Ayn Rand, ou o neo-nazismo revisitado

Any Rand é a musa da extrema-direita contemporânea. Com o seu tradicional horror às artes e cultura até uma escritora de 5ª categoria serve, o que se exigem é que seja clara nos objectivos, armada em filósofa e com uma brilhante biografia.

A essência da coisa é a do costume: a afirmação do individual contra o social, algo que já tinha sido a luta de Adolfo Hitler, mas esse queimou-se. É ouvi-la:

E está certo, assumem-se ao que vêm: passar por cima de tudo e de todos para alcançar o sucessom capitalismo em estado selvaticamente puro, portanto, outra coisa não se espera de alimárias.

Que um apanhado pelo clima venha aqui vender tal peixe não me espanta: é a sua natureza, o Mein Kampf vem já a seguir.

Comments


  1. Tarada, pedrada, atormentada. Freak. Mas nada de confusões: esta “frente” nada tem a ver com o “Mein Kampf”. É coisa nova, feita de vícios antigos… É gélida e perigosa. Não tem fé nem escrúpulos… E tende a reinar no “mundo moderno”…

  2. portela says:

    A democracia é um “sistema político que iguala desiguais”, diz um.
    A democracia é um “sistema político em que todos são escravizados por todos” diz uma.
    Quem afirma isto, o que têm em comum? São pessoas da CORTE dos privilegiados, ou ao serviço da mesma. São os seus arautos corneteiros.
    .

    • portela says:

      “América para os americanos” . Esta foi uma célebre cornetada do sr James Monroe. Mas o senhor presidente, para quais americanos ele corneteava, para os índios pele vermelha, que já lá estavam quando os ingleses chegaram? “Não, os índios não são nossos iguais, não falam a nossa língua, não têm uma elite, uma classe superior, há um chefe e mais nada, não tem a nossa cultura, logo são selvagens. Nós falamos é para os europeus que gostavam de fazer a nós, o que nós fazemos aos índios!”

      • portela says:

        Ayn Rand deve ter um guia de conduta social, porquê? Não quis viver numa ilha deserta, aquilo não deve dar para uma individualista, também não deu para Zaratustra, e este era um super homem.
        Procurei o guia encontrei muitas citações, mas ainda não consegui encontrar esta:” não faças aos outros, o que queres que façam a ti”. Mas isto é tão lógico, que lhe devia estar implícito, logo não aparece, não foi publicado, … penso eu de que.

        • portela says:

          Ilha deserta quer dizer, exactamente, ilha sem ninguém ou cheia de individualistas, tipo Ayn Rand.


  3. Hitler? Neo-nazismo? Nunca senti curiosidade em ler o Mein Kampf, mas a crença na afirmação do individuo é algo incompatível com uniformes, marchas militares, guerras, não lhe parece?
    Se quiser que recomende algo a seguir, pegando nas suas últimas palvras, experimente “The Road to Serfdom”.
    Sei que conhece, mas para alguns visitantes que não tiveram o privilégio, deixo um vídeo, já que ao contrário do que afirma a meu respeito, a coisa vai mais por aqui:


    • Enfim, negam sempre o avô. É feio, e não é digno de um bom netinho.
      Sim, na essência “filosófica” é uma mera evolução na continuidade: o mesmo ódio aos fracos, o mesmo triunfo do fortes, o mesmo mal.
      Não me venhas com tretas sobre liberdade, mera nuvem de fumo para tentar esconder o óbvio: à primeira hipótese virá a ditadura do costume, para os falhados, é claro, os triunfadores terão toda a liberdade. E nesse aspecto esta mentecapta disfarça muito mal o ódio que lhe vai na alma.
      Até porque em democracia nenhum destes conceitos, político ou económico, sobrevive.


  4. Sobre as ideias formatadas* da SrªRand releva o documentário “All watched over by machines of Loving Grace” Adam Curtis, BBC, 2011, que lhe recomendo sem reservas.


  5. Vá ler um livro dela e pare de ser massa de manobra da esquerda. Peguei A nascente e a virtude do egoísmo para ler ,depois de ver em um blog esquerdista, a chamarem de psicopata. Esperei encontrar um lixo humano em seu texto,e o que li foi um dos livros mais bem escritos,bem construídos e uma filosofia de grandeza do ser humano,sem dúvida uma obra incrível e fora de qualquer coisa que eu já tenha lido em minha vida. Ayn Rand estava à frente do seu tempo. Se você parasse de ser massa de manobra e começasse a pensar por si mesmo,começando por abrir um livro dela e parar de ir pela mente dos outros,veria o quanto é inconsistente comparar sua filosofia com Mein Kampf.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.