Sempre a banca, ainda o BPN

buckminster fuller

Vai este buraco alguma vez ter fim? Tudo o que se refira a BPN queima – mas os contribuintes apenas. Ainda Vitor Constâncio era – e foi durante muito tempo – governador do Banco de Portugal e já os sinais lá estavam. Deu-se a precipitadísima nacionalização, seguiu-se a duvidosa gestão pública, culminou na vergonhosa privatização e teima este buraco em não nos largar. Tudo no BPN cheira a podre.

Os nomes dos envolvidos aparecem volta e meia na comunicação social, alguns até chegam a altos cargos governativos mas a impunidade é absoluta. O assalto ao bolso dos que pagam, sem nada mais poderem fazer do que gemer, é constante. Decididamente, a máfia instalou-se no poder. Não se pode confiar no Estado, ou mais correctamente, naqueles que dominam o Estado, o que para o caso vai dar no mesmo.

Só há um caminho, a revolta dos contribuintes.

Comments

  1. Ferdinand says:

    “Vai este buraco alguma vez ter fim?”

    Não!

    Este buraco negro, como os restantes buracos negros – banca obsoleta-parasitária – vão sugar toda a matéria – humanidade – que estiverem na zona de influência.

    Quanto mais tempo levar para a sociedade admitir o estado miserável que o sector parasitário da banca atingiu, mais e mais sociedade passará para lá da zona de não retorno, ou seja, a zona do desemprego e da pobreza…


  2. Reblogged this on Azipod.

  3. Nightwish says:

    Afinal a culpa era dos preguiçosos dos trabalhadores, esses é que andaram a roubar…


  4. Ao procurar o BPN para depositar uma verba extra parei a falar comum amigo que era segurança no Banco de Portugal;para meu espanto aconselhou-me a não o fazer que aquilo era um banco de ladrões. dois anos depois o V. Constancia declara que “desconhecia” as trafulhices da seita do BPN. Poderá haver respeito por gente desta?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.