RTP Porto e mau spin…

Eu não tenho nada contra as Casas de Pasto, bem pelo contrário. Só não confundo alhos com bugalhos. Acredito que Alberto da Ponte perceba bastante de gestão e de fornecimento de águas e cervejas às “Casas de Pasto”. Já no que toca a administrar a RTP, as minhas dúvidas crescem de dia para dia.

Vamos por partes.

Sou insuspeito: apoiei o PSD nas últimas legislativas e sempre defendi que não se justifica ter dois canais públicos em sinal aberto. Ou seja, nem sou da oposição nem contra, em parte, a privatização ou encerramento de parte do universo RTP/RDP. Melhor, a minha ligação ao Porto Canal aconselha silêncio e até agrado. Só que não embarco em “tangas”.

Reparem neste pormenor delicioso: “Porto perde Praça da Alegria e ganha grande projecto”. Pelo amor da santa, caro Alberto da Ponte, esse tipo de spin é “gato escondido com o rabo de fora”. Pior, é “rabo escondido com o gato de fora”. Verdadeiramente confrangedor e amador.

Se querem fechar a RTP Porto tenham tomates, porra! Sejam corajosos e digam-no de uma vez por todas e deixem-se de floreados. O Norte já não se espanta. Quem não se lembra da “nacionalização” da NTV? Quem já esqueceu a partida dos Bancos? Da Bolsa? Sempre com promessas, ao mais puro estilo spin, de grandes projectos a caminho?

Outro grande momento de comunicação de vão de escada: “a medida surge no âmbito do ajustamento dos vários centros de produção da RTP” e, cereja no topo do bolo, “mantendo-se a importância da vertente informativa do centro do Monte da Virgem”. Tudo isto dito e escrito sem se rirem. É obra.

A verdade é outra. Depois de muito pensarem, sempre na óptica de gestão de vendas a “Casas de Pasto”, concluíram com elevada inteligência: “cortes a Norte que os gajos são mansos”. Em Lisboa a coisa pia mais fino, “até nos cruzamos com a maralha na Bica do Sapato e pode ser feio”.

Todos sabem que produzir no Monte da Virgem é mais barato. Todos sabem que os cortes realizados, no passado, na RTP Porto já a deixaram com parcos meios. Todos sabem que na RTP Porto se faz das tripas coração para conseguir realizar um, sublinho, excelente trabalho. Por isso, como prémio, levem lá mais um corte. Mais, como prenda de Natal, nada como decapitar a RTP Porto.

Esta afronta e desrespeito aos profissionais da RTP Porto é vergonhosa. Porém, não me revolto com Alberto da Ponte, mesmo que o seu spin seja amador – pelo menos serve para uma pessoa se rir.

A minha revolta vai para a passividade dos poderes da Região, para os mansos. Tirando Luís Filipe Menezes e Emídio Sousa (Santa Maria da Feira), reina o silêncio entre os autarcas e os principais representantes dos poderes (será que ainda existem poderes aqui?) do Norte. O Norte está manso e quando assim é, qualquer caniche nos ferra nas pernas. Olhem para cima, vejam o que se passa na Galiza, aprendam! Olhem para o FC Porto e, nos últimos anos, o SC Braga e percebam!

Depois do fim da RTP Porto, o que fica? O JN e o Porto Canal. Nada mais. E que apoios, dos principais actores da Região, são dados a estes dois órgãos de comunicação social do Norte com expressão nacional? Olhem, no caso do Porto Canal teve de vir o FC Porto em socorro, vejam bem. Eu pergunto, depois disto, que resta ao Porto e ao Norte para se fazer ouvir? O que resta? Será que queremos ser meros pedintes do centralismo que nos asfixia? Será que queremos continuar a ser tratados como coitadinhos? Será que não percebem que a informação, melhor dito, os meios de comunicação, são um dos mais importantes poderes?

Já o escrevi uma vez e repito, isto ainda vai acabar mal.

Comments

  1. Amadeu says:

    Resumindo e concluindo:
    O meu amigo até apoia o Passos, o Relvas, o Menezes, as privatizações da RTP/RDP.
    Agora a RTP Porto, isso não,carago. Estão-me a ir ao meu queijo !!!

    Morra o Alberto da Ponte. Spin.


  2. é isso Amadeu(?), é isso.

  3. M.C. says:

    …” Olhem para cima, vejam o que se passa na Galiza, aprendam! Olhem para o FC Porto e, nos últimos anos, o SC Braga e percebam! ” …

    Eu até posso aceitar ,a dilatação nos prazos de execução e os monstruosos desvios orçamentais no Metro do Porto, e na Casa da Música ( 235% ), agora misturar futebóis com coisas muito sérias e que afetam um país inteiro, só em mentes tacanhas e delirantes !


    • Caro MC,
      Utilizei esses dois exemplos pois são aqueles que a esmagadora maioria entende. Como podia utilizar o exemplo da Bial, Unicer, Universidade do Minho, Terminal de cruzeiros de Leixões, Ryanair e o HUB do Porto, Serralves. Podia e posso.

      Porém, esses dois exemplos utilizados por esta mente tacanha e delirante são dois exemplos de Instituições que se afirmaram independentemente das gigantescas forças contrárias e são, um e outro, dois exemplos de massas.

      Nós, no Norte, somos sempre apelidados de tacanhos e de delirantes. É bom sinal. E é óptimo, esse tipo de discurso dos “tacanhos e delirantes” para desviar o assunto. Na minha profissão a coisa tem um nome: spin.

      • Amadeu says:

        Na minha chama-se vitimização, vulgo complexo do coitadinho.

      • M.C. says:

        Ryanair… meu caro, já alguma vez lhe explicaram o que significam SLOTS na Aviação Comercial , já algum vez pensou no preço/hora do “Plane on Ground” ?
        Se não sabe informe-se primeiro, e depois vai perceber porque motivo o Michael O’Leary escolheu a cidade do Porto; aproveite e fique a saber porque motivo este senhor está a ser investigada na Itália ?
        Quanto a afirmação das ditas instituições, tirar-lhes-ia o chapéu se os prazos e os orçamentos tivessem sido cumpridos !
        Consulte o Relatório do Tribunal de Contas e depois nós conversamos 🙂


    • e sempre agrada aos Amadeus desta vida…

    • nightwishpt says:

      “a dilatação nos prazos de execução e os monstruosos desvios orçamentais no Metro do Porto”

      Só um distraído completo é que não sabe é que isso foi e é completamente por opções políticas.


  4. Sabes Amadeu, cada um tem o troll que merece e eu ainda não tinha tido esse privilégio. Ainda por cima um troll de Lisboa. São medalhas para a minha história de blogger!

  5. Amadeu says:

    Antes um alfacinha troll que um Pró Passos trollolo

    http://youtu.be/wVXGuIP42eY

  6. MAGRIÇO says:

    O “troll de Lisboa” é significativo! Do mais patético e provinciano regionalismo ! Possivelmente esta gente até se julga iluminada.


    • Ó João Leal, as minhas desculpas, afinal o Largo das Olarias tal como a Rua do Olival em Alcabideche não é em Lisboa, pois não, deve ser perto de Rabat. Deixem-se de anonimatos e tenham tomates para assumir quem são. Caso contrário, vão passar a falar sozinhos e a deixar de usar as caixas de comentários dos meus post como latrina.