiada, pela qual tantos ânus lamberam e continuam a lamber. [Read more…]

A Igreja Católica? Estava a protestar contra a manifestações

ICdA

Percebes Jorge? Em 2012, quando o governo amarelo laranja e azul do PSD e do CDS-PP aplicava cortes violentos, não só na Educação como na Saúde ou em salários e pensões, o então cardeal Patriarca D. José Policarpo afirmava que manifestações de rua não resolviam os problemas do país e que eram “uma corrosão da harmonia democrática“. Em suma, o líder da Igreja Católica em Portugal concluía que “não se resolve nada contestando“. Era portanto aqui que estava a Igreja Católica, e não há registo que qualquer um dos actuais líderes, que decidiu por estes dias apoiar a causa dos colégios privados, tivesse contestado as declarações do cardeal. Como não há, com uma ou outra rara excepção de uma ovelha tresmalhada do rebanho do Senhor, qualquer registo de apoio da Conferência Episcopal às diferentes manifestações contra cortes ou contras a delapidação de direitos sociais que aconteceram durante o consulado de Passos Coelho e Paulo Portas. Hipocrisia? Talvez. Mas acima de tudo a agenda política de uma instituição que supostamente não a tem.

Fotomontagem via Acordar Portugal

 

Portugal sob chantagem e ameaça da direita europeia. Com o alto patrocínio de Pedro Passos Coelho

PPE

Na metrópole, ontem foi dia de decidir sobre a aplicação de sanções à periferia. A indisciplina daqueles que decidiram mudar, ainda que de forma muito ligeira, a distribuição enviesada dos sacrifícios, esteve em vias de ser virtuosamente punida, isto apesar de ser dos seus antecessores, e não deles, a responsabilidade pelos indicadores negativos que poderiam levar às penalizações.

Na metrópole, representantes do PSD e CDS-PP, responsáveis por mais de quatro anos de metas sucessivamente falhadas, que em parte nos conduziram a este impasse, encontram-se refugiados num silêncio cúmplice enquanto o seu líder pede a cabeça dos portugueses, numa movimentação inédita que contrasta com os regimes de excepção aplicados no passado às exemplares potências do centro. [Read more…]

Assunção Cristas e a vida quotidiana das famílias

ACPP

Moralista como boa “democrata-cristã” que é, a mais recente imperatriz do táxi afirmou aos jornalistas que

O PS, com o apoio das esquerdas, não quer saber da vida quotidiana das famílias portuguesas, não quer encontrar uma solução para a natalidade e entende que tudo se resolve com o crescimento económico.

Temos, portanto, uma moralista a dar lições de moral. Uma moralista que lidera um partido de causas aleatórias, consoante os apetites da sua pequena mas influente elite, que um dia diz defender os pensionistas e no outro aprova cortes violentos nos rendimentos dos anteriores como se nada fosse. A culpa é sempre da esquerda. [Read more…]

Não percebes Cristas? A Cecília explica.

AC

Assunção Cristas aproveitou a boleia das críticas que chegam de Bruxelas às contas do governo para afirmar que as medidas tomadas pelo executivo de António Costa não batem certo e não correspondem às necessidades do país. À margem de um evento social onde participou, que isto de andar de eléctrico é coisa para assessor tirar fotografias, a líder do CDS-PP disse aos jornalistas que “Infelizmente não há uma semana que passe que não haja o alerta de uma entidade independente, seja nacional, seja internacional“. A fazer lembrar os tempos em que governava, tempos de metas em constante incumprimento e de permanentes alertas independentes, nacionais e internacionais.  [Read more…]

PSD, CDS-PP e PCP unem-se contra os direitos humanos em Angola

LB

Neste momento estão presos em Angola 17 cidadãos cujos crimes foram ler um livro, cantar música de intervenção e debater modelos de transição pacífica de uma ditadura para um regime democrático. E ao contrário do que se passa com outros regimes repressivos, o regime angolano é tratado como se democrático fosse. E ninguém pede um golpe de Estado. Se Lula da Silva fosse pedir emprego a José Eduardo dos Santos em vez de pedir a Dilma Roussef, safava-se bem e ainda arranjava um espaço de comentário político num jornal cá da terra. [Read more…]

Fim-de-Semana Lusitano

 

Vem o bom tempo e é todo um Portugal voyeurista que se desabroch-a em flor.
Do Eros Porto 2016 ao congresso do CDS sem esquecer Marcelo Presidente, um Portugal feliz explode de contente. Adoro Portugal e adoro portugueses felizes de tão contentes.
A Primavera aproxima-se e nada nos pode deter agora. Estamos imparáveis.
Força, Portugal!

Deus tenha compaixão de ti, Nuno Melo

NMPP

No seu mais recente artigo de opinião no JN, Nuno Melo pede a Deus que perdoe o Bloco pelo episódio do cartaz, esse violento tiro no pé que muita água fará ainda correr debaixo da ponte da estratégia política. Lamentavelmente, o eurodeputado foi mais longe e decidiu misturar alhos com bugalhos, metendo lá para o meio brinquedos sexuais, drogas leves e até uma música do Gabriel o Pensador que versa sobre paz e tolerância. Malditos bloquistas que ousam fazer humor com Jesus Cristo e ainda usam vibradores, fumam charros e ouvem rap brasileiro. Hão-de arder todos no fogo do Inferno! [Read more…]

Uma ofensa gratuita à sensibilidade das pessoas

CDS

O polémico cartaz do Bloco de Esquerda foi, de longe, a melhor coisa que aconteceu aos partidos de direita nos últimos meses. Retirou o foco da derrota esmagadora que para eles significou a aprovação do OE16, com a cereja da Moody’s no topo, e forneceu um argumento populista e mediático a PSD e CDS-PP, que colocou na sombra o estado comatoso em que ambos os partidos se encontram.

Penso ser mais ou menos consensual que o cartaz foi um tremendo erro da parte do BE, sendo que a imediata demarcação de Marisa Matias e de Francisco Louça do mesmo, a que se seguiu o acto de contrição de Catarina Martins, são ilustrativos disso mesmo. Não obstante, o aproveitamento político imediatamente orquestrado pela direita não é um erro menor e diz-nos muito sobre a actual travessia do deserto que se vive por aqueles lados. E quer-me parecer que o CDS-PP perdeu uma boa oportunidade de ficar calado. [Read more…]

Uma viagem ao fundo da cadeia alimentar da propaganda de direita

tacho

A internet está cheia de coisas giras. Por estes dias encontrei por aí um site chamado Direita Política, um site que, segundo os seus não-identificados autores, tem como objectivo “a divulgação da politica de direita“, apesar de se dedicar quase em exclusivo a malhar na esquerda, algo que rapidamente se comprova com um curto passeio pelo estabelecimento. O grau de imparcialidade é tal que no separador dedicado à corrupção não há espaço para a corrupção envolvendo actores políticos de direita. Os corruptos, quando nascem, são todos de esquerda. [Read more…]

Pedro Guerra, o assessor de luxo do CDS transformado em humorista da bola

PG

Não sou grande adepto de programas de comentário futebolístico, mas desde que descobri esse fenómeno do humor que é Pedro Guerra, comecei a perder alguns minutos do meu serão de Segunda-feira para soltar umas gargalhadas.

Não quero perder muito tempo com assuntos de bola, ainda que a minha condição de portista neste caso nem seja muito relevante. Não me faltam amigos benfiquistas que se sentem envergonhados com os tiques fundamentalistas deste comentador que é também director de conteúdos da Benfica TV. Mas não deixa de ser interessante assistir ao fanatismo anedótico do indivíduo que cai no absoluto ridículo de afirmar que existe na Sportv uma conspiração para beneficiar o Porto e o Sporting na cobertura dos jogos ao passo que, no caso do Benfica, comentadores e operadores de câmara vivem num conluio permanente para distorcer as transmissões dos jogos do Benfica, com o intuito de o prejudicar. É tão ridículo que nem justifica mais comentários. [Read more…]

Parque Expo, CDS-PP e o branqueamento do compadrio

NGPMS

Sobre o caso dos ajustes directos da Parque Expo a altos dignatários do CDS-PP, cometi um erro ao afirmar, numa publicação da passada Quinta-feira, que o ex-ministro Mota Soares seria um dos proprietários do escritório Nobre Guedes, Mota Soares, Sociedade de Advogados, RL, isto apesar Pedro Mota Soares integrar, tal como outros destacados militantes do CDS-PP, os quadros do referido escritório.

Mas já que volto a este assunto, e porque a rede de amigos e convivas politico-partidários que mediatizou este caso não deixou de existir, não posso deixar de comentar o direito de resposta enviado pelo escritório Nobre Guedes, Mota Soares, Sociedade de Advogados, RL para o Observador, que procura branquear a ligação do ex-ministro de Passos Coelho àquele escritório, afirmando, no ponto 4, que Pedro Mota Soares “não é, nem nunca foi, sócio da sociedade de advogados Nobre Guedes Mota Soares e Associados“. Quem lá isto por alto pensa que foi aqui cometida uma grande injustiça mas não foi. Pedro Mota Soares não é sócio mas é associado, logo integra os quadros do escritório e o conflito de interesses não se dissipa. [Read more…]

Dívida pública aumentou 5,3 mil milhões de euros em 2015

mas o mais certo é ter sido culpa do Centeno. Ou do BE. Ou do PCP. E Bruxelas? Nada a dizer? Nem um puxãozinho de orelhas?

Aumentos de 150% na ANAC: mais uma obscenidade com a chancela PSD/CDS-PP

ANAC

Sobre a polémica dos aumentos na casa dos 150% para membros da direcção da ANAC, em cima das Legislativas, a melhor desculpa que os partidos que suportavam o anterior governo teve até ao momento foi afirmar que o PS participou na aprovação da lei que permitiu este abuso, algo que me indigna mas não me surpreende.

Mas hoje ficamos a conhecer um pouco mais sobre esta história de excepção e privilégio. Segundo o Expresso, dois dos três elementos que integram a comissão que decidiu sobre estes aumentos obscenos foram nomeados, imaginem lá, por Pires de Lima e Maria Luís Albuquerque. Em declarações à TSF, Hélder Amaral (CDS-PP), um dos deputados que participou na elaboração da lei-quadro das entidades reguladoras, afirmou que  se tentou “que a massa salarial fosse menor” mas que tal não foi possível. Que grande azar! Elaboraram uma lei que permitiu estes aumentos imorais e, no decurso desse trabalho, não conseguiram evitar que o presidente da ANAC aufira hoje quase o triplo do salário do primeiro-ministro. Chega a dar pena…

Foto: Pedro Nunes/Lusa@Expresso