Dúvida existencial


Ontem, o meu lanche foi um chá de camomila, quentinho, com bolachas (daquelas que, na minha infância, vinham de Espanha – muito compridas e cobertas por açúcar).
Talvez por influência de um Domingo passado em família, não faltou sequer um cobertor quentinho a tapar as minhas pernas e as da minha mulher. Víamos um filme romântico enquanto a criança brincava e a lareira crepitante completava um quadro de profundo amor (não temos lareira mas fica sempre bem num texto destes).
Enquanto bebia o chá, pegava lentamente nas bolachas e enfiava-as de forma cadenciada no chá quentinho.
O mais trágico de tudo é que havia cerveja no frigorífico e não estava frio.
Dúvida existencial: será que chegou a minha hora?

Comments

  1. E violinos? Ouviste-os? Se sim, deve ter chegado a tua hora. Sobretudo se fosse o Requiem. A menos que entoassem a Cavalgada das Valquírias.

  2. Luis Moreira says:

    Camomila? Experimenta “laranjeira” e passa-te a dúvida!

  3. Apenas estás a ficar mais velho e, lentamente, a virar à direita. Mais uns dias e parece que te estou a ver de bandeira laranja num qualquer encontro partidário com a Dona Manuela, eheheheheeh.

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Dizem que as pessoas em geral vão virando à Direita à medida que vão tendo mais dinheiro. No meu caso, parece-me que não há esse perigo.

  4. carla romualdo says:

    Enquanto te conseguires manter afastado do tricot ainda há esperanças

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.