Belmiro de Azevedo

Merece não mais do que 3 palavras: Filho da Puta!

Comments

  1. Caralhota says:

    Diria mesmo. Grandessíssimo filho duma grande puta

  2. Ricardo Ferreira Pinto says:

    E mais: Grandessíssimo Filho de um Grande Saco de 30 Putas!

  3. Nightwish says:

    É mais um que nada percebe de economia, mas como enganou e aproveitou-se de toda a gente para chegar onde chegou passa a guru.

  4. Ferdinand says:

    Belmiro é um super-homem?
    Pergunto isto porque só um super-ser pode concentrar tamanha riqueza ao TRABALHAR!
    Ou será que há alguma relação entre os mais de 30 mil trabalhadores do grupo Sonae e a fortuna do Belmiro?…

  5. mário cramez says:

    Chamem-lhe, com a esmerada educação que mostram ter, os nomes que lhes apetecer mas, o que é evidente, é que ele tem toda a razão…

    • Ferdinand says:

      O que é evidente e que ele tem toda a razão? Demonstre as evidências empíricas e depois sim fale em evidências…

      Os trabalhadores portugueses na Alemanha são também menos produtivos que os alemães, nem falo dos ingleses porque estes há muito que deixaram de produzir o que produziam há já um bom tempo…

      Se os portugueses são tão produtivos na Alemanha quanto os alemães, o que isto diz dos merceeiro Belmiro e restante elite portuguesa “aguenta, aguenta”?

      Diga-me, o que trabalhou este homem (e restantes bilionários) para concentrarem tamanhas fortunas?

      A sua e a demagogia do Belmiro é indigente e até funcionava há uns tempos, mas isto chegou a um tal ponto que até alguma pequena burguesia que vota no PSD já lhes mete nojo este tipo de conversa!

    • Nightwish says:

      Claro que é, deixe lá de parte o facto de todas as teorias económicas com alguma relação com a realidade mostram o contrário, mas diga lá que sim. Além de que as pessoas são demasiado caras comparadas com as máquinas.

    • César P. Sousa says:

      Pergunta à familia Pinto de Magalhães se o homem ganhou a fortuna a trabalhar,ou se foi por andar durante vários anos a meter a mão na gaveta do banqueiro !!!!

  6. Joana says:

    Há cavalheiros saudosos de outros tempos e vêem as coisas tão bem encaminhadas que já nem controlam o entusiasmo…
    “O salário está fixado por uma lei de bronze na mais pequena soma indispensável ao certo para os operários comerem pão seco e fabricarem filhos… Se desce muito, os operários morrem e o pedido de mais homens obriga-o de novo a subir. Se sobe demais, a oferta maior obriga-o a descer… É o equilíbrio das barrigas vazias, a condenação perpétua à grilheta da fome.” (Émile Zola, Germinal)


  7. Mario Cramez – tem algo a ver com o sr arqt Machado da Luz – e e drª Nelza – artº Carlos Gomes – margarida Pinho – e rua artilharia UM ?? e o postal de bilha de barro que tinha no seu gabinete ?? e os Pinelas e irmãos metralha ?? e Ayres de Valera ?? e Câncios ?’ gostava de saber- thanks-mcd’or


  8. Quem sabe como começou a trabalhar o sr Belmiro ?? Eu sei umas coisinhas já que tinha o 1º negócio em bairro ao lado do meu da altura ??


  9. Este cínico que só vê dinheiro, devia ter vergonha e não falar nada de nada, porque só pensa em dinheiro. Eu não vou a nenhum estabelecimento dele comprar seja o que fôr. Devia
    era criar condições Tecnicas para que os trabalhadores dele
    produzam o mesmo que os Trabalhadores Portuguezes Alemã-
    es. Que grande cínico. Se calhar vai à missa e benzesse muitas vezes!

  10. Luisa Fernandes says:

    A produtividade não tem nada a ver com os trabalhadores indiferenciados mas sim com a gestão da empresa e com o tipo de produto produzido.
    Os trabalhadores portugueses alem de trabalharem mais horas que os alemães não ficam atras na sua dedicação.
    O que muda?
    Enquanto cá produzimos um sapato lá produz-se um BMW.
    Inovação, tecnologia, boa gestão (cá é mais tipo pato bravo), boas condições de trabalho , muita investigação e centro de decisão da empresa em Portugal. Isso é que faz a diferença.

    O Belmiro roubou uns $$$$ ao antigo patrão e agora tenta domesticar o povinho.
    Apesar disso paga mal apesar do centro de decisão das suas empresas ser Portugal.


  11. Bom bom era uma economia baseada na tributação violenta de fortunas como a dele. Isso é que era de valor!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.