Annoying oranges

laranja cuecas

Estou um bocado farto de ver esses doutorados das universidades de Verão serem pagos pelo dinheiro dos meus impostos para fazer e dizer tanta merda. Bom, se calhar estou a exagerar. A merda não me fez mal algum que justifique colocá-la no mesmo saco que certas e determinadas inutilidades que gostam de brincar aos referendos.

O que podemos esperar de um Parlamento onde o líder do Governo é um ex-jota trapaceiro, que teve como nº2 Miguel Relvas, outro ex-jota versado na arte da mentira e do connect, com quem, e em conjunto com outros jotas reformados e estratégicamente posicionados, andou em tempos a jogar o Monopólio dos fundos europeus da zona centro? O que podemos esperar de um Parlamento que vê as suas fileiras constantemente reforçadas por jotas que chegam ao poder não pela sua aptidão ou competência para representar os portugueses e conduzir os assuntos do Estado, mas pelo habitual critério de vassalagem que impera nas “dinâmicas” entre a casa-mãe e a mocidade do partido? O que podemos esperar destes jotas deputados que afirmam ser “hipócrita e socialmente iníqua a tendencial gratuitidade da educação e da saúde, levando a que haja espaço para uma educação/saúde de primeira e de segunda“, quando o Governo que apoiam incondicionalmente foi o mesmo que aumentou o financiamento às escolas privadas e que não se farta de cortar nas públicas? Não podemos esperar grande coisa. Mas somos forçados a assistir ao festival de hipocrisia desta elite juvenil paga a peso de ouro para brincar aos referendos e emitir juízos tão eloquentes como “Todos os direitos das pessoas podem ser referendados“.

Manter um moço destes fica caro. E o retorno, esse, é mesmo muito fraco. E andamos nós a pagar balúrdios por “activos” destes, que para além de não terem grande utilidade, ainda dizem obscenidades destas! Felizes de nós por não estarmos ainda totalmente nas mãos destes jotas radicais que vivem na descarada dicotomia de quem recebe ajudas de custo incompatíveis com a religião da austeridade fanática e do estrangulamento do estado social que professam e que radicalmente nos querem impor. No dia em que todos os direitos das pessoas poderem ser referendados, pode ser que as “profecias” de Mário Soares e do Papa Francisco se cumpram e que a proposta e referendo regresse à origem de forma pouco ortodoxa. É pelo menos essa a minha esperança!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.