Teodora Cardoso, olhe, emigre!

A presidente do Conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, deixou aos deputados do PSD uma nova forma de cobrar impostos no pós-troika: taxar os levantamentos que são feitos nas contas bancárias onde são depositados os salários e as pensões. (…)
No final, Teodora Cardoso explicou aos jornalistas que a vantagem desta solução é que não incidiria directamente sobre os rendimentos auferidos, seja salários, seja pensões.
“Em vez de um imposto que desincentiva o rendimento, este incentiva a poupança”, afirmou a presidente do organismo independente, que faz o acompanhamento das contas públicas. [PÚBLICO]

Esta parva, que toma os portugueses pela sua medida, faz de conta não saber que poucos são aqueles a quem sobra dinheiro no fim do mês. Veste a pele de hipócrita afirmando que é um imposto virtuoso, que incentiva a poupança – como se houvesse algo a poupar. Consegue, ainda, ter o desplante de afirmar que um imposto sobre o dinheiro que se levante de contas de salários e de pensões não é um imposto sobre salários e pensões!

Repare-se bem na malvadez da proposta. O imposto não incidiria sobre transferências para off-shores, nem sobre operações financeiras, nem sobre operações especulativas. Não, seria para roubar nas contas ordenado e nas contas das pensões, aquelas onde, portanto, vai parar o pão de cada um, de onde se pagam as contas mensais, o supermercado, a escola, a saúde e o que mais for.

Um imposto destes prejudicaria mais quem não consegue poupar um tostão no fim do mês, mais doendo aos pobres do que aos ricos.

Esta gente, aqui adequadamente usando a expressão de Passos Coelho, não presta.

Comments


  1. Vá lavar os tomates do Aníbal

  2. manuela sousa says:

    gostava de saber os vencimentos aplicados neste conselho de finanças, seja na pessoa da sua presidente e demais. e já agora, como em tempos de crise, em que os serviços estao reduzidos este conselho, possui tantos membros? á custa de erário publico? é que quero saber, no exercício da minha cidadania activa para onde vao os meus impostos.

  3. Nightwish says:

    Não é para isso que serve o IVA? Esta gente fuma o quê?

  4. José Peralta says:

    Veremos se esta “ideia” da teodora. não vai ser “aproveitada” pela albuquerque, ou mesmo se não é a “preparação concertada” para…

    Quanto ao vencimento que aufere, também gostaria de saber quanto é que eu lhe pago dos meus impostos, e quanto “poupa ao fim do mês”…

    E já agora, como é que a teodorazinha (como me apetece ser “carinhoso” com a megera !!!) estimula o tão propalado “investimento” ?

    Diga lá megerazinha !


  5. jonas river says:

    Estes setentas são para durar até quando.
    É exportar meus caros,é exportar!!! (-los).

  6. Goncalo says:

    CFP
    Despesas com pessoal em 2012: 967.654,00 €

    http://www.cfp.pt/wp-content/uploads/2013/05/CFP_Rel.Act_._20122.pdf

  7. Luís Cardoso says:

    Porque é que não internam a senhora, já sei já fecharam todos os hospícios e não têm onde a internar.

  8. chico gouveia says:

    Ó TEODORA ?? TU PASSASTE-TE, RAPARIGA !!

    Teodora Cardoso (Presidente do Conselho de Finanças Públicas), avançou ontem com uma ideia sua e original (segundo ela), que prevê uma forma de se poder taxar os salários, pensões, serviços e rendimentos em geral, da seguinte forma:
    – Estes rendimentos são obrigatoriamente depositados numa conta a prazo (actualmente entram directamente na conta tá ordem), e de cada vez que são levantados, os Bancos aplicam uma taxa, porque assim a aplicação de taxa já é legal.
    A Drª Teodora, acha que é uma boa ideia, muito original, e que se devia meditar sobre ela.
    EU JÁ MEDITEI, E ACHO QUE A DRª. TEODORA SE ESTÁ A PREPARAR PARA O CONCERTO DOS STONES NO Rock in Rio, E JÁ COMEÇOU A FUMAR QUALQUER COISA ( e deve ser da boa…)

  9. Nuno says:

    Tristes visões

    Deixo só uma questão, as vendas sem factura pagam IVA?

    O imposto recairia apenas sobre levantamentos em dinheiro. Assim podem pagar as contas domésticas sem qualquer adicional.

    Observem com mais cuidado sff


    • Deixo-lhe uma questão que pode vir a ser pertinente: as cabeças depois de cortadas pela lâmina da guilhotina ainda sentem?

      • Nuno says:

        Muito pertinente a sua questão.
        Ainda existe espaço para mais impostos. Por exemplo: as telecomunicações, venda de telemóveis, SMS e chamadas telefónicas podem muito bem ter um imposto especial, tal como o tabaco ou as bebidas espirituosas.
        Os impostos visam a distribuição da riqueza, quanto mais melhor. Aliás, quem não tem dinheiro não tem que se preocupar, pois como não consegue comprar nada, não paga impostos.
        Espero que tenha ficado esclarecido.

        • j. manuel cordeiro says:

          Aliás, quem não tem dinheiro nem precisa de comprar comida. Basta deixar-se morrer.

        • Nightwish says:

          O que é que um imposto inteiramente regressivo tem a ver “redistribuição” de riqueza?
          Os fanáticos usam mesmo mal o cérebro.


        • Esclarecidíssimo.
          Mas se há sempre espaço para impostos, verificará no entanto que o espaço que vai de uma janela ao pavimento da praça, é o suficiente para o ensino do vôo planado a quem estica a corda.

    • chico gouveia says:

      o que é que entende por “contas domésticas”, Nuno? Por outro lado, os depósitos a prazo são opção do depositante. Nunca poderá ser uma opção do Governo. Isto é perfeitamente ILEGAL. Era o que faltava! Mas onde a Srª Teodora quer chegar, já a mim me esqueceu. Ela já tem idade para ter juízo e não andar armada em imbecil nem em lambe botas das Troikas e Coelhos. Depois, já não tem idade para ser vice presidente do BCE (como o Vitor Gaspar), nem idade para Presidente do FMI, nem idade para presidente da UE. Por isso, que se contente em ganhar o salário dela como Presidente do Conselho de Finanças Públicas – seja lá o que isso for, que é bem alto.

      • Nuno says:

        Penso que o imposto recairia apenas nos levantamentos de dinheiro. Logo operações como as transferências bancárias não seriam abrangidas por esses novo imposto. Pois o rasto do dinheiro não se perderia. Esta seria um boa medida de combate às actividades ilegais. A diferença está na forma como se efectuam os pagamentos, a dinheiro ou através de cartão.

        • j. manuel cordeiro says:

          Já ouviu falar do IVA? Um tal de imposto sobre o consumidor final.

          Ó Nuno, você existe mesmo ou é um bot do PSD que vem aqui mandar umas larachas? LOL

          • Nuno says:

            IVA ( se fosse efectivamente cobrado em todas as transações, tudo era perfeito)

            Ah, não tenho partido político. Tanto posso votar à direita ou à esquerda, às vezes até me abstenho 🙂

          • José Peralta says:

            Ah ! Pois ! O Nuno com essas “brilhantes” ideias ( e “ofuscantes” ! Para as ler, tive que pôr óculos escuros…) não “tem partido político e tanto vota à esq. , à d.ta, ou se abst. “.

            E eu acredito no pai natal, e naquele excremento, mentiroso compulsivo, que pelos vistos, já fez “escola”…

            Não sabe quem é ? Sabe, sabe ! Não continue a mentir…como o “tal” !

    • j. manuel cordeiro says:

      Que giro, não sabia que havia vendas (legais) sem factura.

      Que se saiba, quem levanta dinheiro não o faz para fazer fogueiras, ó inteligência.

      Triste visão é a sua, que vem aqui atirar areia para os olhos dos outros, tomado-os por tolos.

      • Nuno says:

        Eu explico.
        Existem actividades que não possuem CAE, o comercio de estupefacientes, a profissão mais velha do mundo, biscates, etc que são pagas em dinheiro vivo. Se todas as operações fossem efectuadas por meios electrónicos, extinguindo a moeda papel nas relações comerciais, não haveria fuga ao fisco. Não é necessário ser muito esperto para perceber isso.

        • j. manuel cordeiro says:

          Só que eu não compro estupefacientes nem vou às putas, etc. e, por isso, não estou para pagar mais um imposto sobre o levantamento do meu salário.

          Além disso, está a fugir à questão. Aqui não se trata de acabar com o papel moeda mas sim criar mais um imposto sobre pensões e salários.

        • Nightwish says:

          E os Salgados continuavam sem pagar nada. Boa tentativa.

  10. Maria Ferreira says:

    Diz no Relatório de Actividades do referido Conselho da Teodora que “O Conselho das Finanças Públicas (CFP) tem por missão proceder a uma avaliação independente sobre a coerência, o cumprimento dos objetivos definidos e a sustentabilidade das finanças públicas, promovendo, simultaneamente, a sua transparência”. Para que servem então outros organismos como o Banco de Portugal? E custa-nos o maldito Conselho 2 milhões de euros por ano? Para mandar bostas destas nos eventos PSD? Eles que paguem a sua propaganda como oseu dinheiro…

  11. Carlos Santos says:

    até é branda a senhora. E se fosse taxada a ida à casa de banho? Podia ter escalões, até. Não de género, mas de tempo. E depois podíamos diversificar o imposto, dando laxantes aos tugas, e fazendo concursos para premiar os mais…assíduos.
    Também se podia pagar em géneros. Tudo à senhora.

  12. portela says:

    A dona Teodora sabe qual é a contribuição, para a receita das Finanças, da comercialização da produção vinícola do Alto Douro?
    Pois bem, no coração do barlavento algarvio, a meio caminho entre Silves e São Marcos da Serra, uma propriedade imensa, uns mil hectares, foi adquirida pelo Estado nos anos 80, tem com potencial fabuloso, mas passo e vejo apenas crescerem estevas que de vez em quando ardem.
    A dona Teodora e os seus pares deviam migrar para aqui e a serem obrigados, a pelo menos conseguir o mesmo rendimento que o Alto Douro Vinhateiro. Para tanto, desmerdem-se!

    ,

  13. Sofia says:

    Parece impossível!!! Esta Senhora não deve estar com as capacidades cognitivas todas. Mais um roubo. Ou será a tributação autónoma do comum trabalhador dependente (tributação da despesa). Parece impossível. Isto é pura dupla tributação. Parem esta Senhora e estas ideias de LADRÕES!!!
    Pura LADROAGEM!

  14. Moi même says:

    Esta Teodora já devia estar em casa, a cerzir meias, há anos e ainda vem para “aqui” dizer bacoradas!

  15. Maria Ferreira says:

    O que faz falta para abanar os cânticos repetitivos. Saudades, Ribas.Saudades, Zeca.

  16. Maria Ferreira says:

    https://www.youtube.com/watch?v=B3bCra8tcD4

    (faltava a actualização)


  17. Afinal ainda há gente do piorio…

    Leiam e entendam a SENHORA. Sabe mais do que todos vós juntos;

    http://gov.blogtok.com/menu/1/412//

  18. Alexandre Fava says:

    Pertencendo a dita senhora ao conselho de administração do Banco de Portugal, instituição onde “abobrou” durante cinco (5) anos o processo do Jardim, e ao conselho directivo da fundação luso-americana (coincidências laranjas, seguramente) o que, conjugado com a inépcia – intencional ou laxista – dos nossos tribunais, contribuiu activamente para a prescrição do mesmo e de outros do género, será que está a pensar em formas de “remediar” a falta de encaixe dos milhões que os seus “amigos” das ditas altas finanças deixam de pagar, com mais umas taxazitas sobre os rendimentos do Zé Povinho? E não venham dizer que só os negócios ilícitos é que se fazem com dinheiro vivo. É ver nos prostíbulos do País a profusão de cartões de crédito e transações para offshores, não só aceites como incentivadas pela mesma banca… E desde quando é que quem não tiver uma conta num banco passa por isso a ser um cidadão de segunda?

  19. niko says:

    mais uma que faz parte da quadrilha

  20. Carla says:

    Ri-me imenso com estas frases. De facto e agora seriamente, devíamos pensar numa revolução do povo. Esta é a Europa de sonho? Isto é um pesadelo. O Passos e os seus amigos são um grupo de mentirosos, ludribriadores que têm/tinham como mentores estas senhora caquética, António Borges e outros com inteligência redutora.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.